Web Radio Sertao De Deus


8 de junho de 2009

Nova Doença Infecciosa na China


HIV pacientes com maior risco de gripe aviária, diz OMS
02 May 2009 11:53:21 GMT 02 mai 2009 11:53:21 GMT
Source: Reuters Fonte: Reuters
* HIV patients at high risk from flu, need antivirals most * HIV pacientes com alto risco de gripe, necessidade antivirais mais

* WHO fears complications if HIV and H1N1 viruses combine * Quem teme complicações se o HIV e vírus H1N1 combinar

(Adds background on HIV, seasonal influenza, antivirals) (Acrescenta informações sobre o HIV, a gripe sazonal, antivirais)

By Laura MacInnis Por Laura MacInnis

GENEVA, May 2 (Reuters) - People with HIV are at high risk from the new flu strain that the World Health Organisation said is on the verge of a pandemic, the WHO said on Saturday. Genebra, 2 mai (AFP) - As pessoas com HIV estão em alto risco de a nova cepa aviária que a Organização Mundial de Saúde disse está à beira de uma pandemia, a OMS afirmou no sábado.

The United Nations agency said people with immunodeficiency diseases -- including the AIDS virus -- will most likely be vulnerable to health complications from the H1N1 strain, as they are from regular seasonal flu, which kills between 250,000 and 500,000 people a year. A agência das Nações Unidas disse pessoas com imunodeficiência doenças - incluindo o vírus da SIDA - provavelmente será vulnerável a complicações de saúde a partir da cepa H1N1, que são regulares de gripe sazonal, que mata entre 250.000 e 500.000 pessoas por ano.

HIV and the new flu strain could also mix together in a dangerous way, as has occurred with HIV and tuberculosis, the WHO said in guidance for health workers on its website. HIV e da nova estirpe aviária também poderia se misturam em um caminho perigoso, como aconteceu com o HIV e tuberculose, a OMS disse na orientação para os trabalhadores da saúde em seu website.

"Although there are inadequate data to predict the impact of a possible human influenza pandemic on HIV-affected populations, interactions between HIV/AIDS and A(H1N1) influenza could be significant," it said. "Embora existam dados insuficientes para prever o impacto de uma possível pandemia de gripe humana sobre o HIV-populações afectadas, interações entre o HIV / SIDA e A (H1N1) influenza pode ser significativa", ele disse.

"HIV-infected persons should be considered as a high risk and a priority population for preventive and therapeutic strategies against influenza including emerging influenza A(H1N1) virus infection," it said. "Pessoas infectadas pelo HIV, deve ser considerada como um risco elevado e uma prioridade da população para a prevenção e estratégias terapêuticas contra a gripe, incluindo emergentes influenza A (H1N1) infecção pelo vírus", ele disse.

The virus widely known as "swine flu" has been most severe in Mexico, where government authorities say it has killed more than 100 people, and caused more mild symptoms as it spread around the world to countries including the United States, Austria, Israel, New Zealand and South Korea. O vírus amplamente conhecida como "gripe suína" tem sido mais grave no México, onde as autoridades governamentais dizem que já matou mais de 100 pessoas e causou mais sintomas leves como se espalhou por todo o mundo para países incluindo os Estados Unidos, Áustria, Israel, Nova Zelândia e Coreia do Sul. [L2430119] [L2430119]

Although the outbreak remains tiny in scale compared to other epidemics such as malaria, hepatitis, and meningitis, the WHO has raised its pandemic alert level to 5 out of 6 due to its rapid spread as well as the possibility that the flu could cause more devastation in poor and disease-prone communities. Embora o foco permanece pequena em escala, em comparação com outras epidemias como a malária, hepatite e meningite, a OMS levantou seu nível de alerta pandémico 5 das 6, devido à sua rápida expansão, assim como a possibilidade de que a gripe aviária poderia causar mais devastação nos pobres e de doenças susceptíveis comunidades.

Countries with high rates of HIV -- most of which are in Africa -- should work to ensure that vulnerable people get the drugs they need to fight off the flu infection, the WHO said. Os países com elevadas taxas de HIV - a maior parte das quais em África - devem trabalhar para assegurar que as pessoas mais vulneráveis receber os medicamentos de que necessitam para lutar fora da infecção por gripe aviária, a OMS disse.

Antiviral medicines such as Tamiflu and Relenza decrease the duration of virus excretion and the severity of illness when used for treatment of ill patients, and may also prevent illness when used for prophylaxis. Medicamentos antivirais como o Tamiflu e Relenza diminuição da duração da excreção do vírus e da severidade da doença quando usada para o tratamento de doentes, e também pode prevenir doença quando usado para a profilaxia.

"Patients at higher risk for complications of influenza including those with HIV infection should be among those prioritised for antiviral treatment with oseltamivir or zanamivir which shortens illness duration and severity in seasonal influenza," the WHO guidance read. "Os doentes de maior risco para complicações da gripe, incluindo aqueles com infecção pelo HIV entre os que deveriam ser prioridade para o tratamento antiviral com oseltamivir ou zanamivir que encurta doença na duração e severidade a gripe sazonal," orientação da OMS ler.

It is best if people infected with the flu strain start to take the antivirals within 48 hours of the onset of symptoms, according to the WHO. É melhor se as pessoas infectadas com a estirpe aviária começar a tomar a antivíricos no prazo de 48 horas do início dos sintomas, segundo a OMS. There are no known problems with taking those drugs alongside the anti-retrovirals that HIV patients take to suppress their virus. Não são conhecidos problemas com as drogas, tendo ao lado dos anti-retrovirais que o HIV pacientes tomar para eliminar as suas vírus.

According to WHO estimates, there are 33 million people infected with immune-weakening HIV worldwide. Segundo estimativas da OMS, existem 33 milhões de pessoas infectadas com o VIH a nível mundial enfraquecendo-imune. (For the full WHO guidance for HIV patient care, see: http://www.who.int/hiv/mediacentre/influenza_hiv.pdf) (For a factbox on global diseases, click on [ID:nL2430119]) (For more Reuters swine flu coverage, please click here: http://www.reuters.com/news/globalcoverage/swineflu ) (Para a plena orientação OMS para o VIH assistência ao paciente, ver: http://www.who.int/hiv/mediacentre/influenza_hiv.pdf) (Para uma factbox sobre doenças globais, clique em [ID: nL2430119]) (Para mais Reuters gripe suína cobertura, por favor clique aqui: http://www.reuters.com/news/globalcoverage/swineflu)

AlertNet news is provided by AlertNet notícias é fornecido pela

Deus e o vôo 447


TÍTULO ORIGINAL - FALA O PRÍNCIPE

Abaixo parte das resposta do príncipe herdeiro do Brasil, sobre a morte de seu filho na queda daquele avião. A serenidade deste católico fervoroso chegou a me emocionar, e isso me fez chegar a uma conclusão: quão melhor seria termos no governo de nossa nação um homem equilibrado e católico como este! Quanto nossa nação já perdeu nas mãos da "democracia", que sempre apelido de "demoniocracia". Sim, esta é a forma mais segura de colocar mentecatos nos governos das nações, que são escolhidos pela medida de sua loucura, não pela sabedoria.


04.06.2009 - “A esperança se foi”, disse dom Antônio de Orleans e Bragança em entrevista à ÉPOCA. Dom Antônio é o pai do Príncipe Pedro Luiz de Orleans e Bragança, que estava no fatídico vôo 447 da Air France.
Sua Alteza deixa transparecer serenidade em meio à dor; a entrevista, embora curta, possui muito conteúdo exatamente por causa disso. Perguntado sobre como está a família com esta perda, Sua Alteza responde: “Conformados. Somos católicos de muita fé e respeitamos a vontade de Deus”.
O Mallmal perguntou no seu blog onde estavam agora os católicos, para atribuírem à vontade de Deus o acidente aéreo da mesma forma como atribuem à Sua mão os acidentes que são evitados. Pois bem: eis aqui um membro da Família Imperial, católico, em meio à dor da perda de um filho, afirmando respeitar a vontade de Deus no acidente!
E isso conforta. São ainda palavras de Sua Alteza, imediatamente após curvar-se ante a vontade divina: “Muitas pessoas, em horas de sofrimento como esta, questionam erradamente a bondade de Deus. Penso que meu filho era bom demais, e talvez por isso Deus tenha o chamado para perto mais cedo”. Tristeza, sem dúvidas; luto, inegavelmente. Mas um luto sereno, e não desesperado. Isso faz toda a diferença.
Porque a dor é inevitável para quem vive. Nós, católicos, sabemo-lo muito bem; dizemos à Virgem Santíssima todos os dias que a Ela recorremos e suspiramos, “gemendo e chorando neste Vale de Lágrimas”. A dor, repito, não deveria surpreender ninguém cuja religião brotou de uma Cruz no alto do Gólgota. Ao contrário do que parecem acreditar os detratores da Religião, Ela não promete (e nem nunca prometeu) um mundo isento de dores, e sim conforto e fortaleza em meio à dor, um sentido para a dor.
Outrossim, não somos marionetes nas mãos do Altíssimo, como também parecem acreditar os irreligiosos. O Mallmal disse que “quando o Airbus da US Airways caiu no Rio Hudson em Janeiro de 2009, multidões de religiosos (…) [d]esmereceram a incrível habilidade e experiência do piloto, que realizou um pouso dificílimo e arriscado” ao dizerem que foi “a mão de Deus [que] guiou o piloto”. Negativo. A Providência não “age sozinha”, e Deus de ordinário não evita acidentes por meio de milagres no sentido estrito (de uma derrogação das leis da natureza). À Providência de Deus, no caso do avião que pousou no Rio Hudson, coube fazer com que, no avião acidentado, estivesse exatamente um piloto com incrível habilidade e experiência, que conseguisse fazer o pouso arriscado, e não outro piloto inexperiente que não o conseguiria. Não tem ninguém “desmerecendo” a habilidade do piloto quando agradece a Deus, muitíssimo ao contrário. Agradecemos a Deus a habilidade do piloto e a sua presença no momento em que ela foi necessária.
Do mesmo modo, Deus não “derrubou” o avião da Air France no sentido de que uma Mão Gigante tivesse caído dos céus e batido no avião como a gente bate num mosquito. Não é isso que significa a vontade de Deus. O fato é que o avião caiu e ponto; e, se caiu, é porque aprouve ao Onipotente que caísse, porque nem mesmo um passarinho cai por terra sem o consentimento do Deus que está nos Céus (cf. Mt 10, 29). Ao religioso, cumpre reconhecer esta verdade e buscar as forças para vencer a dor em Nosso Senhor Jesus Cristo, cujo Sagrado Coração é fons totius consolationis. Repetimos: a Igreja não prometeu jamais uma terra sem males, e ninguém pode dizer-se enganado quanto a isso.
O que se pode esperar do Onipotente é consolo e fortaleza, e disso a Família Imperial está dando um belíssimo testemunho. Fé, em meio à dor. A pseudo-religiosidade atacada pelos anti-clericais, de um deus que fosse muleta para os fracos e os fizesse acreditar que não sofreriam, não existe na Igreja Católica, porque uma tal religiosidade desmanchar-se-ia qual castelo de areia quando confrontada com a dura realidade que é sempre dolorosa. Mas a Fé Católica resplandece, mesmo durante as tragédias, e as vence e supera porque é maior do que elas. Nossos pêsames a todos os vitimados por esta tragédia; que a Virgem Santíssima possa conceder a Misericórdia do Altíssimo aos que partiram e a Fortaleza do Espírito Santo aos que ficaram.
Fonte: http://www.deuslovult.org/

www.recados.aarao.nom.br