Web Radio Sertao De Deus


7 de julho de 2009

Texto que autoriza a missa em latim será publicado em poucos dias


30.06.2007 - CIDADE DO VATICANO - O decreto do Papa Bento XVI que visa a liberar a celebração da missa em latim segundo o antigo ritual foi apresentado aos bispos e será divulgado dentro de poucos dias, anunciou o Vaticano nesta quinta-feira.


publicação do decreto ("motu proprio"), destinado a acabar com o cisma dos católicos integristas adeptos do bispo francês Marcel Lefebvre, excomungado pelo Papa João Paulo II em 1988, "está prevista para daqui a alguns dias, quando o documento tiver sido enviado a todos os bispos com a indicação de sua entrada em vigor", explicou o Vaticano.

O texto será acompanhado de uma longa carta pessoal do Santo Padre aos bispos.

O abandono, após o concílio Vaticano II (1965), da missa em latim segundo o rito de São Pio V foi uma das causas da ruptura dos adeptos do bispo francês Marcel Lefebvre, afastado da Igreja Católica por João Paulo II há 19 anos.

Na quarta-feira no Vaticano, o decreto, no qual Bento XVI trabalhava desde o ano passado, foi apresentado a alguns bispos e cardeais com os quais o Sumo Pontífice acabara de se encontrar, segundo um comunicado.

Os bispos franceses haviam manifestado inquietação quando o Vaticano anunciou a vontade do Papa de reabilitar a missa celebrada segundo o ritual antigo.

No fim de 2006, todos os cardeais manifestaram a Bento XVI suas reticências a respeito .

A Igreja da França está em conflito com um grupo de católicos integristas, ligados à extrema-direita, que ocupam ilegalmente várias igrejas.

O presidente da conferência episcopal francesa, cardeal Jean-Pierre Ricard, destacou em novembro do ano passado que as divergências com os integristas não são apenas litúrgicas, mas também teológicas - em relação à liberdade religiosa, ao ecumenismo e ao diálogo entre religiões - e políticas.

Em agosto de 2005, Bento XVI já havia retomado o diálogo com os integristas seguidores do dissidente cardeal francês Marcel Lefebvre, quando recebeu o superior deste último Bernard Fellay.

No passado, João Paulo II também tentou reintegrar os seguidores de Lefebvre à Igreja.

Neste sentido havia autorizado a celebração da missa tridentina (segundo a liturgia estabelecida no concílio de Trento em 1563), mas com a condição de que fosse controlada pelos bispos.

Bento XVI, que aprecia a liturgia antiga e é um severo crítico dos "abusos" da liturgia moderna, quer ir muito além e permitir uma celebração mais livre da missa antiga pelas comunidades e os padres que assim desejarem.

Fonte: Terra notícias


www.paideamor.com.br