Web Radio Sertao De Deus


13 de fevereiro de 2012

PADRE GABRIELE AMORTH



PADRE GABRIELE AMORTH

Famoso Exorcista da diocese de Roma.

CONFISSÕES DO INFERNO
AO MUNDO CONTEMPORÂNEO

2. Exorcismo de 14 de agosto de 1975 - Parte II.

E - Sacerdote exorcista.

J - Judas Iscariotes.

J - Se eu A tivesse então escutado! (aponta para Cima) ELA estava perto de mim... (geme com uma voz horrível.)

E - Quem é que estava perto de ti? Fala, em Nome (...).

J - ELA, lá em cima (aponta para Cima), mas eu repeli-A.

E - Continua, Judas, diz o que tens a dizer em Nome da Santíssima Virgem! Diz a verdade e só a verdade!

J - Eu sou o mais desesperado de todos (geme).

E - Judas, agora tens de ir-te!

J - Não! (geme)

E - Em Nome dessa Rainha, que tu recusaste, em Nome de NOSSA SENHORA do Monte Carmelo, tens que voltar agora para o inferno!

J - É preciso que recitem os Mistérios Dolorosos e o Credo. (Quando rezávamos "E desceu aos infernos"...) Judas exclamou:

J - ELE desceu... lá em baixo; ELE foi!

E - CRISTO foi ao Limbo? Diz a verdade, em Nome (...).

J - ELE desceu até ao inferno, e não apenas até ao Limbo, onde as almas esperavam.

E - Por que é que ELE foi ao inferno? Diz a verdade, em Nome (...)

J - Para mostrar que também teria morrido por nós¹. Isso foi terrível para nós. ELE foi ao reino da morte², mas foi também ao inferno... realmente ao inferno. Foi preciso que Miguel e os Anjos nos encadeassem para impedir que nos precipitássemos sobre ELE (aponta para o Alto e resmunga). Eu não gosto de falar nisto, nem sequer de O ouvir; fui culpado da traição a CRISTO. É necessário que canteis: "Vejo-TE JESUS, silencioso..." e : "Como me arrependo dos meus pecados". Estas duas estrofes, e, em seguida uma estrofe do cântico "Stabat Mator":"A MÃE de CRISTO, de pé, junto a Cruz..." (as pessoas presentes entoam os cânticos.)

J - (Durante os cânticos, solta gritos horríveis de desespero) Se me tivesse arrependido! Se me tivesse arrependido!

E - Judas Iscariotes, nós, Sacerdotes, ordenamos-te, em Nome da SANTÍSSIMA TRINDADE, que voltes para o inferno!

J - Não... , não quero ir (geme). Estou muito bem nesta mulher. Em grande parte, ela é obrigada a participar do meu desespero.

E - Judas, em Nome (...) afasta-te dela, vai para o inferno, para a condenação eterna, onde é o teu lugar, em Nome (...)

J - Mas eu não quero.

E - Sai Judas Iscariotes, em Nome da MÃE de DEUS!

J - ELA (aponta para Cima) ainda agora teria piedade de mim, se pudesse. ELA amou-me, ELA amou-me! Sabeis o que isso significa? (geme angustiado.)

E - Grita o teu nome, Judas Iscariotes, e vai-te em Nome(...)

J - Eu sei que ELA me amou... (murmura penosamente)

E - Tu não quiseste, tu não LHE obedeceste. ELA queria salvar-te para a Eternidade, para o Céu. ELA desejou o melhor para ti. Agora vai-te, em Nome de NOSSA SENHORA de Fátima!

J - Não! (grita cheio de desespero)

E - Judas Iscariotes, grita o teu nome e vai-te. Vai-te agora para o inferno, em Nome do SALVADOR Crucificado que tu traíste; em nome dos SEUS Sofrimentos; em Nome da SUA Agonia no Jardim das Oliveiras!

J - É preciso recitar três vezes: "Santo, Santo, Santo..." (as pessoas (sacerdotes) presentes recitam-no, e cantam: "Abençoa ó MARIA!...)

J - (enquanto isso, Judas grita com uma voz terrível.) Não! Não!

E - Nós te ordenamos, em Nome da SANTÍSSIMA TRINDADE (...)! (Judas arranca a Estola do Sacerdote...)

J - Não! (com uma voz terrível.)

E - Em nome da Santa Padroeira desta mulher, vai-te agora, Judas Iscariotes.

J - Tendes que por todas as Relíquias "na mesa". Ninguém me obriga a ir-me tão facilmente! Eu sou o ... (solta um gemido terrível.)

E - Em Nome dos cruéis Sofrimentos de Nosso SENHOR JESUS CRISTO (...)!

J - Eu não quero ir-me embora, não quero! Deixai-me; deixai-me (horríveis uivos.)

E - É Nossa SENHORA da Grande Vitória quem te ordena!

J - Se eu a tivesse escutado!

E - Nós te ordenamos em Nome da Santíssima VIRGEM, da Igreja Católica...

J - Isso não serve de nada... (grunhe com uma voz cavernosa.)

E - Em Nome da SANTÍSSIMA TRINDADE(...)!

1) - Nosso SENHOR foi ao inferno para mostrar as almas que se condenaram, que elas lá caíram por terem resistido e rejeitado o SEU Amor e Misericórdia. Pois o SENHOR não derramou o SEU Preciosíssimo SANGUE pelos pecadores que não se arrependeram e não tiveram a humildade de buscá-LO; por isso perderam-se eternamente.

2) "Reino da morte!, foi a forma que Judas, naquele momento, denominou o santo Limbo; o lugar onde as almas dos Justos aguardavam que NOSSO SENHOR, através de SEU santo Sacrifício, reabrisse o Paraíso.

J - Se eu não tivesse perdido a esperança! O inferno é horrível! Se eu não tivesse perdido a esperança! (gritos de desespero, que metem medo.)

E - A Santíssima VIRGEM ordena-te que te vás embora, em Nome do Crucificado, em Nome do Preciosíssimo SANGUE!

J - Deixai-me ficar mais uns momentos nesta mulher!

E - Não! Sai, em Nome de todos os Santos Apóstolos; em Nome (...)

J - Não quero. Não. Não... (berra com uma voz cheia de ódio), mas eles chegarão em breve.(refere-se aos demônios..)

E - Vai-te agora, Judas Iscariotes, em Nome de Nossa SENHORA do Monte Carmelo. ELA te ordena que vás para o inferno, para a coordenação eterna!

J - (os seus gritos prolongados comovem.) Não, não!... (geme com voz terrível e emite sons de desespero.)

E - Em Nome das Sete Dores de MARIA, em Nome da Santíssima TRINDADE... vai-te para o inferno!

J - Mas eu não quero, não quero! (berra horrivelmente.)

E - Em Nome da Santíssima TRINDADE, da Imaculada Conceição, MÃE de DEUS, nós te ordenamos que voltes para junto de lúcifer!

J - (Com voz arrastada e lastimosa). Não! (o seu grito é horrível e desesperado.) Não. Não! Eles também não me querem no inferno. (De repente, Judas grita com desespero.) lúcifer, socorro! (os Sacerdotes recitam um novo exorcismo e duas ladainhas.)

E - Em Nome da Santíssima TRINDADE, nós te ordenamos que vás para o inferno por toda a eternidade!

J - Oh espíritos infernais ajudai-me! Ajudai-me para que eu não seja obrigado a ir-me embora! Despacha-te, Akabor! Ajudai-me... Oh, Oh, despachai-vos! (geme queixoso).

E - Judas Iscariotes, vai-te em nome (...)

J - Lúcifer, tu é que me mandaste, tens portanto que me ajudar!

E - Nós te ordenamos, Judas Iscariotes, em Nome (...).

J - (grita desesperado.) Eles vem... Vão chegar em breve... Sabeis como os temo, sabeis?(refere-se a lúcifer e aos seus demônios.)

E - Nós, Sacerdotes da Igreja Católica, nós, ordenamos-te, em Nome da Santíssima TRINDADE, da Santa Cruz, da Imaculada Virgem MARIA, MÃE de DEUS (...), vai-te Judas Iscariotes!

(Nesta altura os Sacerdotes recitam três vezes: "Santo, Santo, Santo... " e "O Glória ao PAI, ao FILHO..." Nesse momento, Judas, pela boca da possessa, fala com voz de homem.)

J - Não! Oh, oh, oh (geme) ... Se nós a pudéssemos matar já! Como gostaríamos de o fazer. Já há muito que decidimos que ela devia ser morta.... (refere-se à possessa.)

E - Nós te ordenamos, em Nome da Santíssima TRINDADE, que não a mates. Afasta-te agora, afasta-te em Nome (...) e especialmente São Miguel!

J - Não, Miguel tu não deves... (uiva como um animal e solta gemidos horríveis.) Eles aí vem... Eles vem!

E - Em Nome da Santíssima TRINDADE... Grita o teu nome, Judas Iscariotes, e vai-te!

J - Eu... eles aí vem! Eu... Judas.... Iscariotes!... Eu... Judas Iscariotes, tenho que ir, tenho que ir! Tenho que ir... tenho, tenho, tenho! .... Eles aí vem... Eles aí estão! (uiva e grita com uma voz medonha.) Estão aqui os espíritos malignos! (chora)... Lúcifer, lúcifer! Vai-te embora, lúcifer!... Tenho medo de ti... vai-te embora! (grita com uma voz horrível.)

E - Vai-te, agora, Judas Iscariotes, em Nome (...)

J - Ele vem... ele vem...!

E - Em Nome da Santíssima VIRGEM, vai para o inferno, para sempre, e nunca mais voltes!

J - Eles aí vem... Eles aí estão... (grita e geme horrivelmente.) Tenho que ir! Eles recebem-me!

E - Em Nome do PAI, do FILHO e do ESPÍRITO SANTO, grita o teu nome e parte!

J - Já o gritei. Eu, Judas Iscariotes, tenho.... de ir-me embora. "Judas Iscariotes!" (ouvem-se quinze gritos prolongados, horríveis, capazes de fender a alma.) Não, não, não... Não quero ir embora!

E - Nós te ordenamos, em nome da Igreja Católica, em Nome da Santíssima TRINDADE (....).

J - Oh! Este desespero! Este desespero horrível! É horrível! Não podeis imaginar como o inferno é cruel. Não fazeis a mínima idéia de como é medonho lá embaixo! Não sabeis como é!

E - A culpa foi tua. Vai-te, Judas Iscariotes, em Nome(...)

J - (grita e suspira) Tenho um lugar horrível! Um canto horrível, lá embaixo. Oh... oh! Dizei a todos que tenho um canto horrível!... Vivei honestamente! Vivei honestamente!... É pavoroso! ... Por amor ao Céu fazei tudo para alcançar o Céu, mesmo que para isso seja preciso ser torturado por instrumentos de suplício, durante mil anos. (grita.)

Escutai, devo dizer ainda isto: se tivésseis que passar mil anos de suplício, agüentai, agüentai! O inferno é terrível, é terrível! Ninguém sabe como o inferno é horrível. É muito mais atroz do que pensais... É medonho!... É pavoroso! (Judas pronuncia todas estas palavras com uma voz que faz tremer; entrecortada, de um desespero indiscutível.)

E - Em Nome de JESUS, disseste tudo agora?

J - Tenho ainda que acrescentar uma coisa, mas prefiriria não o fazer: Há tantas, pessoas... que já não crêem no inferno.... mas... mas... (ameaçador).... ele existe! O inferno existe. É horrível!

E - Sim, o inferno existe.³ Diz só a verdade, em Nome (...).

J - Oh... ele existe... O inferno! É medonho! Tenho que me ir em breve, mas tenho que dizer ainda isto (grita e geme como um animal).

E - Mas, agora, é preciso que te vás embora. Em Nome (...) sai desta mulher!

J - O inferno é muito mais medonho do que se pensa.... O inferno é muito mais horrível do que se pensa! O inferno é muito mais horrível do que se pensa...! (os seus gritos são de ensurdecer.)

E - Fala, em Nome (...)!

J - (grita e geme) Oh!... Se eu pudesse ainda voltar atrás... Se eu pudesse ainda voltar atrás!.... Óh!... Oh! (chora de uma forma inexprimível.)

E - Sai desta mulher, sai em Nome (...)!

J - Oh! Eu não quero ir lá para baixo. Tende piedade... Deixai-me continuar nesta mulher!

E - Não! Não! Em Nome (...), vai-te embora!

J - (geme) Estava bem melhor nela. É que assim ela teria que carregar com grande parte do meu desespero. Deixai-me ainda ficar nesta mulher... É horrível para mim. Para mim é horrível estar no inferno (geme com voz ofegante). Oh! Deixai-me ficar ainda nesta mulher!

E - Não! Em Nome (...)

J - Ela ainda pode agüentar-me (com um imenso desespero). Ela pode muito bem, agüentar-me.

E - Sai dela, em Nome (...).

J - Que pensais! Lá em baixo é muito mais horrível!... Oh! Oh! (geme) Dizei isto... dizei isto a todos os jovens, a todos os heréticos, absolutamente a todos: O inferno existe. (a voz é penetrante, capaz de causar calafrios.) Oh! (grita) é "lixadamente" horrível! Se tivesse escutado a Santíssima VIRGEM e não tivesse passado a corda em volta do pescoço! Se tivesse mantido a esperança. Se não a tivesse perdido... (fala com uma voz desesperada.) Mas todos dizem isso, todos os condenados dizem o mesmo quando chegam lá em baixo. Mas, então, já é demasiado tarde. Só acreditam quando já é demasiado tarde.

E - Vai-te, em Nome da Santíssima TRINDADE, em nome de todos os Santos Anjos e Arcanjos, e do Arcanjo São Miguel!

J - E Miguel é terrível, para nós. Miguel é terrível! (grita com uma voz odiosa.)

E - Vai-te em nome do Santo Cura d'Ars, em nome de todos os Santos exorcistas e em nome da Igreja Católica!

J - (grita) Ju-das Is-ca-ri-o-tes! Tenho que partir! (solta rugido terrível.)

E - Agora, vai-te Judas Iscariotes, em Nome da Santíssima TRINDADE, volta para o inferno para sempre, volta para a condenação eterna!

J - Eles aí vem, aí vem, (geme e chora cheio de desespero). Eles aí estão... Adeus, adeus, felizes homens... Felizes! Vou-me embora... Porque a isso me obrigam. (chora e lança rugidos lancinantes.)

E - Nos te ordenamos, em Nome (...), vai para o inferno!

J - (ruge desesperado como um leão.) Vou! Ju-das Is-ca-ri-o-tes!

E - Sai e vai para o inferno, em Nome (...)

J - (lança gritos penetrantes, ofegantes, desesperados, de repente, aponta para cima, e diz: ) ELA ainda me concede um curto espaço de tempo.

(a sua missão, da possessa, ainda não está terminada...)

3) A existência do inferno é um dogma da Igreja, definido no IV Concílio de Latrão (1215) e explicados em muitos documentos do Magistério.

Nenhum comentário: