Web Radio Sertao De Deus


8 de abril de 2009

GRITOS DAS TREVAS (Parte 6)






GRITOS DAS TREVAS (6)

(02/06/2003)

Embora não se tenha consumado, ainda a expulsão definitiva de Judas, neste exorcismo que segue, veremos a luta contra “Véroba”, um anjo caído, que pertencia ao coro das Potestades. Já mencionamos de outra feita e mais uma vez explicamos esta questão dos diferentes anjos. No céu, os anjos estão divididos em nove coros angélicos. Em cada um destes coros, há miríades de anjos, num volume suficiente para demonstrar a imensidade e o poder de Deus Criador. Dentro de cada um dos coros angélicos, há diferenças sensíveis de poder espiritual e de fortaleza em cada um. Esta força, esta fortaleza, lhes é conferida de acordo primeiramente e acima de tudo com o amor, mas também o denodo e a bravura, com que defenderam, ou defendem ao seu Senhor e nosso Deus. Aliás, isso ficou claramente demonstrado no episódio da expulsão dos anjos maus para o inferno. Ali, eles tiveram a grande oportunidade de demonstrarem seu amor a Deus.




Ora, que eu saiba, não existe registro de que o anjo Miguel, do coro dos Arcanjos, fosse de fato um anjo de primeira magnitude em si. Lúcifer era o maior de todos, até maior e mais poderoso que Miguel. Mas foi Miguel – a fortaleza de Deus – quem gritou primeiro e forte entre as miríades de anjos: Quem como Deus? Ele, pois, encabeçou a luta contra as trevas – dando com isso a sua primeira prova de amor a Deus – e justo por isso adquiriu este poder que tem hoje, de príncipe das milícias celestes. Ou seja, ele domina sobre todos os anjos do céu, não somente sobre o coro dos arcanjos, mas também sobre o coro dos anjos, das dominações, dos principados, das potestades, das virtudes, dos tronos, dos querubins e dos serafins. E se poderia então dizer: Miguel é o mais valente, o mais amoroso, o mais denodado defensor de Deus – embora Deus não precise disso – que existe entre todos os anjos do céu. Ele é, então, a terceira maior das criaturas de Deus, abaixo apenas de Nossa Senhora, a mais incrível e resplandecente das criaturas de Deus, e do humilde José seu casto esposo.

É, claro, dentro de cada um destes coros, existem aqueles que têm maior ou menor poder espiritual, sempre dentro do critério superior de força, de inteligência e de vontade, próprios de cada um. Eis que a justiça de Deus, até nisso se faz presente. Quem mais ama, mais merece! Quem mais luta pela causa de Deus, mais graças recebe, e maior felicidade terá no céu. Ou seja, quanto mais um anjo ama a Deus, quanto mais perfeita e prontamente O obedece, tanto maior poder ele conquista, para melhor exercer o bem e para mais ainda amar. Ele, pois, se recicla em Deus. Entretanto, uma vez que tiver cessado o tempo da graça, cada um viverá dentro do nível de felicidade conquistado – anjos ou homens – por livre efeito da cada vontade, e assim será por todo o sempre. Aliás, isso acontece também conosco aqui na terra.

Quanto aos anjos caídos, o efeito é inverso. Eles, de fato, conquistaram o seu poder, cada um, mas pelo livre efeito de sua própria inteligência e vontade de fazer o mal. Quanto mais odiaram a Deus, mais conquistaram poder para fazer o mal aos homens. Entretanto, se de um lado eles não perderam o poder inerente a cada coro angélico e si, como o tinham no céu – porque Deus quando dá um dom, não o retira – ao serem derrotados, eles perderam o resplendor do ser angélico, transformando-se cada um, na aberração especial e inerente a cada um dos sete vícios capitais.
Ou seja, eles se congregaram em sete legiões diabólicas, cada uma delas se firmando em poder, e agindo, dentro de um vício particular: Ódio, Orgulho, Ira, Preguiça, Mentira, Gula e Inveja! Digamos que cada legião diabólica – dentro da qual estão concentrados demônios provindos de todos os diferentes e antigos coros angélicos, guardando cada um seu antigo poder – se “especializou” em urdir tramas contra a humanidade, cada um dentro de seu execrando vício. Eis porque se fala, por exemplo, em demônio da gula, demônio da inveja, e assim por diante.

Por este efeito da vontade livre de cada anjo do céu, a cada missão que cada um deles executa a pedido de Deus – e são bilhões de missões diárias – eles podem crescer em felicidade, e por isso se empenham com toda a força e vontade de seu espírito e com toda capacidade de sua inteligência. Cada anjo da guarda, por exemplo, que é único – o anjo da guarda de uma pessoa falecida nunca mais volta para cuidar de outra pessoa – quando ele chega no céu com a alma que Deus lhe confiou, ele recebe graças infindáveis por isso. Entretanto, se a alma se perde – sempre por livre vontade dela, jamais por desleixo do anjo – ele não perde de forma alguma o seu poder, nem seu mérito, nem sua felicidade eterna, mas o recebe de acordo com o esforço denodado que fez na tentativa de salvação daquela alma renegada.

E da mesma forma acontece com todos os anjos, de todos os coros, em todas as missões que Deus lhes confia. Quanto mais cumprem estas missões que Deus lhes confia – quem sabe até diariamente – mais têm oportunidade de crescer em perfeição, e exatamente por isso, recebem a graça de mais se aproximarem de Deus e de melhor sentirem os efeitos que esta presença beatífica lhes pode proporcionar. Ou seja: Quanto mais perfeitos se tornam, mas próximos ficam de Deus! Quanto mais puros ficam, mais “entendem” a Deus, e mais profundamente Nele podem mergulhar. Porque, creiam, até nos anjos mais resplandecentes Deus vê sérias imperfeições. Imaginem, então, quão maravilhoso será contemplar esta divina face para sempre! Aliás, por um processo quase igual passamos nós aqui, os homens, na terra. É somente aqui que temos a graça de conquistar estes méritos eternos, para assim como os anjos, merecermos ver a face de Deus e viver em sua presença.

Já quanto aos anjos caídos, quanto mais e à medida que exercitarem a sua maldade, tanto mais aumenta e tormento de seu castigo. Assim, quando um demônio, encarregado de uma alma humana, a conseguiu levar à perdição, com isso aumenta terrivelmente o suplicio de seu castigo eterno. Entretanto – diferente dos anjos da guarda – eles podem voltar a terra para novas missões e para tentar roubar novas almas de Deus. E a sua maldade é tanta, seu ódio contra Deus é tanto, sua inveja contra os homens é tamanha, que mesmo sabendo que este procedimento lhes aumentará o suplício eterno, mesmo assim, eles não hesitam na sua luta, até porque são pressionados e oprimidos pelos demônios mais poderosos.

Entretanto, deve ficar bem claro que tudo que acontece, no céu, na terra e no inferno, somente acontece com o consentimento de Deus. Aos anjos, Deus designa para cada um a sua missão, de acordo com a sua santa e perfeita Justiça. E com isso crescem em poder diante de Deus. Aos homens, Deus deixou a lei e deixou o livre arbítrio, a vontade livre, para decidir pelo bem ou pelo mal. E nesta luta, ou crescem em graça e santidade, ou em desgraça e maldade aqui em vida. Aos demônios, Deus permite que exerçam suas atividades de desencaminhamento da humanidade, mas jamais para efeito e “glória” ou “vitória” dos maus espíritos, e sim, e sempre, para a maior graça ou desgraça dos próprios homens que são livres. Ou seja: Quanto maior a tentação, maior a graça de quem a vence e vice versa!

E assim, seguindo em nosso texto, em síntese, as revelações deste demônio trazem uma certa luz sobre o Aviso e o Castigo, que cairão sobre a humanidade, conforme as mensagens de Nossa Senhora em Garabandal, de 1962 a 1967 – duas mil aparições – norte da Espanha. Já muitas vezes nos manifestamos a este respeito, entretanto, é sempre bom pesquisar novas formas de revelações. Interessante observar que, os homens em geral, não estão dando o devido valor, nem sequer tomando ciência, destes dois eventos pavorosos. Eles brincam com Deus. Entretanto, o inferno teme estes dois sinais, porque sabe, ou apenas pressente, que eles levarão à derrocada de seu Reino. De fato, os efeitos do Aviso sobre a humanidade – temos a certeza – levarão à conversão a maioria absoluta dos homens. Dos que não se converterem com o Aviso, uma parte significativa se converterá com o Milagre, pondo fim ao Reino das Trevas. Eis porque dizemos: Deus fará tudo!

Neste texto, numeraremos alguns pontos muito importantes, para explicação abaixo. Entretanto, como alguns tópicos mereceriam também uma explicação maior, vamos neste caso negritar as partes mais fortes, para chamar a atenção do leitor. Cada uma delas merece uma reflexão profunda de cada um de nós. Ouçamos as palavras deste espírito mau.

EXORCISMO EM 12 DE JANEIRO DE 1976

(Contra Véroba, demônio do coro das Potestades)

E – Comandamos-te, Véroba, em nome (...) que digas a verdade, tudo o que quer a Santíssima Virgem.
V – Mesmo os bons combatem os bons! (1) Antigamente não era assim! Antigamente, os bons estavam unidos! Começou a loucura que vai alcançar o máximo! Mas tudo se tornará pior.
Atualmente, os homens já não se debruçam sobre a Sagrada Escritura. Aliás, por toda a parte a apresentam de modo diferente, ou seja, deformada, organizada de outra forma, traficada para agradar a cada um (2). Só se deveria defender a Sagrada Escritura não falsificada, a antiga, a boa. O resto provém de combinações e pode-se dizer que está envenenando.
A Grande Senhora, quer salvar todos os que ela puder. O mundo está tão pervertido, que Ela já não pode salvar as almas em massa. No entanto, Ela quer ainda fazer tudo o que puder. Ela ama os seus filhos, ama-os mais do que merecem muitos deles.
Se nós ainda pudéssemos ser amados com um décimo desse amor (geme horrivelmente)! Ela ama os seus filhos, como só uma Mãe os pode amar.
Esta é a razão porque é preciso que muitos homens bons, leigos, tomem consciência de que é necessário rezar e também sofrer pela salvação das almas, que de outro modo se perderiam ou se afundariam ainda mais nos caminhos da perdição.
A confusão é de fato terrível, mas ainda virá a ser pior. No entanto, deveis fazer o que Ela quer! Quer que persevereis neste caminho e não vos desvieis dele um milímetro sequer, mesmo que o diabo ataque com todo o seu poder.
Consolai-vos com o Papa: ele sofre ainda mais que vós. Há muito que ele deseja que tudo chegue ao fim. No entanto, terá de continuar a rezar e a fazer sacrifícios. Vós deveis dar-lhes o vosso apoio.
Os leigos têm também de colaborar. Neste momento é absolutamente necessário um maior discernimento para examinar todas as idéias, mesmo as melhores, pois cada um julga-se na posse da melhor idéia, mesmo quando falsa.
E – Continua a dizer a verdade Véroba, diz o que a Santíssima Virgem te encarregou de dizer! Tu não tens o direito de mentir!
V – Se Ela não estivesse no Céu e se pudesse desencorajar, há muito que teria cruzado os braços. Mas Ela é paciente, infinitamente mais paciente do que todos os homens juntos... Oh, se Ela ainda pudesse exercer esta paciência conosco! (geme horrivelmente). Nós, os do inferno, já deixamos de ter esperança. A única coisa que nos resta agora é fazer revelações para vós. Ah! Como é horrível termos de revelar agora, o que não desejaríamos.
Em breve, Jesus Cristo já não estará presente em todas as Missas. Mesmo agora, Ele já não está presente em todas. Há muitos Sacerdotes que já não acreditam na presença sacramental de Cristo, pela Consagração. É lamentável! A Missa deixa de ser fonte de graças e quando ainda o é, é-o de muitas poucas! Se todos aqueles que se dizem Padres celebrassem convenientemente a Missa – a Missa de Pio V (Missa em latim) – o mundo mudaria dum modo extraordinário.
Infelizmente, não é esse o caso. Por isso, continuamos a insistir junto dos Cardeais, dos Bispos, dos Sacerdotes e, por fim, dos leigos. Um Cardeal, um Bispo ou um Padre continua a ser muitíssimo mais importante que um leigo, pelo menos para nós.
Se Ela, a Poderosa, ainda pudesse chorar - Ela pode-o nas suas Aparições – se Ela ainda pudesse chorar no Céu, a terra inteira ficaria inundada com as suas lágrimas. Ela ainda tem piedade destes miseráveis vermes da terra.
Ela tem compaixão deles e volta a chamá-los, tenta retê-los, mas os homens já não A querem ouvir. Como cegos, se deixam enredar nos fios dessas marionetes, que apenas são os nossos cartazes publicitários. Mas as pessoas não se convencem disso. E essa é a nossa grande vantagem!
Mesmo Judas, com a sua traição odiosa, não foi tão mau como muitos Sacerdotes dos tempos de hoje. Judas não agiu ocultamente. Ele sentia que Jesus estava ao corrente do seu pecado. Então se arrependeu, atirou os 30 dinheiros para o Templo e disse: “Entreguei sangue inocente.”(3)
Haverá um Sacerdote da nossa época que procede assim? Os Sacerdotes de hoje são muito piores. Nenhum se arrepende do mal que comete. É como uma doença contagiosa. Estão infectados até à medula, mas ajudam-se uns aos outros para que tudo permaneça camuflado. Mas durante quanto tempo ainda?
No dia em que a verdade vier de cima, a vantagem será então da Igreja e não nossa. O papel representado pela Igreja até aos nossos dias, não pode ser atirado fora ou posto de lado como um par de sapatos velhos e usados, ou um gibão cossado, que tem de ser remendado!
E – Continua a dizer a verdade, em nome da Santíssima Trindade!
V – É triste para a Poderosa e para o Céu ver que tantas almas boas, que Ela ama, que andavam de mão dada com o Céu, estejam agora paralisadas.
Muitos já não sabem o que devem fazer no meio de tanta confusão. Surge assim o perigo de, insensivelmente, enveredarem pelo caminho do erro. É por isso que eu, Véroba, tenho que dizer o seguinte: “Deveis rezar muito ao Espírito Santo. Nunca se reza em demasia ao Espírito Santo.”
E – Continua a dizer a verdade Véroba! Diz tudo o que tens a dizer da parte da Santíssima Virgem!
V – Não o queria dizer! Já não quero dizer mais nada!
E – Tens que revelar tudo, da parte da Santíssima Virgem e em nome da Santíssima Trindade!
V – Ela manda dizer: “Não desespereis, mesmo que os justos errem por vossa culpa.” Jesus sempre disse: “Virão tempos em que aqueles que vos matarem pensarão estar a render culto a Deus.” (4) Esses tempos chegaram. Não sereis mortos agora, muitos já o foram, mas vós não. É preciso que suporteis algumas perseguições. Mas ainda virão tempos piores.
Esta situação talvez já não dure mais dez anos.(5) Nós próprios não o sabemos ao certo. Só sabemos que já não falta muito.
O próprio Cristo disse: “Vós não sabeis nem o dia, nem a hora, em que virá o Filho do Homem.” Estas palavras valem não só para o fim do mundo, como ainda para os Castigos! Referem-se ainda aos castigos e também à morte de cada homem em particular.
O Aviso está incluído no castigo. Não será nada ligeiro. Com o Aviso começará o Castigo – será, por assim dizer, a primeira parte do Castigo.
Esta situação já não durará mais dez anos. Segundo as nossas contas é bem possível que o Aviso..., mas como disse atrás, nós, no inferno, não o sabemos ao certo* (rosna horrivelmente). As muitas orações dos fiéis tem evitado o Castigo. De fato, é paradoxal continuar a rezar, pois com o retardamento do Aviso e do Castigo, a confusão aumentará.(6) Apesar disso, tereis de rezar muito. A Virgem assim o quer, porque assim há muitas almas que ainda se poderão salvar (grita horrivelmente) .

* Efetivamente só Deus conhece o futuro. Os demônios e almas condenadas só podem fazer previsões, mais ou menos fundamentadas, sobre os acontecimentos futuros.

OBS. Aqui termina a parte das revelações deste demônio, Véroba, pois o livro não faz mais nenhuma referencia a ele. Provavelmente segue às suas revelações o rito final de expulsão, assim como o foi o de Judas. Seguem as explicações assinaladas.

(1) Hoje chegamos a este confronto. Não somente se combate entre os leigos, dentro das paróquias e nas pastorais, como se digladiam os padres, nas diferentes ordens do clero, que de fato se odeiam. Até mesmo, dentro das próprias ordens, os padres se odeiam, se brigam, se invejam, se combatem, se criticam e até se amaldiçoam, de uma forma tão assombrosa, que não resta dúvida ser obra de satanás. Quem age desta forma, JAMAIS pode pregar o Evangelho do Amor! Quem não vive o Evangelho com a vida, não o pode pregar aos outros, porque perde completamente a autoridade espiritual. Sua palavra, já não mais cala fundo, nos corações das pessoas.

(2) Esta referência não é somente às seitas evangélicas, cada uma traduzindo a Bíblia de acordo com a sua cara, com a sua idéia, mas também aos próprios católicos, que fazem uso dela cada um a seu modo. E satanás é tão ardiloso, que faz mudar a cabeça dos crentes, que trocam pedra por água, e alho por bagulho.

(3) O fato de Judas haver reconhecido que entregou sangue inocente, não significou arrependimento. Significa que ele sabia claramente que tinha sido mau, mas negou-se a aceitar a culpa. De fato, se Deus desse a Judas uma nova chance, ele a botaria fora, assim como os outros demônios todos. A primeira coisa que eles exigiriam é que Deus pedisse perdão a eles pelos sofrimentos passados. Depois se revoltariam e iriam querer derrubar a Deus, para ficar em seu lugar. Que fique claro: NUNCA, jamais alguém do inferno se arrependerá, mesmo que se lhe dê milhões, bilhões, trilhões de chances. Entenderam porque não adianta ter pena dos perdidos? Eles são todos infinitamente obstinados na teimosia de seu erro. A estes se destina a palavra: Réprobo! Quer dizer, filho da perdição, destinado a se perder! Que optou livremente por se perder! E nem Deus é capaz de mudar sua vontade!

(4) Esta situação, acontecerá certamente com a explosão do mistério da iniqüidade, como tantas vezes o temos anunciado. Isso acontecerá, com fúria arrasadora, após a saída de João Paulo II, durante sete meses. Os homens não sabem o que os aguarda. Eis porque o verdadeiro, diria, “desespero”, de Nossa Senhora, pedindo orações, principalmente o Rosário em família. Não subestimem estas coisas, porque serão terríveis, e quem não estiver em oração, não terá força espiritual, e sucumbirá de desespero. De fato, milhões de seres humanos, que hoje não fazem caso dos avisos de Nossa Senhora, morrerão de pavor.

(5) Aqui uma prova concreta de que os demônios não conhecem o futuro. De fato, aqui ele previu que o Aviso devesse acontecer em menos de dez anos, e já se passaram 33 anos. Mas ele próprio, adiante, vai reconhecer que, enquanto o Aviso tarda, mais gente se converte, ou seja, Deus sempre vence. Por isso, não nos desesperemos, porque tudo tarda. São Pedro diz que isso é bom para nós! Esta paciência infinita de Deus! A gente sente, positivamente, que TUDO já deveria ter acontecido até o ano 2.000, entretanto, pelas orações dos justos e especialmente pelo pedido de Maria e do próprio Jesus, o Pai nos deu mais um tempo de conversão. Para mais graças! Mas isso se esgotará em breve!

(6) Sim, a confusão já está aumentando. Se Deus nos concedeu mais tempo, é sinal de que também a tribulação final será maior. Será concentrada em menos tempo. Ou seja, poderíamos explicar assim: se tudo tivesse começado a acontecer antes, o auge da tribulação poderia durar, digamos os três anos e meio previstos em Daniel. Como acontecerá somente agora, poderemos ter este tempo de terror condensado em um tempo menor, digamos um ano e meio, conforme já colocamos alguns indicativos noutros textos.

Por hora, porém, rezemos e muito. Aguardemos a manifestação de Deus sem medo, porque não é próprio dos filhos de Deus, ligados Nele, temer algum mal. Tenhamos em mente que Deus agirá em breve, e Sua manifestação será poderosa. De fato, o homem em breve sentirá o peso da mão de Deus. Não para o seu mal, mais sim para a salvação dos homens. E assim, mesmo que a humanidade hoje pareça ir quase toda à perdição, no momento oportuno, o amor misericordioso de Deus a acolherá na imensa maioria. Não raciocinemos em termos humanos, mas em termos da Onipotência de Deus. Porque, certamente. Depois de passadas todas estas coisas ficará para todos manifesta a arrasadora vitória Dele, só Dele. Não tenhamos medo, este é um pedido insistente de Nossa Senhora. Tudo terá que acontecer, conforme está escrito! E tudo acontecerá em breve!

Enquanto isso rezemos! TODOS!

A oração de poucos pode pouco!

A Oração de todos, pode tudo!

A decisão é nossa!

Aarão!



www.recados.aarao.nom.br

Entrevista com Satã - Parte 6








Trevas - 401 Entrevista com Satã (6)

SÉTIMO ENCONTRO

"É só questão de tempo!…"

Esta imprevista e terminante afirmação interrompeu minha leitura de um livro que estava me interessando muito. Um grito de pavor conteve minha respiração. Mas minha Protetora veio imediatamente em minha ajuda e me pôs tranqüilo à escuta. Desta vez o maligno se pôs a falar-me com uma solenidade insólita, quase declamatória: revelou-se como o costumeiro fanfarrão.

“É questão só de tempo! O processo de destruição da Igreja já está a caminho, uma destruição radical e imparável. Meus planos se cumprirão com uma precisão e uma pontualidade que lhes deixarão assombrados. Logo esta velha e apodrecida carcaça seguirá a sorte de tantas outras instituições que resistiram um certo tempo e depois desapareceram... "

“Mas não vê, bufão, que sempre volta com a mesma canção? Falta-lhe sempre toda originalidade e imaginação, inclusive para organizar o mal e assim em vão tenta dar-me medo."

"Por que não me deixa continuar?"

Porque você é tremendamente chato. Parece-me um comediante que na praça repete sempre as mesmas palhaçadas. Convença-se de que, com sua insistência na ameaça de destruir à Igreja, não só não me impressiona, sim que inclusive me faz rir. A Igreja, ainda que esteja constituída por homens que têm suas misérias, é instituição de Cristo, pertence a Ele e só Ele a governa em seus acontecimentos. Em seus desígnios misteriosos Deus faz com que a Igreja obtenha vantagens inclusive das perseguições e das heresias. No passado, graças ao surgimento de erros heréticos, muitos pontos da doutrina Católica foram aprofundados e precisados. Por isto a Igreja olha com serenidade também aos teólogos contestadores e confusos que hoje abundam. Com relação a certos problemas ainda não amadurecidos, estes teólogos podem ter uma indisciplinada sensibilidade, mas isto inclusive pode ser estímulo para estudar algumas questões propostas por eles mais atentamente e descobrir no fundo os elementos de verdade e de claridade úteis para o crescimento de seu depósito doutrinal.”

"E você não está repetindo as mesmas declamações?"

"Faz mais de meio século que está combatendo contra Deus para fazer-Lhe desaparecer da Rússia, conseguiu? Sei, fez um mal imenso àquelas almas, mas a necessidade de Deus não alcançou arrancá-la ainda de milhões delas. Prometeu àquele povo um paraíso na terra e o fez tão encantador e desejável que muitos fogem dele enquanto podem.”

* * *
“Corre demais e em suas loucuras lhe atarão as mãos."

Hoje lhe quero dizer algo novo. Algo do que talvez não se tenha dado conta. Hoje se uniu decisivamente a nós a Mãe de Deus, a Mãe da Igreja, da qual somente o nome – você não quer nem ouvi-lo, por isso lhe repito - lhe faz tremer. Ela que deu a primeira vez ao mundo a Jesus, está agora trabalhando silenciosamente para colocá-Lo de novo nas almas que se afastaram dEle, quer servir-Se de nós os sacerdotes: um grupo escolhido de fidelíssimos, preparados para imolar-se por Sua causa. Está recolhendo-os de todas as partes do mundo, sem nenhum aparelho organizado, é Ela mesma quem os chama docemente a recrutar-se em Seu Movimento Sacerdotal.

Chama-os Seus prediletos. Esta Mãe os está trabalhando com coração de Mestra, para treiná-los na oração, no amor a Jesus Eucarístico, na fidelidade total ao Papa.”

"Ela nos advertiu de uma grande tribulação que está chegando, que logo você nos dará grande batalha. Na luta, você se enfrentará com um grupo de sacerdotes assistidos e sustentados por Ela. Contra tantos que se deixaram seduzir por suas artimanhas e que você afastou dEla, Maria oporá seus sacerdotes, revesti-los-á de Sua potência. Fa-los-á intrépidos na hora da grande purificação. A eles confia a tarefa de defender a honra e a causa de Jesus e de sua Igreja; serão os que acompanharão ao Santo Padre no caminho do Calvário para vê-lo vencer por meio da Cruz. Esta segurança nos vem dEla e nós a vivemos com alegria."

“Compreendo, tudo sobre a falsa linha das cenas absurdas de Fátima!...”

“Precisamente, aqui em Fátima, quando nossa Mãe bendita preanunciou momentos terríveis para o Papa, prometeu-lhe ainda Sua proteção especial. Ela o defenderá por meio de seus sacerdotes, homens forjados na oração e muito amantes de Seu Rosário: a arma que lhe cheira tão mal e lhe dá tanto medo. Tem um terror invencível a todo sacerdote que ora. Continuamente o experimenta, por isso recorre a todas as suas artimanhas para distraí-lo na oração. Agora Maria está preparando não só a um, sim a um exército de sacerdotes que oram, e que são amantes do Rosário.”

“Esta Mãe Divina não nos engana. Advertiu-nos muito bem que a hora da prova virá e que será dura. Mas nos assegura que no momento em que você creia ser o senhor do mundo e se sinta seguro vencedor, Ela mesma intervirá para arrebatar-lhe da mão a presa. Você será destronado e, ao final, a vitória só será de Jesus. Jesus quer obtê-la assim para sua maior humilhação, por meio de uma mulher. E a vitória dEla será o triunfo do Coração Imaculado nos países sem Deus e em todo o resto do mundo.”

* * *

“Que rápido você é para desdramatizar! Espera que lance contra vocês os meus homens transformados em verdadeiros endemoniados. Estou preparando-os e treinando para o ataque, que será logo, imprevisto e inenarrável.”

"Nós nos armaremos de nossa fé e estaremos à espera… Deus não nos deixará sozinhos. Contaremos com a proteção de Sua Mãe."

“Obtive já (de Deus) de fazer-lhes trabalhar descobertos. Não crerão que são manipulados por mim. Hoje já ninguém crê em minha presença no mundo. Experimente falar de minha ação no meio de vocês. Chamá-lo-ão de ridículo.”

“Sim, nisto você é muito hábil. Mas não todos se deixaram apanhar por suas artimanhas. Existe quem crê e adverte este seu nefasto trabalho no meio do povo de Deus. Temos ainda a oração da Igreja contra você, e recorremos a ela!"

"Crê que os meus se deterão ante quatro cães que latem?"

“São sacerdotes de Cristo, não cães! Você sabe: Quem durante sua vida terrena, lhe expulsou de tantos pobres homens possuídos, continua expulsando-lhe por meio de seus sacerdotes. As derrotas que vai conseguindo você as conhece muito bem. Conhecemos a raiva que lhe assalta quando um sacerdote lhe varre e lhe ordena abandonar as criaturas que você destruiu para satisfazer seu instinto maléfico. É um poder comunicado por Cristo a seus ministros, incluindo o mandato de exercitá-lo: “Em meu Nome expulsareis demônios”. E nós os sacerdotes o fazemos. Nestes choques entre seu poder e o da Igreja a nós comunicado, o balanço para você é absolutamente um fracasso. É uma experiência que lhe esmaga."

“Retórica!... Retórica!... Não vê como todo o horizonte se escurece? Espera ainda um pouco e verá como eu desencadeio um furacão... Todos tremerão como pobres folhas, e todas serão arrancadas da árvore.”

“Vejo que conhece muito bem, a força do medo, a potência do terror no dobrar os homens aos seus desejos. A escravidão impiedosa com que domina regiões destruídas é invenção de seu gênio maléfico. Deus nos conquista com o amor e nos impõe um fardo leve, você tem aos seus sujeitos com punho de aço e com o assombro. Para que não se lhe escapem, recorre às cárceres de ferros. Não opera assim nosso Deus! O terror é a força de seu governo, que é governo de opressão e de ódio: Você mesmo o disse! Nós não temos nenhum motivo para temer seus argumentos catastróficos de fim do mundo..."

"Está muito seguro de si mesmo; mas verá!”

“Podemos temer tudo de nossa debilidade! Mas é precisamente esta debilidade a que nos faz recorrer a Quem é nossa força! Nós sabemos que no céu há um Pai Onipotente que nos ama: e é a revelação mais terna e exultante de Jesus. Com a fé neste amor nós desafiamos todos os pessimismos que pode inspirar-nos a visão de um mundo tão horrivelmente descomposto por você. Desafiamos todos os medos que tenta insinuar-nos com suas ameaças para desabar nossa resistência para o mal. Espírito mesquinho e malvado, Deus está conosco! Enquanto que você é um maldito de Deus. Nós temos fé no amor, é esta fé a que lhe faz tremer, por isso recorre a todas as suas artimanhas para arrancá-la às almas. Para vencê-las tem necessidade de desarmá-las."

"Quando veja meus milagres terroríficos...!”

“Você não pode fazer nada mais que simulações de milagres. Os verdadeiros são o selo exclusivo de Deus. Contra Ele, que é o Autor da vida, você organizou hecatombes de mortes; se compráz fazendo milhões de vítimas com as guerras atômicas, com as execuções em massa realizadas pelos policiais de estado, com os abortos que levam a uma escala ascendente que supera todos os extermínios registrados na história. Mas esquece que a morte foi vencida pelo Autor da vida. Ao final dos tempos se fará o balanço entre os ganhos feitos por Deus e suas perdas.”

Aqui o maligno se enfureceu. Veio-me à mente a oração do exorcismo já usada, privadamente, outras vezes com êxito para liberar as almas horrivelmente vexadas pelo maligno. É uma oração para meu uso privado, mas que sempre experimentei como eficaz.

É esta: Senhor Jesus, durante Sua vida mortal, sempre teve uma imensa piedade pelas almas possuídas e atormentadas por Satanás, e jamais deixou de livrá-las com o poder de suas palavras. Deu este mesmo poder a seus discípulos e ordenou que o exercitassem, dizendo-lhes: “Em meu Nome expulsareis demônios”. Armados por este Divino mandato, confiando na potência de Seu Nome e na intercessão de Maria, vencedora do inimigo infernal:

Eu lhe digo, Espírito imundo, que deixe em paz a esta criatura de Deus: portanto, lhe exorcizo em nome do Pai + que a criou e do Filho + que a redimiu e + do Espírito Santo + que a santificou. Exorcizo-lhe em nome da Bendita Virgem Maria + que a pôs sob sua proteção; em nome de São Miguel Arcanjo + triunfador de todos os Espíritos rebeldes, e em nome de todos os Santos e Santas + que esta alma invoca com confiança.

Ordeno-lhe, Espírito maldito, não eu pobre pecador, sim como sacerdote de Cristo; não por virtude minha, sim pela de Jesus vencedor de todos os inimigos infernais, não com meu poder, sim com o que me foi dado pela Igreja; ordeno-lhe sair desta criatura de Deus e ir-se ao inferno, preparado para você e para seus seguidores, em nome do Pai + e do Filho + e do Espírito Santo +. Amém.

Ao finalizar esta oração esperei que o Maligno desse algum sinal de reação mas não se fez ouvir mais. Pareceu-me sair de um sonho atormentado. Estava banhado em suor, e a alma recobrou logo docemente a serenidade.

OITAVO ENCONTRO

Apenas havia dormido um pouco na sesta quando o quarto foi inundado de um fedor que me fez conter a respiração. Olhei ao meu redor: a porta e as janelas estavam fechadas. Era um ar fétido que se movia como agitado por um ventilador. Que ocorre? Logo me dei conta de que isto significava uma nova visita do Maligno e invoquei a assistência dEla.

"Será acaso seu cartão de visita?”

“Sim!”

“Não sabia que um espírito puro se anunciasse com tanto fedor."

“Apenas soprei sobre o fedor de suas miseráveis carniças."

"Penso pelo contrário que seja a exalação de sua essência de pecado.”

"Não disse você mesmo que um espírito não pode cheirar mal?"

"Não é bem assim mas basta: em nome de sua grande inimiga, que quer?”

"Interrogue-me."

Recolhi-me um instante em mim mesmo:

“Fale-me das artimanhas que utiliza para seduzir as almas."

“Tem necessidade de que lhe revele eu? Você é mestre em Israel.”

"Mas prefiro que me fale você disto, mestre da sedução.”

* * *

Parecia que não se decidia a responder: mas advertia que estava ali.

“Vamos, imponho-lhe que me responda!"

"Não se necessita de muita habilidade para apanhar no laço vocês, miseráveis. São tão estúpidos e tão frágeis que dá vergonha a quem lhes moldou. Normalmente, postos diante do que Ele os proíbe, basta um pequeno empurrão.”

Isto pode ocorrer com almas desprevenidas, que não têm suficiente temor de Deus, que não recorrem aos meios para vencer suas tentações, sobretudo se não oram e se não têm contato com o Senhor... Mas as outras?

“Estas são iguais; necessita-se só um pouco mais de tempo e de paciência. Basta conhecer os gostos, as tendências, os inumeráveis ganchos que todos levam consigo e com os quais se apegam: a luxúria, a ira, a ambição, a inveja, o orgulho, a sede de dinheiro, de bens terrenos, a maledicência... Se soubessem os serviços que nos faz uma língua maléfica semeadora de discórdias... Às almas que mostram maior resistência não me aproximo jamais delas com um assalto frontal. Conquisto-as com manobras e dou voltas ao redor, ou escavando o terreno sob seus pés, provocando as paixões até cansá-las, e levando-as também ao desespero. Persuadindo-as pouco a pouco de que certos mandamentos são impossíveis: que seu amo é um tirano; que tal coisa não pode ser pecado...”

"É a artimanha que hoje está utilizando mais, demolir o sentido do pecado...”

"Também aqui meus melhores colaboradores são os sacerdotes... Se soubesse quanto me custou cansá-los de estar naquelas casinhas para escutar cantilenas!... Assim finalmente consegui que se pregue que a confissão não é necessária, consegui despovoar os confessionários e enviar um montão de gente, que é minha, a fazer grandes comilanças de comunhões. Se soubesse a quantas prostitutas, a quantos comilões e profanadores, ladrões e violentos lhes mando recebê-la.”

"Estou convencido de que generaliza demais e que contra tantos que caem nesta armadilha, há tantos que fogem de você, especialmente se são almas que oram e se esforçam por viver em Graça".

Uma pausa muito longa: “Não é verdade que a arma da oração lhe dá medo e que em seus assaltos lhe faz retirar-se envergonhado?"

"Devo admiti-lo: mas contra aqueles que usam a oração não os ataco jamais de frente. Busco pouco a pouco e de todas as maneiras possíveis, incomodar sua oração, distraí-los com mil bobagens, levá-los lentamente à náusea. Enquanto isso eu intensifico contra eles minhas tentações. Ainda procuro convencê-las que Ele não as escuta, que é inútil a oração, porque ainda não perdoou certos pecados, passados, porque se abusou demais de sua Misericórdia...“

“A velha armadilha: primeiro faz cair às almas no pecado, persuadindo-as de que não é pecado, e que Deus perdoa tudo; depois de tê-las feito cair, devolve-lhes a vergonha para não se confessar pelo que fizeram, faz reviver o sentido do pecado e o aumenta até fazer crer que para elas não há perdão. Primeiro a presunção, depois o desespero: duas vias ótimas para prejudicar as almas."

“É um truque que funciona...”

“Entretanto, a Misericórdia de Deus é infinitamente maior que suas artimanhas e que suas conquistas momentâneas. As almas lhe custaram o sangue de Seu Filho e conhece infinitos caminhos para direcioná-las ao seu domínio!"

* * *

"Há que ver quanto exagera pensando nisso da Misericórdia.”

Neste momento foi eu quem dei uma pausa de tempo.

"Esta é uma de suas insinuações mais diabólicas e a mais mentirosa. Sabe que Deus nos ama infinitamente, que uma só gota do sangue de Jesus basta para lavar todos os pecados do mundo, que nós podemos pecar por falta de confiança em Sua Misericórdia, mas jamais por ter acreditado em sua indulgentíssima bondade. Para você não houve nem haverá jamais perdão; para nós sempre; basta que não O rejeitemos tenazmente, conscientemente, até o último instante. Ele, antes de deixar uma alma em suas mãos, usa todos os recursos de Seu Amor, que são infinitos. Tudo isto você sabe, experimenta em todo momento e a Onipotência deste amor gratuito e redentor que Ele tem por nós é o inferno de seu inferno!"

“Você é o advogado de uma causa muito mal apresentada. Você diz que Ele é Onisciente, olha aonde chega sua perfídia, sua cínica crueldade... sabe que muitos de vocês serão meus, prevê-lo, entretanto os cria. Por que os cria? Para quem? Para mim!"

“Eis aqui outra artimanha com a que busca enganar as almas. Basta-me crer firmemente no Amor para rejeitar estas insinuações. Deus nos criou por Amor. Nosso destino é o de Viver o Amor em Deus ocupando os postos dos quais você e os seus foram expulsos. Para isso nos redimiu e nos oferece todos os meios para alcançar sua redenção. Entretanto, Deus respeita sempre nossa liberdade, por isso não coage ninguém para que aceite sua salvação... Mas em suas mãos dispõe, com Sua Bondade, inimagináveis caminhos para induzir também as almas rebeldes à dócil aceitação de Sua Graça."

"Agora é você quem está filosofando.”

"Deixe-me dizer: o dom da liberdade confere ao homem um valor e uma dignidade invioláveis, tanto é, que se algum abusasse deles... Deus quis antes correr o risco de deixá-lo livre e ainda que voluntariamente quiser se perder, Ele nunca o privaria de sua liberdade. É o homem que não quer dar a Deus seu amor, não é que seja Deus que não queira Amar ao homem, como você quer apresentar. Deus é puro Amor em todos Seus atos, senão, não seria Deus”.

* * *
“Você não quer responder a minha objeção!...”

“É você quem não quer compreender! A liberdade, a Misericórdia, o sofrimento, especialmente a morte de Seu Filho, a comunhão dos Santos, Sua Glória eterna são tais bens que justificam por si mesmos o permitir a possibilidade da perda voluntária e obstinada de alguns malvados que livremente decidam meter-se e colocar-se em seu bando.”

“Você delira e não me deixa falar… Você disse que Ele preferiu correr o risco da perda...“

"Sim, disse-o. Mas Ele fez tudo o que era possível para atenuar, para afastar este risco. Ele podia, é verdade, recorrer a Sua Onipotência, eliminando também o argumento de tal risco. Mas Deus não se comporta como seus tiranos, que quando não podem dobrar uma vontade, matam-na. Ele não é o Deus de mortos, sim de Vivos. Ele não quis privar aos obstinados de sua liberdade de escolha. Teve para eles um respeito infinito. Mas, repito, para impedir a trágica possibilidade de sua ruína, fez tudo o que Divinamente era possível."

"Você se comporta em seus delírios como um velho escolástico...”

“Aceito! Desde o momento em que Deus nos amou a ponto de dar-nos o Sangue e a Vida de Seu Filho, não há objeção alguma possível contra a imensidade e a universalidade de Seu Amor. É verdade que ao mesmo tempo em que nos concedia tão grande dom, via aqueles que haviam recusado Sua salvação. E, entretanto, os criou igualmente; operou em Sua Onipotência atuando a Criação, conhecendo aquela parte dos que, apesar de Seu Amor, o rejeitariam obstinada e voluntariamente. Mistério adorável! Contudo, basta-lhe saber, mistério de iniqüidade, que se não houvesse vertido sobre a humanidade a catarata do mal e do pecado, nós os homens não teríamos podido ser capazes de conhecer até que ponto nos ama Deus. A Igreja - repito – paradoxalmente nos faz cantar: "Ó feliz culpa a de Adão!"

“E ainda assim ganharei a maior parte das criaturas tão amorosamente redimidas por Ele.”

“A maior parte? Mente! O sangue de Cristo tem tal eficácia Salvífica que você não pode nem poderá lançar desafio semelhante ao Amor de Deus. Este sangue foi derramado sobre todos os filhos de Adão, sem exceção alguma. Ele tem o poder de chegar, por caminhos misteriosos, a todas as almas criadas. Deus - repito - lhe deixa só àqueles que voluntariamente escolheram estar com você. É para seu maior castigo. Porque sua companhia não atenua, sim que aumenta imensamente o peso de sua condena. Para toda a eternidade!"

Desde então meu interlocutor - durante bastante tempo - não deu sinal de vida.

Segue-se o o texto, no momento oportuno.









www.recados.aarao.nom.br

A VERDADE SOBRE OS CÓDIGOS DE BARRAS E OS CHIP´S






Alguns associam o número 666 das Escrituras Sagradas ao código de barras, outros ao homem mesmo.

7 = número de Deus 6 = número do homem

Deus e o homem são trinos.

Deus = 777 [Pai, Filho, Espírito Santo]
Homem = 666 [corpo, alma, espírito]

Esta página irá apresentar a visão sobre o livro de Apocalipse 13:16 -18 referente ao código de barras.


George J. Laurer, funcionário da IBM desenvolveu e criou o código de barras (1971 até 1973), com o objetivo de agilizar vendas no comércio e evitar erros humanos nas caixas registradoras.

A letra J de seu avô Joseph Laurer (imigrante alemão e maçônico), veja como fica composto o seu nome completo.

George Joseph Laurer 6 6 6


O computador não lê os números abaixo das barras. Estes números são utilizados pelo operador do caixa, somente se houver erro de leitura do scanner


Cada número é composto por 7 unidades. O lado esquerdo (sempre com a primeira unidade vazia, bit=0) é a informação sobre o fabricante e o lado direito (sempre com a primeira unidade preenchida, bit=1) é sobre o produto. Os números do lado esquerdo são espelhos do lado direito, isso permite escanear o código de barras em qualquer direção.


As Barras de Guarda

As 3 barras de guarda (início, meio e fim) estão destacadas em vermelho, seus códigos binários são 101, 01010 e 101 respectivamente. A barra azul refere-se ao código do produto e seu código binário para leitura do scanner é 1010000

A barra do início é codificada como barra-espaço-barra ou 101
A barra de guarda do meio é codificada como espaço-barra-espaço-barra-espaço ou 01010
A barra final é codificada igual a do início barra-espaço-barra ou 101
Essas barras servem para informar ao scanner quando o código do fabricante e código do produto terminam a leitura. Quando o scanner ler a barra 101, ele saberá que a próxima série de números referem-se ao código do fabricante ou ao código do produto. E quando chegar na barra de guarda mediana 01010, saberá qual outro número está vindo, e continuará sua leitura até encontrar a barra de guarda do fim de leitura 101.




Então tecnicamente, pela perspectiva de um computador, o número 666 não está no código de barras.



Analisando as Escrituras Sagradas
A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis. (Apocalipse 13:16-18)



É número de homem - somente pela visão humana é notado nitidamente o conjunto 666 no código de barras, o computador não o interpreta assim. Então é número de homem, não de máquina.

certa marca - por que João nas Escrituras Sagradas utilizou a palavra marca (em grego CHARAGMA) ?

A palavra charagma no Grego registrada em Apocalipse 13:16 significa emblema ou marca. A palavra grega CHARAGMA origina-se da palavra CHARAX e sua tradução é uma paliçada, que significa uma cerca feita com estacas.





Ao olharmos um código de barras, ele é muito parecido com uma cerca feita com estacas. Essa foi a visão que João teve no primeiro século d.C. na ilha de Patmos. Ele estava descrevendo uma certa marca com linhas verticais, o código de barras que conhecemos hoje.


Fim do Código de Barras
O fim do código de barras está com os dias contados, está chegando a nova tecnologia: RFID





www.ahistoriadochip.oi.com.br

Novelas da Globo






A Rede Globo de Televisão tem colocado como tema principal em sua novela das 18h a música 'Simpatia Com o Diabo' (Sympathy for the Devil) . Colocamos disponível aqui a tradução desta música para que sirva como um alerta para toda a comunidade cristã.

Desejamos que você tire suas próprias conclusões sobre este assunto, pois é por uma mensagem como esta, escondida atrás de uma melodia bonita, que os nossos filhos poderão ser atraídos. Cuidado. O mundo espiritual é mais REAL do que podemos imaginar...

Arnaldo observa> Mostrei ao meu filho isso, e ele falou que quando um diretor da Globo foi questionado a este respeito, ele se esquivou dizendo que nada a ver, que era intriga. Bem, o diabo também diz sobre esta música, nada a ver, quando de fato tem a ver sim, com a contaminação dos lares com duas podridões. A primeira o lixo da Índia que a Globo esconde e está por trás do luxo, do ouro de alguns e da miséria de quase um bilhão. Tuso isso embalado pela musiquinha de satanás. Assitam a novela da Globo, católicos e católicas, esta a melhor forma de contaminar seus lares. Vejam a tradução da letra da musica...



TRADUÇÃO DA MÚSICA

=============================

Por gentileza me permita me apresentar
Sou um homem de fortuna e requinte
Estou por aí já faz alguns anos
Roubei as almas e a fé de muitos homens

E eu estava por perto quando Jesus Cristo
Teve seu momento de duvida e dor
Fiz muita questão que Pilatos
Lavasse suas mãos e selasse seu destino


Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome
Mas o que lhes intriga
É a natureza do meu jogo


Eu aguardei em São Petersburgo
Quando percebi que era hora para mudanças
Matei o Czar e seus ministros
Anastácia gritou em vão

Pilotei um tanque
Usei a patente de general
Quando as blitzkrieg urgiam
E os corpos fediam

Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome
Mas o que lhes intrigam
É a natureza do meu jogo

Assisti com orgulho
Enquanto seus reis e rainhas
Lutaram por dez décadas
Pelos deuses que eles criaram

Gritei bem alto
'Quem matou os Kennedys?'
Quando afinal de contas
Foi apenas você e eu

Permita-me por gentileza me apresentar
Sou um homem de fortuna e requinte
Deixei armadilhas para ministreis
Que morreram antes de chegarem a Bombaim

Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome, oh yeah
Mas o que lhes intriga
É a natureza do meu jogo

Um prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome
Mas o que lhes confunde
É a natureza do meu jogo

Assim como todo cara é um criminoso
E todos os pecadores Santos
Como cara é coroa
Basta me chamar de Lúcifer
Pois estou precisando de alguma restrição

Então se me conhecer
Tenha alguma delicadeza
Tenha a simpatia, e algum requinte
Use toda sua polidez bem aprendida
Ou deitarei sua alma para apodrecer

Prazer em lhe conhecer
Espero que adivinhem o meu nome, oh yeah
Mas o que lhes intrigam
É a natureza do meu jogo

Diga-me baby, qual é o meu nome
Diga-me doçura, qual é o meu nome
Diga-me baby, qual é o meu nome
Lhe digo uma vez, é sua culpa

Diga-me baby, qual é o meu nome
Diga-me doçura, qual é o meu nome
Diga-me baby, qual é o meu nome
Lhe digo uma vez, é sua culpa

=============================

(fim)

Também lhe digo, a você que assiste novelas da Globo: a culpa é sua, se seus filhos se tranviam. Eles começam pela "malhação" que é uma fábrica de crianças bandidas, moleques, desobedientes, desafiadores, mandões, rebeldes, preguiçosos, tudo exatamente como o diabo quer que um jovem seja. Tudo isso é feito de maneira intencional para perverter a juventude.

E sim, porque eles terminam no "caminho das índias", numa falsa religião, para levá-los a viver distantes de Deus, e próximos dos elefantes, das vacas, das sapos, dos macacos e de outros deuses vis que por lá se adora. Vão achar bonito, a natureza, só que a Globo não mostra o desastre que Lúcifer provoca com a fome de Bombaim, como ele aponta. E quando você perceber é tarde.

Sim, deixem de lado o tempo de oração em família, o tempo do Terço, e assistam a novela, mas não reclamem de Deus daqui a pouco, quando na vida real os ventos e as tempestades varrerem sua família da face da terra. Eu digo toda a família... Deus dirá também então: não tive tempo de socorrê-los!

Quanto aos atores da Globo, quanto ao diretores da Globo, se eles soubessem onde está seu fundador, tomariam o caminho de volta das Índias e botariam na programação novelas da vida de santos com músicas sacras. Imediatamente! Até porque já houve diretores da plim, plim que foram visitar seu chefe. Só que Lúcifer não os deixou sair de lá, como ele disse na letra da música, "botou a alma deles para apodrecer".

Assim, católicos todos, pelo menos vocês: desliguem as novelas da Globo. Cada televisor que está ligado nas novelas deles, manda um pulso pelo cabo neutro da energia, e eles podem contar exatamente quantas famílias estão apodrecendo diante das telinhas, e com isso conseguem calcular o preço das propagandas, porque sabem quantos consumidores estão recebendo a mensagem subliminar dos anunciantes. E você é mercadoria valiosa, embora a caminho da podridão.


Ó sim, também o Big Brother é boa solução para aprodrecimento da alma. Também isso leva para um caminho, só que bem pior que o das índias.


www.recados.aarao.nom.br

ÚLTIMA CHANCE DA HUMANIDADE






Quando Adão tomou do fruto e o comeu, o homem conheceu a morte. De fato, Deus não criou o homem para morrer. E quem não pode notar que o homem não sabe lidar com a morte? Para quem não é evidente que a essência é por viver, de maneira que lutamos naturalmente pela vida?







Morrer não estava na essência do homem. E devido a desobediência nós nascemos com uma natureza por si só má. E Deus iniciou então o plano da salvação. Por várias vezes nos deu a oportunidade de nos salvar, e em todas elas o homem se corrompeu ao pecado. Por fim o próprio Senhor Nosso Deus se destituiu de sua glória e veio como homem, em carne, dando-nos o exemplo, para que por seu sacrifício possamos ser salvos.

E esta é a última de todas as chances que a humanidade pode ter. Não haverá outra depois desta. E Deus não manipula, Ele dá a escolha, por que Deus procura servos verdadeiros, que o amem; não atraídos por recompensa ou glória, mas atraídos pelo amor que já demonstrou em tantas vezes por nós. E somente pela fé em Jesus Cristo podemos agradar a Deus e dar o primeiro passo rumo à salvação. Porque até os milagres que muitos homens rejeitaram acreditar foram feitos através da fé.


E sem fé não há conversão. Porque um homem pode testemunhar a cura de sua filha e não se converter. E amada Igreja, há duas possibilidades quando pregamos à alguém e este alguém, mesmo que testemunha de milagres, não crê em Deus: ou não está no tempo certo (o tempo do Senhor), ou é filho das trevas e não vai se converter. Nossa natureza é pecaminosa.


Se deixares uma criança sozinha poderá perceber que ela procurará o que é errado, muitas das vezes se já repreendida para não fazer. Esta é a nossa natureza. Como Nosso senhor diz: "Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." João 3:3 É necessário nascer do Espírito; passar pelas águas: "Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus". João 3:5.


Ser limpo da imundícia que nos encontramos desde o nascimento. Portanto, ainda que sejas fiel e fervoroso. E sua esposa seja fiel e fervorosa, não garantirá a salvação de sua descendência. Tal como a árvore que cresce torta nós somos. Que precisa a todo instante ser calçada para encontrar o rumo certo. De mesmo modo nossa natureza nos impele a que todo instante nos policiemos. Porque é no momento de distração que o pecado vem e se não é combatido, se instala e alastra como um câncer.


Davi deixou de ir à guerra por um dia e neste dia pecou. A verdade vem para conhecerem que já nascemos pecadores e somos inclinados ao mal. Por isso há um grande conflito entre a natureza da carne, herdada de Adão, da natureza do Espírito. E nosso desafio é que uma vez encontrado Jesus em nossas vidas permaneçamos em Cristo, a todo instante anulando a carne para vivificar o Espírito.


"Aquele, pois, que pensa estar em pé, olhe não caia". I Corintios 10:12 - II Corintios 5 Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus. Pois neste tabernáculo nós gememos, desejando muito ser revestidos da nossa habitação que é do céu, se é que, estando vestidos, não formos achados nus.


Porque, na verdade, nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos oprimidos, porque não queremos ser despidos, mas sim revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida. Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu como penhor o Espírito. Temos, portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos presentes no corpo, estamos ausentes do Senhor (porque andamos por fé, e não por vista);



Temos bom ânimo, mas desejamos antes estar ausentes deste corpo, para estarmos presentes com o Senhor. Pelo que também nos esforçamos para ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes. Porque é necessário que todos nós sejamos manifestos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal.


Portanto, conhecendo o temor do Senhor, procuramos persuadir os homens; mas, a Deus já somos manifestos, e espero que também nas vossas consciências sejamos manifestos. Não nos recomendamos outra vez a vós, mas damo-vos ocasião de vos gloriardes por nossa causa, a fim de que tenhais resposta para os que se gloriam na aparência, e não no coração. Porque, se enlouquecemos, é para Deus; se conservamos o juízo, é para vós.

Por isso daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne; e, ainda que tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos desse modo.

Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação;

Pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação.


De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus por nós vos exortasse. Rogamo-vos, pois, por Cristo que vos reconcilieis com Deus. Aquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. Pois o amor de Cristo nos constrange, porque julgamos assim: se um morreu por todos, logo todos morreram; e ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.