Web Radio Sertao De Deus


9 de setembro de 2011

Revelações de Deus Pai à Santa Catarina de Sena - No Juízo Particular





Fala Deus Pai:

"No Juízo Particular, no instante final, quando a pessoa compreende que não pode fugir das Minhas Mãos recupera a visão que a atormenta interiormente fazendo-a ver que por própria culpa chegou a tão triste situação."

"Se o pecador se deixar iluminar e se arrepender, não por medo dos castigos infernais, mas por ter ofendido a Suma e Eterna Bondade, AINDA SERÁ PERDOADO. Mas, se ultrapassar o momento da morte nas trevas, no remorso, sem esperança no Sangue, ou então, lamentando-se apenas pela infelicidade em que se acha - e não por ter Me ofendido - irá para a perdição. Sobrevirá pois, a repreensão pela injustiça e falso julgamento."
"Em primeiro lugar a repreensão da injustiça e do julgamento falso em geral, praticados no conjunto de suas ações, durante a vida; depois, em particular, do último instante quando o pecador considera seu pecado maior que a Minha misericórdia. Este é o pecado que não será perdoado, nem aqui nem no além."
"O desprezo voluntário da Minha misericórdia constitui pecado mais grave que todos os anteriores"
"Filha, tua linguagem é incapaz de descrever os sofrimentos desses infelizes condenados."
"Sendo três os seus vícios principais - egoísmo, medo de perder a boa fama e orgulho - aos quais se acrescentam a injustiça, a maldade e impureza, no inferno os pecadores padecem de quatro tormentos principais.
O primeiro é a ausência da Minha visão. Um sofrimento tão grande que os condenados, se fosse possível, prefeririam sofrer o fogo vendo-Me, que ficar de fora dele sem Me ver.
O segundo, como conseqüência, é o remorso que corrói o pecador privado de Mim, longe da conversação dos anjos, a conviver com os demônios.
Aliás, a visão do diabo constitui o terceiro tormento.
Ao vê-lo duplica-se o sofrer. Nestes (demônios), eles se conhecem melhor, entendendo que por própria culpa mereceram o castigo. Assim o remorso os martiriza e jamais cessará o ardor da consciência.
Muito grande é este tormento, porque o diabo é visto do próprio ser; tão horrível é a sua fealdade, que a mente humana não consegue imaginar. Se ainda o recordas, já te mostrei o demônio assim como ele é; foi por um átimo de tempo. Quando retornastes ao sentido, preferias caminhar por uma estrada de fogo até o juízo final que tornar a vê-lo. No entanto, apesar do que viste ignoras a sua fealdade, especialmente porque, segundo a justiça divina, ele é visto mais ou menos horrível pelos condenados, segundo a gravidade das culpas.
O quarto é o fogo. Um fogo que arde sem consumir, sem destruir o ser humano.
É algo de imaterial, que não destrói a alma incorpórea. Na Minha justiça permito que tal fogo queime, faça padecer, aflija; mas não destrua. É ardente e fere de modo crudelíssimo em muitas maneiras, conforme a diversidade das culpas. A uns mais, a outros menos, segundo a gravidade dos pecados.
Destes quatro tormentos derivam os demais: o frio, o calor, o ranger de dentes (Mt, 22,13)
Grande é o ódio dos condenados, pois já não amam o bem. Blasfemam continuamente contra Mim!
Queres saber por que já não podem desejar o bem? É porque, no fim desta vida, vincula-se o livre arbítrio.
Com o cessar do tempo, já não se merece mais. Quem termina esta existência em pecado mortal, por direito divino fica para sempre apegado ao ódio, obstinado no mal, a roer-se interiormente.
Seus sofrimentos irão aumentando sempre, especialmente por causa das demais pessoas que por sua causa irão para a condenação. O homem justo (no mesmo Juízo) ao encerrar sua vida terrena no amor, já não poderá progredir na virtude. Para sempre continuará a amar no grau de caridade que atingiu até Mim.
Também será julgado na proporção do amor. Continuamente Me deseja, continuamente Me possuí; suas aspirações não caem no vazio. Ao desejar, será saciado; ao saciar-se, sentirá ainda fome; distanciando-se assim, do fastio da saciedade e do sofrimento da fome. Os bem-aventurados gozam da Minha eterna visão.
Cada um no seu grau, de acordo com a caridade em que vieram participar de tudo o que possuo.
Desfrutam na alegria e gozo - dos bens pessoais e comuns que mereceram.
Colocados entre os anjos e santos com eles se rejubilam na proporção do bem praticado na terra.
Entre si congraçados na caridade os bem-aventurados de modo especial comunicam-se com aqueles que amaram no mundo. Não penses que a felicidade celeste seja apenas individual.
Não! Ela é participada por todos os cidadãos da pátria, homens e anjos.
Quando chega alguém à vida eterna, todos sentem sua felicidade da mesma forma como ele participa do prazer de todos. Em seus anseios os eleitos clamam continuamente diante de Mim em favor do mundo inteiro.
Suas vidas haviam terminado no amor fraterno; continuam no mesmo amor. Aliás, foi exatamente por tal caridade que passaram pela porta que é Meu Filho Por ocasião do Juízo Final, o Verbo encarnado virá com divina majestade para repreender o mundo. Não mais se apresentará pobrezinho na forma como nasceu da Virgem, na estrebaria, entre animais, para morrer depois no meio de ladrões.
Naquela ocasião, ocultei nEle o Meu poder e permiti que suportasse penas e dores como homem.
A natureza divina se unira a humana e foi enquanto homem que sofreu para reparar as vossas culpas.
No juízo final, não será assim, pois virá com poder a fim de julgar.
As criaturas humanas estremecerão e Ele a cada um dará sentença conforme merecimento.
Tua língua não conseguirá exprimir o que se sucederá aos condenados.
Para os bons, Jesus será motivo de temor santo e alegria imensa. Os bem-aventurados continuam no céu, eternamente, aquele mesmo amor com que encerraram a vida terrena. Eles em nada se distanciam de Mim. Seus desejos estão saciados. Anseiam em ver-Me glorificado por vós viandantes e peregrinos que sois em direção à morte. Aspirando por Minha honra, querem vossa salvação e sempre rogam por vós; de Minha parte, escuto os seus pedidos naquilo em que vós, por maldade, não opondes resistência à Minha bondade. Os bem-aventurados desejam recuperar os seus corpos; todavia não sofrem por sua ausência.
Até se alegram, na certeza de que tal aspiração será realizada.
A ausência do corpo não lhes diminui o prazer, não é angustiante, não faz sofrer.
Nem julgues que a satisfação de ter o corpo após a ressurreição lhes traga maior bem-aventurança.
Se isso fosse verdade, seria sinal que a felicidade anterior era imperfeita, enquanto não o reouvessem, e isso não pode ser. De fato, nenhuma perfeição lhes falta. Não é o corpo que faz feliz a alma, mas o contrário.
Quando esta recupera o corpo no dia do juízo, participará ele da plenitude e da perfeição da alma.
Naquele dia, esta se fixará para sempre em Mim, e o corpo em tal união, ficará imortal, sutil, leve.
Deves saber que o corpo ressuscitado pode atravessar uma parede, que o fogo e a água não o ofendem.
Tal propriedade lhe advém, não de uma virtude própria, mas por uma força que gratuitamente concedo à alma, que foi criada à Minha imagem e semelhança num inefável ato de amor.
Tua inteligência não dispõe da capacidade necessária para entender, nem teus ouvidos para escutar, a língua para narrar e o coração para sentir qual é a felicidade dos santos. Ocupei-Me da felicidade dos santos para que entendesses melhor a infelicidade dos condenados ao inferno. Aliás, outro tormento destes últimos, é ver quanto os bem-aventurados são felizes. Tal conhecimento acresce-lhes a pena, da mesma forma como a condenação dos maus leva os justos a glorificar Minha bondade.
A luz é mais evidente na escuridão, e a escuridão na luz. Conhecer a alegria dos santos é dor para os réus do inferno. Os condenados aguardam com temor o dia do juízo final. Sabem que então seus sofrimentos aumentarão. As escutar o terrível convite: " mortui, venite ad judicium", a alma retornará ao corpo. Para os bem-aventurados será um corpo de glória; para os réus um corpo para sempre obscurecido. Diante do Meu Filho, sentirão grande vergonha.
Também diante dos santos. O remorso martirizará a profundidade do seu ser, quero dizer, a alma; mas também o corpo. Acusa-los-ão: o Sangue de Cristo, por eles derramado; as obras de misericórdia, espirituais e corporais, do Meu Filho, o bem que eles mesmos deveriam ter praticado em benefício dos outros, segundo o evangelho. Terá seu castigo a maldade com que trataram os irmãos, pois Eu mesmo, compassivo, perdoara-lhes (Mt 18,33).
Serão repreendidos pelo orgulho, egoísmo, impureza, ganância; e tudo isso reavivará seus padecimentos.
No instante da morte, somente a alma é repreendida; no juízo final também o corpo, por ter sido instrumento da alma na prática do bem e do mal conforme a orientação da vontade.
Todo bem e todo mal é feito através do corpo por este motivo, Minha filha, os justos terão no corpo glorificado uma luz e um amor infinitos; já os réus do inferno sofrerão pena eterna em, seus corpos, usados para o pecado.
Ao recuperar o corpo diante de Jesus ressuscitado, os réus sentirão tormento renovado e acrescido: a sensualidade sofrerá na sua impureza, vendo a natureza humana unida à divindade, contemplando este barro adâmico - vossa natureza - colocada acima de todos os coros angélicos, enquanto eles, os maus, estarão no mais profundo abismo.
Os condenados verão brilhar sobre os eleitos a liberalidade e a misericórdia, quais frutos do Sangue de Cristo; saberão das dificuldades suportadas pelos bons e que agora se mostram em seus corpos como frisos de adornos para as vestes. O valor de tais sofrimentos físicos não provém do corpo mas da riqueza da alma; é ela que dá o corpo o merecimento da luta como companheira da prática das virtudes.
Tal exteriorização se verifica porque o corpo manifesta o resultado das batalhas das alma, como o espelho reflete a face do homem. Ao se verem privados de tamanha beleza, os habitantes das trevas verão surgir nos próprios corpos os sinais dos pecados e terão maiores tormentos e confusão.
E ao soar aquela terrível sentença: "Ide, malditos, para o fogo eterno".
Suas almas e corpos encaminhar-se-ão para a companhia de demônios, sem mais remédios nem esperança.
Cada um a seu modo, se envolverá na podridão que viveu na terra, de acordo com as ações que praticou: o avarento arderá na sua ganância dos bens que desordenadamente amou; o maldoso, na sua ruindade; o impuro na imunda e infeliz concupiscência; o injusto nas suas iniqüidades; o rancoroso no seu ódio pelos outros. Quanto ao egoísmo fonte de todos os males arderá como princípio causador de tudo em sofrimentos insuportáveis. O orgulho terá igual sorte.
Assim, corpo e alma serão punidos em todos os vícios. Sirvo-Me do demônio qual instrumento da Minha justiça para atormentar os que Me ofendem.
Nesta vida o coloquei qual tentador, molestando os homens. Não para que estes sejam vencidos, mas para que conquistem a vitória e o prêmio pela comprovação das virtudes. Ninguém deve temer as possíveis lutas e tentações do demônio. Fortaleci os homens, dei-lhes energia para vontade, no Sangue de Cristo.
Demônio ou criatura alguma conseguem dobrar a vontade. Ela vos pertence, é livre.
Vós é que escolheis o querer ou não querer alguma coisa. Eu disse que o demônio convida os homens para a água-morta, a única que lhe pertence, cegando-os com prazeres e satisfações do mundo.
Usa o anzol do prazer e fisga-os mediante a aparência de bem. Sabe ele que por outros caminhos nada conseguiria; sem o vislumbre* de um bem ou satisfação, os homens não se deixam aprisionar; por sua própria natureza, a alma humana tende ao bem. Infelizmente, devido à cegueira do egoísmo, o homem não consegue discernir qual é o bem verdadeiro, realmente útil ao corpo e à alma.
Percebendo isto, o demônio, maldoso, apresenta-lhe numerosos atrativos maus, disfarçados porém sob alguma utilidade ou prazer. A certeza da Minha presença em suas vidas, é o conhecimento da Minha verdade. Tal conhecimento se realiza na inteligência que é, o olho da alma; pupila de tal olho é a fé.
Pela iluminação da fé, eles distinguem, conhecem e seguem a estrada mensagem do Verbo Encarnado.
Sem a fé ninguém reconhece tal estrada, à semelhança daquele que possuísse o olho, mas coberto por um pano. Sim, a pupila desse olhar é a fé; nada verá quem cobrir sua inteligência com o pano da infelicidade, por causa do egoísmo. Tal pessoa terá a inteligência, mas não a luz para conhecer.
Como afirmei antes, ninguém consegue seguir o caminho da verdade sem a luz da razão - recebida de Mim com a inteligência - e sem a luz da fé, infundida na hora do santo batismo, supondo que não destruais esta última com vossos pecados


Fonte: http://www.movelandia.com.br/juizo.htm

PEÕES DO JOGO FINAL

Artigo N.º 8548 - PEÕES DO JOGO FINAL
Algumas imagens são ilustrativas

Decididamente eu não sou jogador de xadrez, não porque não conheça os rudimentos dele, mas porque não tenho a paciência que ele exige. Porém, do pouco que sei, posso afirmar que no mundo de hoje acontece algo parecido com este jogo. Há um tabuleiro firmado entre dois contendores aguerridos. De um lado o bem, de outro o mal. De um lado Deus, do outro o demônio. De um lado os filhos e filhas de Deus a Ele ligados, de outro os filhos das trevas e seus seguidores, ligados ao inferno que os rege.

 
Claro que esta luta sempre esteve em curso desde que os anjos maus se revoltaram contra o Criador, e desde que existem almas humanas em disputa, e ferrenha disputa. E disso poderemos, já de arrancada, perceber o imenso valor da alma humana, pois são mais de sete milênios de batalha, no curso da qual houve já milhões de mortos, falo das almas perdidas eternamente, os que seguiram outros deuses. Eis os filhos do abismo infernal! Mas também bilhões de santos hoje povoam os céus, herdeiros do amor, herdeiros da vida porque filhos e filhas do Pai Eterno, para a plena e eterna felicidade junto de Deus, Uno e Trino. Todos participam deste jogo, peões, rainhas, torres, cavalos, cada um com seu papel, o destino cada um faz o seu como fruto da gloriosa liberdade das criaturas inteligentes.
 
Mas agora estamos no tempo final, da última batalha desta disputa, que embora desde sempre tenha já seu veredicto gravado nas Sagradas Escrituras, em respeito à mesma liberdade e em atenção à Palavra Eterna, deve cumprir seu tempo, seguir seu curso até o termo anunciado no plano do Altíssimo. Um termo que está próximo do desfecho final, do cheque mate dado pelo Juízo Final, quando tudo deve voltar para Deus, para a ordem, para a alegria, para a paz eterna. Menos para os rebeldes, os obstinados, os traidores, os escarnecedores, e todos aqueles que mentem ao povo dizendo que assim vai bem, quando este mundo se abisma na destruição, na ruína. Ai dos que dizem isso, os acontecimentos próximos os atropelarão!
 
É visível, até mesmo para os cegos de nascença, para os surdos e até para os mortos nos túmulos, que este mundo vai muito mal, com a imoralidade chegando aos abismos, o pecado emporcalhando a terra, a apostasia alcançando índices nunca vistos, e aquilo que se pode chamar de um verdadeiro cataclismo, a luta dos homossexuais ativos, para que seu pecado seja reconhecido como um bem. Mais do que isso, que a sociedade, em peso aceite seu direito de pecar em praça pública, sob pena de crime. E por mais terrível que absurdo que seja, que eles possam criticar abertamente quem não concorda, possam cuspir na Igreja Católica, possam blasfemar contra a Bíblia e fazer uso satânico dos nossos objetos sagrados, sem que possamos esboçar uma palavra, sequer um gesto em nossa defesa. Em defesa do Sagrado!  Eis a diabólica tirania do mal, vislumbre do império de satã. Eis como o filho das trevas, o anticristo, deseja governar a terra.
 
Eis aí os cavalos negros do xadrez infernal, lutando ferozmente para derrubar qualquer obstáculo que possa se opor aos seus satânicos objetivos. Sob o amparo da lei, da imensa maioria das nações, sob o látego da “discriminação” da “homofobia” e dos “direitos das minorias”, eles avançam, já como vencedores, financiados regiamente até mesmo com dinheiro público, no que se unem, governantes e celerados, no mais terrível desafio já lançado contra Deus desde que existe o homem na terra. E como se percebe a orquestração generalizada, em quase todos os países ao mesmo tempo, de que estas leis sejam aprovadas, temos aqui o sinal claro de que tais governos e tais pessoas, obedecem já a ordem do filho de satanás, que nos bastidores prepara sua triunfante aparição.
 
Está em jogo a vida humana. E está em jogo a posse das almas. Está em jogo o tesouro mais precioso que existe no Universo – a verdadeira vida em Deus... Ou não, – num embate que, quando terminado, deixará poucos vivos neste planeta. Meu falecido avô, João vindo da Alemanha, nos falava que “os antigos diziam que chegaria o tempo onde quando uma pessoa encontrasse outra sairia correndo, pensando que fosse um fantasma”. Exageros a parte, em muitas regiões do planeta será quase assim. Isso porque é tão monumental o embate que virá, é tão assombroso o poder em armas postas na luta – de ambos os lados – que não há como imaginar uma solução fácil, simples, porque é um horror o que vem. O demônio não deixará barata sua expulsão daqui!
 
Torres, cavalos, peões, a rainha, as peças de ódio no tabuleiro, todas em frenesi, no topo o príncipe negro, Lúcifer. Deles emana um sopro maléfico, putrefato, que contamina todos os ambientes e parece inibir os bons, acabrunhar os menos ligados em Deus, e calar quase todo o exército do bem, que parece cada vez mais impotente diante do avanço do mal. Na primeira notícia de hoje, soube que se reúnem agora nos Estados Unidos uma plêiade de altas autoridades, com o objetivo de estudar artifícios legais que amparem os pecados, os vícios nefandos, e as taras diabólicas daqueles que sentem atração sexual por crianças. Sim, crianças, pequeninos, desde os dois anos de idade. Será um milagre se alguma voz americana se levantar contra estes demônios. O mais certo é que saia uma lei favorável neste sentido. Então alguém ainda tem coragem de perguntar o motivo pelo qual nações inteiras afundarão no mar?
 
Buscam palavras de efeito, próprios da língua bífida da serpente, que o povo “do bem” ache bonitas, soem bem aos ouvidos, quando são veneno mortal para as almas. Buscam que o estado, separado de Deus, possa legislar contra Ele, contra a Lei Eterna, mesmo que arrombem a própria consciência de pecado e as barreiras da lei Natural, dando corda a todos os instintos mais bestiais – perdão às feras irracionais, os homens são bem piores – e ainda que isso signifique o fim deles mesmos. Porque jamais uma só civilização já havida e erguida neste planeta, subsistiu por muito tempo num nível de depravação qual ao que chegamos hoje. Quando a razão dá lugar à bestialidade, nem os demônios servem de parâmetro para comparar certos homens e mulheres. Estes são bem piores que aqueles. E andam por aí, sorrindo, no meio do povo! E sendo eleitos!
 
Na mesma lista e na mesma linha, a exigência da legalidade pelo direito de matar as crianças no ventre das mães, de forma intencional ou inconsciente, aberta ou oculta feita por todos os tipos de anticoncepcionais, eis o insano crime de fulminar inocentes indefesos no aconchego de milhares úteros – ventres malditos, algo diabólicos, eis que cantam hinos de louvor a Lúcifer – marcha a humanidade assim para seu extermínio, eis que mata seus futuros gênios, a flor da vida. Imaginar que o Criador suporte por muito tempo este descalabro – tenho certeza de que nas últimas décadas já ultrapassamos um bilhão de abortos – é fazer pouco caso do autor e dono da vida humana, é fazer de Deus um cego, surdo e mudo. É zombar da Justiça Eterna e escarnecer dos mandamentos e da Lei: não matar! Cada aborto intencional é um canto de amor a Lúcifer, o anjo negro!
 
A humanidade está suspensa, inteira, por um fio. Eu, você leitor, nossos filhos, amigos e parentes, todos estamos agora, exatamente como na cesta de um imenso balão, e ele é inflado por hidrogênio que é inflamável. Acaso você já viu algum filme antigo sobre a queda e a queima daquele imenso balão, o Hindenburg, construído pelos alemães? Viu isso? Pois estamos exatamente agora na mesma situação dos passageiros que morreram naquele desastre. Logo virá uma fagulha, uma centelha que porá fogo no balão, e então virá o imenso caos em todo este planeta. Porque todos estamos juntos, a odisseia é de toda a humanidade. Não demora e virá este fogo do Juízo e da condenação dos maus, Deus sabe a hora. Mas é próxima, disso podem ter certeza! Ai do balão, ai do povo!
 
Óbvio que no balão está o combustível do mal, o dinheiro que move economia moderna. Ele é manipulado por satanás constituído o príncipe deste mundo. E ele tem narcotizado mais de metade da humanidade, que não percebe o abismo aos nossos pés. O balão já não voa silencioso, porque a trepidação dos últimos acontecimentos tem abalado a economia mundial, como rescaldos para todas as nações. Não somente as bolsas tremem, mas as nações tremem. O diferente entre esta e outras crises é que na última, de 2008, eram alguns bancos em “dificuldade” que consumiram 23 trilhões de dólares dos governos – seu último sangue – na tentativa de evitar já então o caos econômico e o pânico nos mercados, e agora que treme são os governos.
 
Veja, é muito diferente e mesmo insignificante eu dizer que um banco esteja falido, do que eu dizer que uma nação está falida. Mesmo que esta nação seja a Grécia ou a Irlanda, que não representam nem 0,5% da economia mundial, importa saber que o banco tem algumas centenas de funcionários, enquanto o senso de 2009 apontava na Grécia uma população de 11.283.293 habitantes. Mas que dizer dos Estados Unidos, o gigante americano, agora nitidamente em coma, cuja população até dezembro próximo deve fechar em 300 milhões de habitantes e cuja economia representa quase 50% da economia mundial? Que fará a humanidade inteira já na casa dos sete bilhões?
 
Ou seja: na crise de 2008 a besta escondeu da humanidade o estado já falimentar destas nações, e por que então abre agora o jogo, denunciando aquilo que embora evidente não era do conhecimento público? Porque agora é tempo de abrir a “caixa de pandora” da economia mundial, com toda a malignidade que ela contém, de exploração, de sangue, de usura, e de morte apresentando uma realidade que é cruel: pode-se se dizer que absolutamente todos os governos, todos os países, todas as grandes cidades do mundo, todos os estados e corporações estão falidos, simplesmente porque um depende do outro, e todos estão pendurados no balão dos papéis de vento, com seus créditos, débitos e outros empréstimos impagáveis. Todos eles devem mais do que um ano de arrecadação, e embora haja algumas nações mais seguras, importa saber que eles vivem dos créditos que têm, junto aos outros e se aqueles falirem, estes também desabam.
 
Que farão, ao final deste ano de 2011, os 7.000.000.000 de seres humanos – calcula-se que ao final deste ano romperemos a barreira seis e entraremos na casa sete – quando explodir este balão da estupidez econômica? Percebam os arranques do mercado de ações, cada vez mais violentos. O que se instalou na economia mundial agora foi o germe da desconfiança generalizada, ou da falta de confiança na recuperação econômica destes países, e que tem feito os aplicadores mundiais migrarem para uma e outra posição do mercado, na louca tentativa de salvar seu patrimônio. Milhares há agora, migrando para o ouro e a prata, metais nobres cujos preços explodem no mercado e cujos estoques se acabam, mal sabendo que adiante, a simples posse destes metais preciosos sem o devido certificado da besta, dará sumária pena de morte ao portador.
 
Hoje ao meio dia eu dizia para minha esposa e filhos, que o mercado mundial hoje mais parece uma imensa carniça sendo disputada pelos abutres. Cada um quer pegar o melhor naco, mesmo que ele esteja podre. O mercado de ações é um brinquedo de convenções, já feito agora um cadáver podre. Não é a saúde da empresa que determina o valor da ação nem mesmo o patrimônio dela e sim a gula dos acionistas, principalmente a sanha dos especuladores. Vamos supor que estejam estes investidores todos, ao redor de uma mesa como estas de pôquer, e diante deles estejam amontoadas milhares de fichas. O procura por uma e a venda da outra fazem o valor das fichas subirem ou descerem, de acordo com a loucura do mercado e a voz sibilante da serpente dos boatos. Eles ficam brincando de comprar e vender, uma ficha que no fundo não vale nada, é um mero papel. Um crédito de vento, sem respaldo em ativos de valor.
 
Neste momento em si, a empresa, lá longe, não tem nada a ver. Na mesa do pôquer diabólico, suas fichas estão nas estratosferas, mas na pratica ela está no chão. Continua viva e produzindo! E agora eu pergunto: Que vai acontecer quando todos os vendedores, das ações de todas as empresas, resolverem ir buscar o valor de suas fichas? Simples! Não haverá dinheiro para pagar ninguém, e será feliz quem trocar uma ficha de 100 por apenas um. Ou seja, o mercado de ações é uma bandida brincadeira, um sujo mercado de papéis de vento, sem valor algum, mas com o pendor diabólico de colocar ao solo toda a economia mundial. Em toda parte somente se vê sujeira, manipulações malignas, que no fundo regem uma economia fantasma. São os peões da fera, jogados de um lado para outro, confundindo a humanidade, que se acha segura quando já está morta.
 
Milhões de pessoas ricas hoje, em todo mundo, vivem como nababos, fiados nestes papéis de vento, em seus créditos de ficção, sejam ações, títulos de crédito, e mesmo que sejam dinheiro vivo, mesmo ouro e prata, mesmo patrimônios gigantescos, mal sabendo que tudo isso é fantasia, não gera nada, não produz nada, é estéril e, portanto não tem valor algum. Mas pergunto: qual o rico, qual o empresário, qual o investidor, qual o dono das mais extensas e valiosas propriedades, qual do dono da mais imensa fortuna nos bancos do planeta, que tendo tudo isso, não a daria por um simples prato de comida, se isso lhe significasse a diferença entre o morrer de fome, e o viver mais um pouco? O mesmo se dirá de um mero copo de água, a diferença entre o morrer de sede e o viver. Compreenderam o que de fato tem valor?
 
Aqui, neste parâmetro se pode notar a incontestável fragilidade humana, e se pode ver e perceber que não passamos de simples vermes, que somos nada diante Daquele que por nós vela, dia e noite. De fato, que é um homem faminto, sentado sobre uma montanha de ouro, se está a morrer de fome ou de sede? É meditando nesta fragilidade que a sabedoria nos manda buscar além de nossas forças um suporte, capaz de suprir e de minimizar nossa condição de vermes feitos de pó. Eis o divisor que estará posto em breve diante dos nossos olhos em breve: decidir pela montanha de ouro aqui, e morrer seco sobre ela, ou aceitar os manjares das mãos do próprio Deus, para uma vida de paz e de alegrias sem fim. No amor e na partilha voluntária, amorosa e total!
 
Interessante observar que hoje, especialmente entre os sacerdotes, eles que buscam este reino de fartura para todos e ainda aqui na terra, quando falamos na proximidade deste reino do amor e da paz, da fartura e da partilha total, são os mais tenazes em nos combater. Qual seria a explicação para tão absurdo procedimento? Simples: porque eles não aceitam que isso se fará apenas por Deus, com Deus e em Deus, achando que será feito sim, mas por eles, pelos homens, sem a participação do Criador. Não aceitam que isso se fará pela força da oração – por isso a combatem – mas pela força até das armas, se isso for necessário e por isso defendem a luta no campo. Quando nada disso está nas Escrituras, muito pelo contrário!
 
Como temos anunciado, nestes anos todos, estamos chegando ao tempo em que se irão cumprir as últimas profecias, onde serão revelados os últimos arcanos, e desvendados os últimos segredos de Deus. Os livros já foram abertos por Jesus, a Ele foi dada a chave capaz de revelar ao mundo estes últimos mistérios e as datas. Pouco a pouco, através de seus servos os profetas Ele revela as últimas disposições de Deus, e faz colocar no tabuleiro da última batalha, em cada lugar, as pedras vencedoras. São brancas, são da mais fina matéria – porque imortal – e nenhuma delas será eliminada pelo exército negro, porque Jesus assim disse ao Pai: não perdi a nenhum daqueles que me deste!
 
O mesmo não se dará no lado das pedras negras. Quando soar o brado de vitória final, quando a trombeta do anjo, como está em Apocalipse18 1 Depois disso, vi descer do céu outro anjo que tinha grande poder, e a terra foi iluminada por sua glória. 2 Clamou em alta voz, dizendo: Caiu, caiu Babilônia, a Grande. Tornou-se morada dos demônios, prisão dos espíritos imundos e das aves impuras e abomináveis, 3porque todas as nações beberam do vinho da ira de sua luxúria, pecaram com ela os reis da terra e os mercadores da terra se enriqueceram com o excesso do seu luxo. Sim, luxúria desenfreada, impureza abissal, abominações terríveis, escândalos de luxo, esbanjamento, orgias, pecados sem conta!
 
Por causa disso Deus alerta, 4 Ouvi outra voz do céu que dizia: Meu povo, sai de seu meio para que não participes de seus pecados e não tenhas parte nas suas pragas, 5 porque seus pecados se acumularam até o céu, e Deus se lembrou das suas injustiças. 6 Faze com ela o que fez (contigo), e retribui-lhe o dobro de seus malefícios; na taça que ela deu de beber, dá-lhe o dobro. 7 Na mesma proporção em que fez ostentação de luxo, dá-lhe em tormentos e prantos. Pois ela disse no seu coração: Estou no trono como rainha, e não viúva, e nunca conhecerei o luto. 8 Por isso, num só dia virão sobre ela as pragas: morte, pranto, fome. Ela será consumida pelo fogo, porque forte é o Senhor Deus que a condenou.
 
Em vista disso, Hão de chorar e lamentar-se por sua causa os reis da terra que com ela se contaminaram e pecaram, quando avistarem a fumaça do seu incêndio. 10 Parados ao longe, de medo de seus tormentos, eles dirão: Ai, ai da grande cidade, Babilônia, cidade poderosa! Bastou um momento para tua execução! 11 Também os negociantes da terra choram e se lamentam a seu respeito, porque já não há ninguém que lhes compre os carregamentos:..  14 Eis que o bom tempo de tuas paixões animalescas se escoou. Toda a magnificência e todo o brilho se apagaram, e jamais serão reencontrados. Babilônia não é só uma cidade, é esta civilização completa, com todas as cidades do mundo, porque todas serão devastadas, arrasadas e queimadas, até apagar todos os vestígios do mal.
 
 Então, 15 Os mercadores destas coisas, que delas se enriqueceram, pararão ao longe, de medo de seus tormentos, e hão de chorar e lamentar-se, dizendo: 16 Ai, ai da grande cidade, que se revestia de linho, púrpura e escarlate, toda ornada de ouro, pedras preciosas e pérolas. 17 Num só momento toda essa riqueza foi devastada! Todos os pilotos e todos os navegantes, os marinheiros e todos os que trabalham no mar paravam ao longe 18 e exclamavam, ao ver a fumaça do incêndio: Que havia de comparável a essa grande cidade? 19E lançavam pó sobre as cabeças, chorando e lamentando-se com estas palavras: Ai, ai da grande cidade, de cuja opulência se enriqueceram todos os que tinham navios no mar. Bastou um momento para ser arrasada! 
 
Por isso, 20 Exulta sobre ela, ó céu; e também vós, santos, apóstolos e profetas, porque Deus julgou contra ela a vossa causa. 21 Então um anjo poderoso tomou uma pedra do tamanho de uma grande mó de moinho e lançou-a no mar, dizendo: Com tal ímpeto será precipitada Babilônia, a grande cidade, e jamais será encontrada. 22 Já não se ouvirá mais em ti o som dos citaristas, dos cantores, dos tocadores de flauta, de trombetas. Nem se encontrará em ti artífice algum de qualquer espécie. Não se ouvirá mais em ti o ruído do moinho, 23 não brilhará mais em ti a luz de lâmpada, não se ouvirá mais em ti a voz do esposo e da esposa; porque teus mercadores eram senhores do mundo, e todas as nações foram seduzidas por teus malefícios. 24 Foi em ti que se encontrou o sangue dos profetas e dos santos, como também de todos aqueles que foram imolados na terra.
 
Primeiro há de furar o imenso balão da riqueza fictícia, porque fruto do sangue dos pobres, do suor dos explorados, do hálito de vida negado aos abortados e dos milhares de vítimas humanas oferecidas em holocausto aos demônios. Sangue, sangue, de mil guerras provocadas por exploração e domínio, roubo escancarado e diabólico em nome da “colonização” e do crescimento econômico. Nada e nem um cêntimo sequer, ficarão sem ser bem cobrados, quando Babilônia for esmagada no cadinho da ira divina. Não pelos pés do Senhor que volta em Glória, mas pela própria maldade da fera, que se engolfará no próprio sangue.
 
Meus amigos, estamos vivendo agora os últimos momentos de Babilônia. Que significa isso? Babilônia é este mundo confuso em que vivemos, com milhões de leis, regras, remendos sobre remendos, que tenta escapar das dez regras áureas da divina lei. É este fantasma econômico, gigantesco, paquidérmico, estufado, doentio e já em coma, que parece forte, parece indestrutível, mas na verdade é verme e se arrasta. Somente a besta ladina sabe que 90% do paquiderme econômico mundial é carne firme. E ela já tem nas mãos exatamente toda a carne e a estrutura, aquilo que realmente vale, para no momento oportuno deitar mãos em todo o patrimônio da humanidade. O resto inteiro será mandado às favas, que vá trabalhar ou mendigar, e grande parte o merecemos porque nós os deixamos agir, até chegar neste ponto de solução impossível. Se pelo menos rezássemos o suficiente, mas nem isso nós fizemos! Agora é suportar o tranco!
 
Mas temos algum tempo ainda e dá para fazer muita coisa! Ha tempo de mover o coração de Deus, pelo menos para minimizar os efeitos da catástrofe, pelo menos aqui em nosso país, este pelo qual somos responsáveis. Mas é preciso que se levante, com amor, tenacidade, firmeza, oração e fé, este gigante construtor da civilização atual, falo do homem cristão! Sem os seguidores de Jesus Cristo, jamais teríamos erguido aquilo que hoje está posto diante de nossos olhos, agora posto nas mãos do mal. Falo dos homens e mulheres de fé, os que confiados na Virgem Santíssima, se disponham em avançar em ordem de batalha. É com a Mulher Maria que chegaremos à vitória!
 
Assim, todos os que acreditam na reformulação do mundo, todos os que desejam dar uma terra plena de felicidades aos seus filhos, todos os que desejam uma paz duradoura e um mundo em Deus, são chamados a agir, com vigor, amor, ardor e fé. Nenhuma pessoa a quem Deus deu a graça de compreender os sinais dos tempos tem direito de ficar calado, nem direito de ter medo porque em Deus há fortaleza porque será cobrado adiante, eis que chega o Juiz Eterno. A partir do próximo dia 25 começaremos a nova investida com o Folder, para que milhares mais acordem para a realidade: este mundo atual está no fim, e não se lamente por isso! Que não caiamos com ele!
 
Levantemos então nossa voz e “gritemos sobre os telhados” aquilo que nosso coração sente, porque vem de Deus. Não demos ouvidos às vozes doutorais nem teologais que criaram milhares de ficções sobre Deus e agora nadam neste mar de heresias. Nosso estandarte é a cruz, carregada com paciência mesmo entre os escárnios dos cegos e os uivos da matilha do “sempre teve isso”. Não importa o que digam, importa semear agora, porque logo, logo os acontecimentos irão atropelar os doutores e calar os teólogos. Nada nos poderá impedir de alertar o mundo e de salvar estas alminhas incautas, que se fazem surdas aos apelos do Céu. Cada alma tem valor infinito!
 
O amor a Jesus é o que deve gritar mais alto, o comando de Maria é que deve ser obedecido. Eucaristia e Maria! Comunhão e Rosário! Adoração e oração! Sem discutir nem contrapor, porque isso interessa apenas ao inimigo. Que venha logo a refrega final e que tudo acabe rápido, pois se nada acontecer neste sentido, em breve não restará um só homem temente a Deus neste planeta. É pela espada do amor que cairão, um a um, todos os inimigos de Deus, falo dos peões do inferno, dos cavalos da corrupção, das torres do orgulho – riquezas e exércitos – das rainhas da besta fera – os condutores da destruição – e de Lúcifer aquele que sendo príncipe sempre lutou para ser rei.
 
Quando Rei existe apenas um, Jesus Cristo e para sempre! E uma Rainha, e para sempre, Maria, Imaculada, Virgem e Mãe do Universo! Com eles a vitória é certa e próxima! Que sejamos para eles os fiéis "peões" do amor, os valentes "cavalos" da verdade, e as inquebrantáveis "torres" da fé. Não há o que temer! Cheque mate!(Aarão)


Fonte: http://www.recadosaarao.com.br/

GIGANTE MORTO







Noutro dia, antes de encerrar minha luta, dei uma passada na internet sem nenhum objetivo prévio e acabei me prendendo mais meia hora analisando as coisas que acontecem hoje no mundo. Mas me veio à mente e tentei responder a uma pergunta muito simples: como é que quase sete bilhões de seres inteligentes que habitam nosso planeta, se deixaram enganar por apenas alguns velhos, feios, encalacrados, enrugados, encanecidos e trôpegos? Como é que este mundo inteiro com milhares de homens e mulheres “inteligentes” não foi capaz de reagir e em tempo, uma vez que o processo que está levando ao eclipse desta civilização do mal, não começou há uma semana atrás com a convulsão das bolsas, e o tremor dos mercados, mas vem desde os séculos? 

 
Na década de 80, quando por falta de um professor formado eu dava aulas da matéria de economia aos alunos do curso Técnico em Contabilidade, passeando já pelos textos da época e analisando as tendências de mercado, pude antecipar para meus alunos, exatamente aquilo que está hoje acontecendo no mundo. Como é que um simples rábula deste fim de mundo consegue ver com 30 anos de antecedência, aquilo que somente nos últimos dias se vê gente “inteligente” denunciando, mostrando e provando, até porque está vendo? Óbvio que isso não se dá por mérito algum, mas por graça do Poderoso, entretanto as pessoas que vegetam neste meio, milhões delas, com largos estudos, títulos, comendas e outros quesitos do orgulho humano, deveriam sim, antever, e agir em tempo, evitando este mal. Claro, muitos têm suas consciências vendidas aos que pagam seus salários.
 
Digamos que em primeiro lugar o Próprio Deus, tendo em vista Seu plano de amor para com a humanidade, tenha permitido que as coisas andassem desta forma, para chegar ao pré abismo em que chegamos. Suponhamos que Ele deseje mesmo que mergulhemos até o fundo do sepulcro econômico, não somente para de lá nos resgatar, sem mérito nosso, mas como prova de Seu Poder infinito. Quem sabe até isso tenha acontecido, pela vontade Dele, para dar uma última lição em Lúcifer e seus sequazes, mostrando que o homem, apesar de sua fraqueza e miséria é capaz de vencer a fera, até mesmo dentro de seu fértil terreno, o do dinheiro? Penso que tudo isso ao mesmo tempo! No fundo, serão os humildes e pequenos a derrotar os fortes, poderosos, ricos e arrogantes. Quem anseia matar é que será extirpado da face deste planeta.
 
Já falamos aqui, exaustivamente, sobre tudo aquilo que nos pareceu necessário esclarecer sobre a economia mundial, uma vez que se esconde ali o cadafalso, por onde despencará em breve a humanidade. De fato, Satanás foi constituído por Deus como o Príncipe deste mundo, e foi dado a ele o poder de administrar as riquezas, até como arma de sedução e de perdição das almas. E, sem dúvida, o amor ao dinheiro, aos bens é a causa maior do povoamento do inferno. É pela concessão da riqueza aos que nela se prendem, aos que se agarram ao dinheiro de tal forma até o ponto de idolatrá-lo, que Satã conduz o mundo inteiro, seja dando trilhões para uns, seja incitando a avareza de outros mesmo na posse de tostões. Milhões há e houve que fazem e fizeram do ter o seu deus, esquecendo-se Daquele que é o real dono, dispensador e mantenedor de tudo.
 
Naturalmente que se nós falamos em economia, em riquezas, em dinheiro, em bolsas, em mercados, em negócios, e isso em todos os setores por onde transitam as riquezas deste planeta, não conseguiremos jamais concentrar em algumas páginas o gigantismo da coisa. Ademais, tudo isso procede de séculos de negócios que enriqueceram pessoas, formaram patrimônios pessoais gigantescos, e mais do que isso, fizeram com que certas nações ditas ricas e poderosas, extorquissem das nações mais frágeis tudo aquilo que Deus lhes dera para o próprio crescimento e manutenção, pelos séculos. Guerras de opressão, de domínio, de extorsão e de roubo foram promovidas pelos mais fortes, a pretexto de colonização, e até de civilização e evangelização. Quantos rios de sangue!
 
Ambas, as duas grandes guerras mundiais foram tramadas, urdidas, planejadas como astúcia ímpar, para no fundo enriquecer uma pena claque, já entupida de dinheiro e dona de gigantescos conglomerados financeiros, que manipulando os dois lados da disputa conseguiu multiplicar em milhares aquilo que já eram bilhões. Notadamente quem enriqueceu com tais guerras foram os EUA, hoje tido como o país mais poderoso do planeta. E foi exatamente tentando entender como é que esta nação “poderosa” chegou ao ponto em que está que me fixei na pesquisa de ontem. E a pergunta que me fiz, foi esta: como é que eles, com tanta riqueza, tantos meios de pressão, tanto roubo, tanta opressão, tantas armas, tantos exércitos, tanto poderio bélico, deixou-se chegar ao estado de falência atual? Científicos, poderosos, ricos... Como caíram nesta arapuca?
 
Na minha pequena experiência em contabilidade, lidando com as mais diferentes firmas em mais de 30 anos de trabalho, percebi que duas coisas atrapalhavam a vida das firmas, e as destruíam: 1 – Quando os lucros da sociedade não davam mais para sustentar todas as mordomias dos sócios – e suas esposas gastadeiras. Neste caso começava a guerra entre os sócios até a dissolução. 2 – Quando os filhos dos sócios eram levados para dentro das empresas a administrar. Ali começavam guerras sem fim, porque todos querem mandar, ninguém obedecer.
 
Numa linha mais ou menos parecida se deram as manobras que levaram esta nação a um dos procedimentos mais estúpidos, mas insensatos, mais insanos dentre todas as nações do planeta. Pode até que seja um povo inteligente, mas da Sabedoria que vem de Deus eles não têm nada. Devo lembrar que aquela nação já teve diversos presidentes que foram assassinados, e certamente isso aconteceu porque contrariaram, na verdade apenas tentaram contrariar os interesses de poderosos grupos financeiros, que desde séculos tramavam o domínio do planeta, implantando no mundo um governo único, sob a tirania de Lúcifer, seu mentor e o deus ao qual adoram. Sim, falo de pessoas que recebem ordens diretas de satanás e que cumprem milimetricamente seus projetos. Para estes o Príncipe deste mundo lhes deu todo o dinheiro que quisessem, para poderem comprar tudo aquilo que desejassem, inclusive a alma dos americanos.
 
Sim a alma da economia americana, falo do Federal Reserve, a chave do tesouro dos Estados Unidos, que foi estupidamente entregue nas mãos dos banqueiros insaciáveis, que hoje são, sem dúvida alguma, os verdadeiros governantes daquela nação. Ontem eu pude assistir algumas colocações de exaltados patriotas americanos, que por não terem acesso aos altos meios de comunicação, estão hoje indo às praças, de megafones em punho, diante dos bancos e conglomerados, chamando de ladrões a aqueles que lhes roubaram até a alma. São poucas vozes gritantes, como gemidos no meio do deserto, de gente que se vê na iminência de morrer, mas já não consegue ter voz para gritar a toda a nação que ela irá junto ao abismo, e que eles já estão com um pé no vazio. Basta só um pequeno empurrão, e virá o fim.
 
Isso se deu nas primeiras décadas do século passado, onde através de manipulações, compra de deputados e senadores, crimes, assassinatos, pressões, mentiras, e todo tipo de instrumento diabólico, a nação americana abdicou da soberania de controlar seu banco central – o Federal Reserve – inclusive dando a este grupo de banqueiros o direito de controlar a emissão de moeda. Mas por qual motivo a nação em peso não se revoltou não se exaltou e retirou daquelas garras diabólicas, a alma de sua economia? Porque espertamente a fera dona dos bancos fez toda a nação nadar na riqueza junto com eles, deu corda para a gastança, e tendo a prerrogativa de emitir moeda a bel prazer, conseguiu que seu maldito dólar fosse aceito como reserva de valor, que foi encampado pelo mundo inteiro. Gastavam impunemente sem causar inflação!
 
Ou seja, enquanto todos nadavam na riqueza, então tudo bem, as pessoas iam e vinham por toda a nação, que era a “joia dos povos” e o símbolo do progresso mundial, eis Tiro do comércio, eis a Babilônia atual. A besta enquanto enriquecia a 1000 por hora, deixava o povo americano voar a 100, e este ia contente, sem se dar conta de que tudo tem limite, nada cresce infinitamente. Não se davam conta, em sua extrema arrogância, que se achando livres, na verdade estavam todos guiados pelo cabresto de satanás, e este sempre cobra caro muito o preço de suas doações. Este povo, na verdade, sempre presou muito sua “freedom”, sua liberdade, mais eis que agora começa a perceber a imensidade de sua insensatez. Aquela estatua que está em frente a Nova York, na verdade agora parece ser símbolo de escravidão. E ela tem nas mãos um malho para bater em todos. E ela desabará junto com toda aquela nação! Seus crimes são muitos!
 
Por tudo o que pude ver ontem, consigo antever uma grande revolução dentro daquele país, uma revolta que começa a se alastrar como um rastilho, e isso será o estopim que obrigará a besta agir, antes que seja atropelada pela revolta popular. O fato é que agora o povo americano começa a perceber que tudo não passou de uma farsa, que durante mais de 80 anos foram literalmente governados pelos banqueiros, que governavam tanto o presidente – e elegiam aqueles que eles quisessem – quanto controlam os dois grandes partidos, democratas e republicanos. Agora eles estão percebendo que estes filhos das trevas, por frente parecem brigar nas casas legislativas, mas quando estão por trás das cortinas, sentam-se juntos, bem vinhos finos enquanto riem da cara do povo idiota. São eles quem ditam qual vai ser o Presidente, vejam as tramas na eleição de Obama, e aquela de Bush, qualquer pessoa sabe que foi manipulada.
 
Num das entrevistas que vi, dadas pelo Alan Greenspan, ex todo poderoso dirigente do Federal Reserve, se pode notar como ele disse com todas as letras, na mais extrema frieza, que de fato são eles que comandam a nação americana, e mais que isso, disse que “ninguém pode com eles”. Uma frase destas, se difundida pela nação certamente pode provocar um incêndio. E é isso que está por acontecer. Embora a mídia, toda ela sob o comando férreo dos dominadores, ignore estas manifestações populares, na realidade não pode fingir que isso nada tem a ver, porque não existe pessoa hoje na terra, que não se incomode nem um pouquinho, quando mexem nos seus bolsos, fazendo ganhar de menos ou gastar demais em impostos. Tenham certeza, o que começou lá aos poucos, pode levar aquele país a uma guerra civil, até porque, tendo também aprovado o aborto e matando “legalmente” em torno de 4,5 milhões de crianças por ano, sua conta grita e geme diante do Trono de Deus. E isso irá acontecer nestas nações.
 
Tudo isso eu coloco para mostrar o início da fervura, agora temos ali uma panela de pressão debaixo da qual, aos poucos mais e mais se atiça o fogo. O fato é que durante séculos ali tem sido montada uma nação, que se tornou opressora, ladra e insensata, porque colocou seus destinos nas mãos de satanás, de quem colocou o olho em sua moeda. Na opressão pelo dinheiro! Não quero entrar mais neste terreno porque me causa mal estar, mas efetivamente tudo ali é satânico, diabólico, um povo orgulhoso ao extremo, que a pretexto de manter a paz no mundo, na realidade promove a guerra. E guerra que sempre tem dois objetivos escusos pelo menos: 1 – Manter ativa e viva sua poderosa indústria bélica, maligna e assassina; 2 – Extorquir as nações atingidas, seja para coibir que cresçam e atrapalhem seus objetivos econômicos, seja para manter domínio escravizante sobre o mundo, e terem acesso barato e mesmo aviltante às matérias primas para suas indústrias.
 
Assim, embora aparentemente a besta faça sentir que não está preocupada com a ação e a reação popular, eles no fundo sabem que é de uma centelha que nasce um fogo, que tanto pode ser mísera chama, como incêndio de grandes proporções. Não é atoa que ela quer eliminar nove em cada dez habitantes do planeta – isso no mínimo – porque sabe que o levante desta massa incrível é mais poderoso que mil cataclismos e mais destruidor que meras avalanches. Ainda mais agora, que a fera abriu a caixa das desgraças econômicas, revelando que de propósito ela faliu as nações, os estados, as cidades e também grande parte da humanidade. Porque todos eles estão imobilizados por dívidas impagáveis, as quais revelam o cinismo e a maldade destes seres repulsivos.
 
Óbvio que não somente nos EUA aconteceu tal coisa. Também nas outras nações do planeta isso acontece porque os tentáculos da fera hoje dominam o mundo inteiro, uma vez que as nações se interdependem. E pode acreditar que o projeto que está em vias de ser implantado através da Nova Ordem Mundial, é algo aterrador. Vejam que nós já pagamos hoje pela terra, pela água e pelo fogo, três dos quatro elementos da natureza, mas até hoje não pagávamos pelo ar, que é comum a todos. Pois acreditem, pelo projeto da fera, estabelecido na reunião de Copenhagen na Dinamarca, pretende-se implantar mundialmente um imposto que em síntese incidirá sobre o ar, pelo direito de respirar.
 
Ou seja, já pagamos pelo direito de comer e de beber, já pagamos até para morrer, eis que agora teremos de pagar pelo direito de viver, de respirar – uma vez que todos respiram igualmente – imposto este que incidirá tantos sobre os ricos quanto sobre os miseráveis, certamente com destino a pena de morte de quem não pagar. É em vista de cobrar este imposto que os amaldiçoados tanto falam no “aquecimento global”, fazendo o povo acreditar que cada um de nós, por excesso de ar respirado é responsável pela destruição do planeta. Eis mais um motivo pelo qual querem dizimar as populações, se colocando no lugar de deuses, porque alegam, mentirosamente, que é o excesso de pessoas que causa o aquecimento, o que é comprovadamente uma farsa. Está a soldo do diabo quem alega tal disparate, porque os cientistas sérios comprovam que a terra está de fato esfriando. Ademais, Deus é o Senhor da temperatura. Ele a controla de segundo a segundo, dia e noite, pelos séculos e milênios.
 
E se pergunta: pagar tal imposto para quem? Para o governo mundial, para manter um truculento exército assassino, para escravizar todos os povos e eliminar todo tipo de resistência, criando assim um rebanho bestializado com dois destinos horrendos: 1 – Serem procriadores para entregar os filhos ao estado que os “educará” para serem demônios vivos; 2 – Trabalharem como escravos, drogados, produzindo riquezas para a fera, que dominará sobre todos como um anhangá, um gênio do mal, porque Lúcifer quer provar a Deus que o ser humano – criatura que ele julga desprezível – somente adorará de fato, se for pela opressão, a tirania, o ódio brutal e a ameaça de morte. É isso que nos espera adiante, quando chegar o império do anticristo. E ele chega, vem com manhas de santidade, com argumentos falaciosos de paz, mas sua língua é bífida, é de serpente, não se enganem.
 
Assim, o que aconteceu nos Estados Unidos, de certa forma acontece em todo mundo, com a única diferença, nas nações, é que em outros países os Bancos Centrais estão nas mãos do governo, que dita as políticas econômicas. Isso não quer dizer que não sejam mal administrados ou usados pelos celerados em favor de grupos, bem ao contrário, mas também não permite que um universo de 300 milhões de pessoas seja dominado por apenas uma dezena de velhotes cheios de ódio, acima do governo, do congresso e das leis, até de Deus. E mais, é tão dominado tal povo, que se achando senhor é de fato escravo. Achando-se livre é títere de uma besta infernal. Pobre povo que se deixou levar pela paixão cega pelo dinheiro, e se acostumou tão mal vivendo da exploração e das benesses que só os dominadores têm acesso. Eis o imperialismo anglo-americano, que levará o mundo ao abismo. E planeta ao domínio de satanás!... Por um curto tempo!
 
 No fundo, no Brasil não é diferente. A custa de pão e circo, de esportes e pequenas migalhas atiradas da mesa dos senhores, nós construímos uma nação formada por uma raça impensante, imediatista, completa cega para a realidade, que se contenta com a miséria e delicia-se em sonhar em como participar do roubo dos grandes. Um povo que foi incapaz de analisar o estado miserável em que o mesmo tipo de governo que temos aqui – comunismo e não democracia – deixou em nações como Cuba e outras. Um povo que foi capaz de entregar seus destinos para os antigos assaltantes de bancos e ex-guerrilheiros, não pode ser considerado livre, nem independente. Um povo que não percebe a escravidão a que é submetido ao capital estrangeiro, e é cabresteado pela mídia ao consumo acima das posses, já é escravo, e sua situação é irreversível. Ele mesmo já não consegue quebrar os grilhões que o fazem obedecer aos dominadores. É exatamente deste tipo de gente que o anticristo precisa para serem seus adoradores. Logo virá um golpe no Brasil, algo de diabólico acontecerá em nosso governo.
 
Tudo isso meus amigos eu coloco para que percebam o quanto o demônio conseguiu cegar o mundo inteiro, que pendurado em seu ídolo o dinheiro, agora se vê a beira do abismo, porque decididamente não tem mais volta, não existe solução humana possível. As notícias da economia mundial que nos chegaram hoje são assustadoras. Falam de alguma catástrofe grave no sistema de túneis dos EUA onde eles armazenam armas atômicas, falam da difusão por outros países e continentes dos desmaios súbitos em milhares de pessoas. Falam da falência mundial! Tudo isso tem a ver com a desintegração dos elementos prevista por São Paulo em tessalonicenses II, uma prova segura de que o Universo já foi abalado pelo homem, porque é de lá estão vindo estas desgraças. Tudo o que o homem criou sem Deus, desabará como um castelo de areia!
 
Em suma, tudo isso faz parte de uma passagem do Apocalipse que fala do “silêncio do Céu”, quando aos poucos, com o devido cuidado para não nos deixar todos morrer, Deus se retira da terra por um tempo, para dar passagem ao anticristo. Então terra, mar, água, humanidadecuidado, porque o demônio se atirou sobre voz cheio de grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta... Há muitas pessoas vendo o inimigo, tanto em forma de gente como de animais, sua fúria é louca e quanto mais Deus se retirar, mais espaços o inferno preencherá na terra. Ai de quem não estiver preparado, juntinho de Deus. Ai dos sacerdotes que calaram, deixando de alertar o povo. Eles serão atropelados pela fúria dos elementos desencadeados. E ficarão pasmos diante da própria cegueira!
 
Mas nós não devemos temer nada, absolutamente nada. Nem mesmo o inimigo se ele aparecer em nossa frente, porque ele é proibido de tocar naqueles que estão em Deus. Ele pode fazer cara feia, urrar e ameaçar, mas nem um só fio de cabelo cairá de nossa cabeça sem a permissão de Deus. O temer e o tremer, o apavorar-se e o morrer de medo são para os escarnecedores, os cegos e os cegados, aqueles que preferem continuar ignorando os sinais do Céu. Porque não demora e “os homens definharão de medo”, diante do tumulto das nações, dos povos em fuga diante do troar das armas em guerra, da fúria insana dos vulcões e dos efeitos perniciosos das bombas. Na medida em que Deus se retirar daqui, o mundo atual será ferido de morte, “e ele cairá para nunca mais se levantar”.
 
Quanto ao gigante americano, se destino é a profundeza dos oceanos, porque está escrito “dá-lhe em dobro em tormentos e prantos, o que ele fez em sofrimentos aos outros”. Porque Forte, Gigante, Grande, Invencível, Eterno, Infinito e Onipotente é apenas o Deus que condenou Babilônia! Sim, com ele cairão todas as nações que se fiaram no dinheiro, no poder de seus exércitos, nas maravilhas de sua ciência e na eficácia de sua pobre tecnologia. Agora, como se diz, “vai ou racha”, e o grito é o mesmo de São Miguel: “Quem vai com Deus”? Porque o inferno é para quem lutar contra Ele até o fim! (Aarão) 


Fonte: http://www.recadosaarao.com.br/

A VINDA DA JUSTIÇA



INTENSIFICAI VOSSAS ORAÇÕES PELOS MEUS FILHOS PREDILETOS, PORQUE MUITOS SE DESVIARAM DO CAMINHO E SE DEIXARAM SEDUZIR POR MEU ADVERSÁRIO.

29 DE AGOSTO DE 2011 1:50 AM

CHAMADO URGENTE DE MARIA SANTIFICADORA À HUMANIDADE.

ALTO DE GUARNE (ANT)

Meus amadíssimos filhinhos, que a paz do Deus Uno e Trino esteja convosco.
Meus pequenos, os dias da vinda de meu Filho estão muito próximos, mas vos digo, que primeiro deveis ser purificados; está próxima a hora da agonia para a humanidade, a criação de meu Pai está clamando justiça e o meu Pai a enviará sobre os habitantes da terra. Nações inteiras desaparecerão, o pranto e o desespero se apoderarão da humanidade, o fogo brotará das entranhas da terra e os terremotos em cadeia destruirão muitos países. O inverno assolará muitas regiões, tormentas e mudanças climáticas severas, anunciarão a vinda da justiça divina. Os homens enlouquecerão, o dinheiro rolará pelo solo e não servirá de nada, o céu se escurecerá, as estrelas perderão o brilho e a terra será um vale de lágrimas.Pobres de vós que não quereis escutar, nem atender a nossos chamados, porque ireis vos perder!

Filhinhos meus, é a hora de vestir vossa Armadura Espiritual completa, porque a batalha por vossa liberdade está para começar. No final meu Coração Imaculado trinufará, mas antes, deveis caminhar comigo pelo deserto; uni-vos, pois, a Mim, meus amadissímos filhos, confiai nesta Mãe que não vos desamparará; rezai meu Santo Rosário, que é poderosa arma contra meu adversário; vos digo, que quanto mais rezardes, ficareis sempre mais unidos a Mim, e mais rápida será vossa libertação.

Caminhai segurando na minha mão, porque o lobo procurará por todos os meios afastar-vos de mim; rezai e rezai, só a oração vos trará a liberdade. Não percais mais tempo em futilidades e preocupações mundanas, preocupai-vos mais com vossa salvação, porque este mundo que conheceis está por acabar. A criação com todas as suas criaturas será purificada, só os que passarem por esta purificação alcançarão a coroa da vida. Deixai, pois, filhos meus, de estar preocupados com as coisas deste mundo, só uma coisa é importante, vossa salvação. Ai daqueles que se dedicam a acumular riquezas, porque receberão sua paga! Digo-vos, filhihos insensatos, que todas estas coisas pelas quais vos desvelais, cairão como ruínas e sem valor algum. De que vos servirão vossas riquezas no dia da justiça divina? Refleti nisto, porque a hora da desolação está muito próxima, se vós não recorrerdes à Misericórdia de meu Pai que se dará através de Seu Aviso, vos asseguro que perecereis e o mais triste, perdereis vossas almas.

Filhinhos rebeldes o tempo está se esgotando e a vida de vosso espírito está em jogo; despertai, despertai, porque o tempo já não é tempo! Aproveitai o pouco tempo q vos resta para que salveis vossas almas, porque vos digo, que depois do aviso e do milagre, o que virá será desolação e morte. Se vós recorreis desde já a meu Pai, vos asseguro que alcançareis misericórdia, do contrário, vossas almas se perderão na passagem da justiça divina.

Rebanho de meu Filho, estejais prontos e preparados para o combate espiritual, não temais, eu estou convosco, confiai em vossa Mãe Celestial e deixai-vos guiar por mim, e nada do que está por vir vos tocará. Eu não permitirei que o meu adversário cause dano algum às ovelhas de meu Filho; vos digo, filhinhos fiéis, que se vós me confiardes vossos filhos rebeldes, eu, vossa Mãe, não permitirei que se percam, por amor a vós. Eu sou vossa Mãe Celestial, a que mais deseja a vossa salvação; não sejais tão indóceis, escutai o chamado que estamos fazendo através de nossos profetas e ungidos destes últimos tempos; vos digo, que nunca antes houve tanta efusão do Espírito, como sucede no presente. Estou me manifestando em diferentes lugares, para ver se despertais; minhas lágrimas inundam a criação, meu coração de mãe está transpassado por vossos pecados, o céu chora comigo vendo tanta miséria humana, tanto desprezo por Deus, na humanidade destes últimos tempos.

Filhinhos, o céu faz muitos esforços para que a humanidade destes tempos reflita, a igreja triunfante e a padecente se unem a mim, para interceder diante do Pai, por esta humanidade ingrata. O inferno está cheio de almas e o mais triste, a maioria delas são jovens que se negaram a escutar a voz de Deus, e deram as costas à Sua Misericórdia. Filhinhos, estou muito triste pelos meus filhos prediletos, que estão se condenando, o inferno tem um lugar reservado para eles. Não sabeis quanto sofro e choro por meus filhos prediletos que estão dando as costas a meu Filho, para seguir este mundo e seus prazeres. Intensificai vossa oração pelos meus filhos prediletos, porque muitos se desviaram do caminho e se deixaram seduzir pelo meu adversário. Os pecados da carne, do orgulho, o dinheiro, a nova era, a falta de oração e o desviar-se do caminho do evangelho, está fazendo com que muitos de meus prediletos se percam e se condenem.

Não sabeis, filhinhos meus, a dor que sente meu Filho ao ver perder-se tantos de Seus filhos, meu Filho chora e revive seu calvário por cada sacerdote que se perde, por isso vos peço que redobreis vossas orações pelos meus filhos prediletos, não os critiqueis, não julgueis, não os aponteis, orai por eles e pedi por sua santificação, pois meu adversário ataca com força maior a todos os eleitos, e em especial a meus filhos prediletos. Cada vez que um sacerdote se condena, o céu chora e meu Filho é transpassado pela lança do pecado com o qual ele se condenou. Orai e velai por estes filhinhos meus, porque a hora da justiça divina está para começar, não vos afasteis de meu Filho e de Mim; caminhai pela senda do bem, para que possais alcançar a glória de Deus. Eu vos amo e vos levo escondidos em meu Coração.
Vossa Mãe: Maria Santificadora.

Dai a conhecer esta mensagem em todos os confins da terra.(Tradução Maria)

Fonte: http://recadosaarao.com.br/index.asp