Web Radio Sertao De Deus


11 de abril de 2013

Rumores de Guerra: Um Extremo Oriente cada vez mais tenso e perigoso

Rumores de Guerra: Um Extremo Oriente cada vez mais tenso e perigoso
07.02.2013 - Nota de www.rainhamaria.com.br
Leia com atenção o artigo abaixo e as noticias relacionadas, são os rumores de guerra, a profecia se cumprindo.
"Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim". (Mt 24,6)
n/d
Além das já propagadas tensões constantes no Oriente Médio quanto a Síria e Irã, e no sul da Ásia entre Índia e Paquistão , agora os focos de tensão ( alguns antigos ) aumentam no extremo oriente da Asia.
Vale lembrar neste contexto, as disputas territoriais marítimas que envolvem cerca de 10 países da região nas proximidades das ilhas Spritly no Mar da China Meridional. Neste neste mesmo local também podemos citar as tensões entre China com Vietnã e Filipinas por áreas ricas em recursos naturais.
No mar do leste da China, disputas envolvem a China, Japão e Taiwan pelas ilhas Senkako/ Diaoyu.
Na Península coreana, as tensões que remontam décadas entre as Coréias envolvem os EUA, desde o final da Guerra da Coréia entre 1950 a 1953 , onde desde então há momentos de alivio e de aumento nestas tensões. Mas elas vem se escalando nos últimos meses, por conta da Coreia do Norte seguir desenvolvendo um programa de mísseis balísticos e de armas nucleares. Nos últimos dias vem crescendo os temores de que a RDPC ( Coreia do Norte ) se prepara para realizar novo teste nuclear, deixando diversos países vizinhos em alerta total. Este teste seguirá aos testes de mísseis balísticos que o regime norte coreano realiza , um dos quais a Coreia do Norte recentemente realizou e alegou ser para colocar um satélite seu em órbita da Terra. Mas isso não foi o suficiente para que os EUA e grande parte da comunidade internacional deixassem de desconfiar ser um teste disfarçado de míssil de longo alcance.
Porém as ações norte coreanas, vem lhes valendo condenações e aplicações de sanções por parte do CS da ONU, o que em contrapartida, só faz aumentar a retórica ameaçadora por parte do regime norte coreano aos seus inimigos externos.
Agora a questão entre Japão e Rússia, remonta a disputas mal solucionadas desde os tempos da 2ª Guerra Mundial entre ambos sobre as ilhas Kurilas, as quais o Japão reivindica soberania sobre elas.
Estes são alguns dos exemplos que podemos nos inteirar dos focos de tensão naquela parte do planeta. Não só o Oriente Médio nos fará pensar que é apenas daquela toca que poderá sair um conflito de proporções mais amplas ,por conta de interesses geoestratégicos e econômicos em pauta, mas sim existem potenciais para conflitos no sul e leste da Ásia. Quem acenderá o pavio primeiro é a grande incógnita.
 Japão diz que a Rússia invadiu seu espaço aéreo; Rússia nega acusações
TÓQUIO | qui 7 de fevereiro de 2013 07:58 EST
TÓQUIO (Reuters) - Dois caças russos brevemente entrou no espaço aéreo do Japão perto de ilhas disputadas e da ilha de Hokkaido na quinta-feira, o que levou o Japão a disputa lutadores de combate e um protesto, Ministério das Relações Exteriores do Japão disse.
A Rússia, que mantém atualmente manobras militares em torno das ilhas em disputa as Kurilas, negou qualquer intrusão como ocorreu.
O ex-primeiro-ministro japonês Yoshiro Mori é esperado para visitar Moscou no final deste mês para discutir questões territoriais.
Quinta-feira foi no Japão "Dia dos Territórios do Norte ", quando manifestações são realizadas tradicionalmente pedindo a devolução das ilhas em disputa que chama de Territórios do Norte.
Primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse a um comício que estava determinado a prosseguir com as negociações com a Rússia para a devolução das ilhas.
"O governo tem a intenção de seguir a sua política básica de resolver a questão territorial e, em seguida, assinar um tratado de paz. Vamos prosseguir com as negociações com forte vontade para que os progressos serão feitos para a resolução conclusiva do problema territorial."
Primeiro-ministro russo Dmitry Medvedev desembarcou na cadeia de ilhas remotas em julho, o que causou protestos de Tóquio.
Ao contrário de disputa do Japão com a China sobre as ilhas do Mar da China Oriental, que estão perto de um potentado marítimo de petróleo vasto e as reservas de gás, a disputa com a Rússia tem mais a ver com o legado da Segunda Guerra Mundial.
(Reportagem de Kiyoshi Takenaka; reportagem adicional de Alissa de Carbonnel; Escrita por Nick Macfie)
http://www.reuters.com
China rejeita queixas sobre patrulhas de sua marinha pelo Japão
O Japão tinha acusado a China de usar radar para rastrear um navio japonês e um helicóptero
China e Japão estão disputando um grupo de ilhas
A China diz que-lo está patrulhando suas águas perto de ilhas
Tóquio (CNN) - O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, na quarta-feira descreveu como "perigosa" e "lamentável" as ações de um navio da Marinha chinesa, que Tóquio diz que colocou um radar de bloqueio em um navio japonês na semana passada.
Seus comentários vêm em meio a relações severamente tensas e explosivas entre os dois poderes asiáticos por conta de um conjunto de ilhas em disputa no Mar da China Oriental.
As tensões sobre as ilhas - que atualmente administra o Japão, mas os dois países reivindicam a soberania sobre - resultaram em impasses marítimos e do embaralhamento de caças japoneses nos últimos meses.
No mais recente incidente, Japão acusou o navio da marinha chinesa de usar radar para obter informações sobre a localização de um navio de guerra japonês no Mar da China Oriental. Esse tipo de radar podia ser utilizado para produzir os dados necessários para disparar contra o navio japonês.
Esta é uma ação perigosa que poderia ter provocado uma situação inesperada", Abe, que assumiu o cargo em dezembro, afirmou no parlamento quarta-feira.
" O primeiro-ministro, visto como mais agressivo do que seu antecessor, Yoshihiko Noda, exortou Pequim a mostrar contenção "para que a situação não exploda."
Disputa explicada: Como uma remota rocha divide China e Japão
O ministério japonês estrangeiro convocou o embaixador chinês para uma reunião terça-feira para apresentar um protesto formal sobre as acusações.
O ministro da Defesa japonês Itsunori Onodera, disse na terça-feira que Tóquio também suspeita que a China colocou um radar de bloqueio contra um helicóptero da marinha japonesa em 19 de janeiro.

China acusa Japão de provocações
China rebateu na terça-feira que vem realizando patrulhas regulares em águas chinesas e pediu ao Japão não interferir.
Acreditamos que a prioridade agora é para o Japão para parar todas as ações provocativas que vem fazendo como o envio de navios e vôos em Diaoyu mar e do espaço aéreo", porta-voz do ministério das Relações Exteriores chinês Hua Chunying disse, usando o nome chinês para as ilhas em disputa .
Os japoneses chamam as pequenas ilhas desabitadas de Senkakus. Perto delas estão rotas marítimas importantes, ricos locais de pesca e depósitos de petróleo possíveis.
Os Estados Unidos estão "preocupados" com o mais recente incidente marítimo entre China e Japão, de acordo com a Victoria Nuland, porta-voz do Departamento de Estado.
"Ações como esta escalarão as tensões e aumentarão o risco de um incidente ou um erro de cálculo, e eles poderiam minar a paz, estabilidade e crescimento econômico nesta região vital", Nuland disse em uma entrevista coletiva regular de terça-feira.
Os Estados Unidos tentam evitar ser arrastados para a disputa, dizendo que não tomam partido em tais reivindicações concorrentes de soberania. Mas as autoridades admitiram que as ilhas cair sob um tratado de segurança mútua entre Washington e Tóquio.
Fonte: Agências Internacionais e Blog Despertar
=======================================
Nota final de  www.rainhamaria.com.br
Diz na Sagrada Escritura:
"Quando os homens disserem: Paz e segurança!, então repentinamente lhes sobrevirá a destruição, como as dores à mulher grávida. E não escaparão". (1Ts 5,3)
"E vi aparecer um cavalo esverdeado. Seu cavaleiro tinha por nome Morte; e a região dos mortos o seguia. Foi-lhe dado poder sobre a quarta parte da terra, para matar pela espada, pela fome, pela peste e pelas feras". (Ap 6,8)

Nenhum comentário: