Web Radio Sertao De Deus


8 de abril de 2009

A VERDADE SOBRE OS CÓDIGOS DE BARRAS E OS CHIP´S






Alguns associam o número 666 das Escrituras Sagradas ao código de barras, outros ao homem mesmo.

7 = número de Deus 6 = número do homem

Deus e o homem são trinos.

Deus = 777 [Pai, Filho, Espírito Santo]
Homem = 666 [corpo, alma, espírito]

Esta página irá apresentar a visão sobre o livro de Apocalipse 13:16 -18 referente ao código de barras.


George J. Laurer, funcionário da IBM desenvolveu e criou o código de barras (1971 até 1973), com o objetivo de agilizar vendas no comércio e evitar erros humanos nas caixas registradoras.

A letra J de seu avô Joseph Laurer (imigrante alemão e maçônico), veja como fica composto o seu nome completo.

George Joseph Laurer 6 6 6


O computador não lê os números abaixo das barras. Estes números são utilizados pelo operador do caixa, somente se houver erro de leitura do scanner


Cada número é composto por 7 unidades. O lado esquerdo (sempre com a primeira unidade vazia, bit=0) é a informação sobre o fabricante e o lado direito (sempre com a primeira unidade preenchida, bit=1) é sobre o produto. Os números do lado esquerdo são espelhos do lado direito, isso permite escanear o código de barras em qualquer direção.


As Barras de Guarda

As 3 barras de guarda (início, meio e fim) estão destacadas em vermelho, seus códigos binários são 101, 01010 e 101 respectivamente. A barra azul refere-se ao código do produto e seu código binário para leitura do scanner é 1010000

A barra do início é codificada como barra-espaço-barra ou 101
A barra de guarda do meio é codificada como espaço-barra-espaço-barra-espaço ou 01010
A barra final é codificada igual a do início barra-espaço-barra ou 101
Essas barras servem para informar ao scanner quando o código do fabricante e código do produto terminam a leitura. Quando o scanner ler a barra 101, ele saberá que a próxima série de números referem-se ao código do fabricante ou ao código do produto. E quando chegar na barra de guarda mediana 01010, saberá qual outro número está vindo, e continuará sua leitura até encontrar a barra de guarda do fim de leitura 101.




Então tecnicamente, pela perspectiva de um computador, o número 666 não está no código de barras.



Analisando as Escrituras Sagradas
A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis. (Apocalipse 13:16-18)



É número de homem - somente pela visão humana é notado nitidamente o conjunto 666 no código de barras, o computador não o interpreta assim. Então é número de homem, não de máquina.

certa marca - por que João nas Escrituras Sagradas utilizou a palavra marca (em grego CHARAGMA) ?

A palavra charagma no Grego registrada em Apocalipse 13:16 significa emblema ou marca. A palavra grega CHARAGMA origina-se da palavra CHARAX e sua tradução é uma paliçada, que significa uma cerca feita com estacas.





Ao olharmos um código de barras, ele é muito parecido com uma cerca feita com estacas. Essa foi a visão que João teve no primeiro século d.C. na ilha de Patmos. Ele estava descrevendo uma certa marca com linhas verticais, o código de barras que conhecemos hoje.


Fim do Código de Barras
O fim do código de barras está com os dias contados, está chegando a nova tecnologia: RFID





www.ahistoriadochip.oi.com.br

Nenhum comentário: