Web Radio Sertao De Deus


24 de novembro de 2010

Padre Rufus Pereira


 
Imagem apenas ilustrativa
+ Detalhes: Ampliar Imagem ]   



Padre Rufus Pereira

"A cura interior é necessária para uma libertação efetiva e duradoura"

Durante sua passagem pela Canção Nova dos dias 12 a 17 de novembro – quando conduziu o Acampamento de Cura e Libertação – o sacerdote indiano e exorcista padre Rufus Pereira concedeu uma coletiva para as mídias do Sistema Canção Nova de Comunicação sobre a necessidade de cura e libertação das pessoas. Abaixo você confere um trecho da entrevista.


cancaonova.com: Qual a importância de trilhar um caminho de cura e libertação?


Padre Rufus: Como tenho escrito – com frequência em meus livros e nas pregações –  existe algo que é negligenciado pelas pessoas até mesmo no ministério de libertação: depois que uma pessoa recebeu oração de libertação é preciso se certificar de que ela está liberta. Temos de nos certificar de que aquela pessoa vai manter a sua cura. O próprio Jesus nos alertou sobre isso, ou seja, que quando o espírito mau deixa a pessoa ele vai querer voltar. Orientamos a pessoa que recebeu a cura sobre a necessidade de passar mais tempo em oração, de ler a Bíblia e, especialmente, de se engajar numa boa comunidade paroquial que a ajude a trilhar um caminho com Deus. Dessa forma, ela vai manter a cura durante toda a sua vida.


cancaonova.com: Muitas pessoas deixam de receber oração de cura e libertação com medo de possíveis manifestações. O que dizer a essas pessoas?

Padre Rufus: A mesma coisa que Jesus disse a todos: "Não tenhais medo!". Eu posso testemunhar que eu era o rapaz mais tímido e medroso que já existiu e o Senhor escolheu a mim para fazer este trabalho perigoso e difícil. E eu digo às pessoas que essas coisas são apenas manifestações, nada vai acontecer com elas e com os demais. Nós dizemos nos encontros que elas podem vir tranquilas, pois nada vai lhes acontecer. Digo-lhes, então, a mesma coisa que Jesus: "Não tenhais medo!".


cancaonova.com: Que influência existe entre as doenças psíquicas e a ação do demônio na vida das pessoas? Há relação entre ambas?

Padre Rufus: A relação existe e ela está tanto no problema quanto na solução. Com frequência, quando as pessoas têm ferimentos e mágoas profundas, isso pode abri-las aos ataques diabólicos. Da mesma maneira, quando ajudamos a pessoa a realizar uma cura emocional profunda, automaticamente as portas são fechadas para os ataques das forças malignas. Por isso eu sempre faço esta declaração quando dou formação para padres e pessoas desse ministério [cura e libertação]: que a cura interior é necessária para uma libertação efetiva e duradoura, da mesma forma que a libertação é necessária para uma cura interior efetiva e necessária.

cancaonova.com: Quais são as formas mais comuns de contaminação?

Padre Rufus: A comida e a bebida são as formas mais poderosas de ataques do inimigo de Deus nas pessoas, mas existem outras formas pelas quais nós podemos nos abrir à ação do demônio, especialmente os jovens que estão abertos a certos tipos de programas na internet e na televisão, além das músicas. Existem casos de jovens que acabaram quase que possessos simplesmente por ouvir músicas satânicas e há casos de pessoas que se contaminaram recebendo presentes de pessoas que se diziam amigas, até mesmo no dia do casamento. Muitas vezes, esses presentes são canais para que as pessoas sejam vítimas dos ataques das forças do mal, da mesma forma podemos dizer que marcas no corpo, como tatuagens, podem abrir as portas para o maligno; e até mesmo as imagens religiosas precisam ser abençoadas. No entanto, a forma mais comum de contaminação é quando as pessoas vão a lugares que aparentemente estariam fazendo o bem, mas que estão a serviço das forças do mal.


cancaonova.com: Existe uma forma de evitar essas contaminações? Qual a diferença entre uma contaminação e uma possessão?


Padre Rufus: A possessão acontece, mas é mais rara. Geralmente acontece quando a pessoa convida as forças do mal para possuí-la; pode acontecer quando a pessoa participa de rituais satânicos, infelizmente, não tão raros no Brasil. Pode acontecer quando a pessoa foi consagrada na sua concepção ou no seu nascimento e também pode acontecer quando a pessoa é levada, por engano, a frequentar locais onde cultos satânicos são realizados simuladamente. Como São Paulo diz na Bíblia, com frequência o demônio se apresenta como um anjo de luz e São João diz algo semelhante: que as forças do mal fazem isso para confundir os eleitos. Então nós temos que ser sábios e não tolos.


cancaonova.com: Em vindas anteriores ao Brasil, o senhor declarou que suas experiências de cura e libertação aqui eram também para fins de estudo. Quais são as conclusões que o senhor tem tirado desses estudos?

Padre Rufus: Na minha conclusão, depois de ter ajudado tantos casos e atendido tantas pessoas, vejo que do que mais o Brasil precisa (além é claro de uma boa base econômica – sei disso muito bem) é a libertação dos ataques demoníacos nos casamentos e famílias e a cura nos relacionamentos, nos matrimônios e nas famílias. Todas as vezes em que eu venho aqui tenho a esperança de que Jesus mude tudo; a gente sente a compaixão que Jesus sente por cada pessoa. Como eu disse,  gostaria de rezar pessoalmente por cada uma das 200 mil pessoas que passaram por aqui e não pararia até saber que todas foram curadas, mas é uma questão de tempo, porque eu acredito que o Senhor fará todo o restante.



Fonte: cancaonova.com


Nenhum comentário: