Web Radio Sertao De Deus


29 de maio de 2009

ONDE CONFESSAR?


A paz de Cristo!
Olá Arnaldo venho hoje contar um fato que me aconteceu ontem.





Aqui na minha cidade tem um santuário dedicado à Nossa Senhora onde são rezadas novenas em honra a Ela das seis da manhã até às oito horas da noite, todos os dias. O santuário é pequeno e simples e fica localizado num bairro antigo da capital. Ontem fui à novena na intenção de me confessar e chegando lá, observei uma infinidade de pessoas e também de ambulantes ao redor da Igreja que vendiam de tudo: comida, camisas, chaveiros, novenários, terços, crucifixos e etc... Perguntei aonde ficava a fila do confessionário e fui informada que ficava fora da igreja, numa salinha dos fundos. Achei estranho, mais fui mesmo assim. A fila estava pequena, porém, parecia um feira livre! As pessoas conversavam quase gritando e sorriam alto, fazendo com que eu perdesse a concentração.
Ao chegar minha vez, me depaei com um padre alto, de fiosionomia estrangeira e muito sorridente. Ao sentar-me numa cadeira à sua frente logo fiquei desconcertada porque ele me olhou com um "olhar avaliativo", fez o sinal da cruz e eu comecei a contar os pecados:
Ao começar dizendo: padre, dai-me a vossa benção porque pequei, ele começou a rir. Fiquei sem graça, pois não sabia se o que estava fazendo era CERTO ou ERRADO. De tanto olhar para cara dele e para seu sorriso meio irônico, eu me desconcentrei e não sabia mais o que dizer, fiquei repetindo a mesma coisa e ele fazendo um ato de impasciência e rindo olhava para cima, para baixo, para o lado para a porta e eu já estva quase pra sair correndo. Foi quando me interrompeu e falou algumas coisas meio desconexas. não sabia se me levantava e saia ou se ficava ali mesmo. Fiz mais duas perguntas e ele mudou de assuno e não respondeu, começou a procurar nas minhas mãos a aliança de casamento aí disse: "Ah você é casada?" (não entendi se ele queria saber se eu era casada na Igreja ou não...)
Fui me confessar por causa de uma coisa que eu fiz essa semana e me deixou muito mal, mas NÃO CONSEGUI ABRIR A BOCA. Não saia nada, eu tentava, mas não conseguia falar. Só falei uma coisa e depois comecei a chorar inexplicavelmente. Senti uma angústia tão grande que me deu falta de ar aí ele disse para eu rezar o ato de contrição, quando comecei ele me interrompeu novamente e me deu a absolvissão juntamente com minha penitência. Eu me levantei e saí PIOR DO QUE EU ENTREI.
Pensei que tivesse acontecido só comigo, mas quando minha amiga saiu de dentro do confessionário seus olhos estavam arregalados e ela estava nervosa. Quando chegamos em casa ela me disse que o Padre brigou com ela e mandou que levantasse (ela confessa de joelhos) porque Deus é amor e misericórdia e ela não precisava se ajoelhar, isso era auto-condenação. Que ela não acreditasse em tudo o que o povo dissesse sobre o que é ser pecado. Continuando ela de joelhos, ele perguntou:"minha filha, você não está incomodada não? seus joelhos não estão doendo? nem seu corpo, nada?" E ela me disse que ele riu dela tabém.
Esse homem me passou um medo e uma angústia enexplicável, me senti muito mal e sua resença me causou desespero. Não sei explicar, mas ele tinha alguma coisa estranha, não sei se estava cansado de tanto ouvir confissões, mas eu nunca tinha sentido tanta angústia numa confissão, geralmente quando saio de uma, me sinto leve, feliz e em paz...

Resposta > este não é um confessor, mas um cínico, notadamente com más intenções.
Ele pagará muito caro este desamor. Milhares de padres não sabem nada da Igreja, menos de tudo como confessar este seu caminho de sua santificação. Que horror ter que passar por isso...
Mas infelizmente a igreja está cheia destes padres mal preparados e por isso chegamos ao estado desesperador para tantas almas.. Logo Jesus virá acertara tudo isso...


www.recados.aarao.nom.br

Nenhum comentário: