Web Radio Sertao De Deus


2 de fevereiro de 2012

CONFISSÕES DO INFERNO AO MUNDO CONTEMPORÂNEO

 

PADRE GABRIELE  AMORTH

Famoso Exorcista da diocese de Roma.

 


 

Introdução aos exorcismos.

 

         Lamentavelmente temos que admitir que a grande maioria dos cristãos, há pelo menos três décadas, vem se tornando apóstatas da verdadeira fé e Religião que receberam de seus antepassados. Alguns por desinformação (falta da autêntica catequese) e outros por fraqueza e impiedade (julgaram e condenaram) terminaram se afastando da Igreja fundada por CRISTO (a única) e entregue a S. Pedro para conduzi-La (Mt. 16,18).

 

Além disso, também esta mesma Igreja (Católica Apostólica Romana), em nome de uma "abertura ao mundo" (inculturação) e de Sua conseqüente "modernização", para adaptar-se aos "modismos correntes", terminou, em sua grande parte, apostatando. E como isto se torna evidente? De muitas formas, dentre elas, a seguinte: A clara desobediência ao santo Evangelho, a autêntica Palavra viva de DEUS!

Exemplificando: Nos dias de hoje, a grande maioria dos eclesiásticos não acredita mais na existência do demônio! Os senhores bispos, de maneira quase geral, não nomeiam mais sacerdotes exorcistas em suas dioceses; o que é um dever de fé deles. E por que não fazem mais isso? A conclusão é lógica e cristalina: Porque não acreditam mais que exista, aqueles que deveriam ser expulsos, ou seja, os invasores (demônios).

 

         Vejamos sobre esse assunto o que nos diz o Padre Gabrielle Amorth, exorcista da Diocese de Roma, a diocese do Papa:

 

         - É dever dos bispos nomear exorcistas?

 

         Pe. Amorth: Sim. Quando um sacerdote é eleito bispo, encontra-se ante um artigo do Código de Direito Canônico que lhe dá autoridade absoluta para nomear exorcistas. A um bispo o mínimo que se pode pedir é que tenha assistido pelo menos a um exorcismo, dado que devetomar uma decisão tão importante.

         Infelizmente, não acontece quase nunca. Mas se um bispo se encontra ante uma solicitação séria de exorcismo – ou seja, feita não por um maluco – e não toma providências,comete pecado mortal. E é responsável por todos os terríveis sofrimentos daquela pessoa, que as vezes duram anos ou uma vida, e que teria podido impedir.

 

         - Está dizendo que a maior parte dos bispos da Igreja Católica está em pecado mortal?

 

         Pe. Amorth: Quando eu era pequeno, o meu velho pároco ensinava-me que os Sacramentos são "oito": o "oitavo" é a ignorância. E o "oitavo" Sacramento salva mais que os outros sete juntos. Para cometer pecado mortal é preciso uma matéria grave, mas também o pleno conhecimento e o deliberado consentimento.

         Essa omissão de ajuda por parte de muitos bispos é matéria grave. Mas esses bispos são ignorantes: não há portanto deliberado consentimento e pleno conhecimento.

 

         - Mas a fé permanece intacta, isto é, permanece uma fé católica, se alguém não crê na existência de satanás?

 

         Pe. Amorth: Não. Conto-lhe um episódio: Quando encontrei pela primeira vez o Pe. Pellegrino Ernetti, um célebre exorcista que exerceu o ministério por quarenta anos em Veneza, disse-lhe:

         - Se eu pudesse falar com o Papa, eu lhe diria que encontro demasiados bispos que não crêem no demônio.

 

         Na tarde seguinte o Pe. Ernetti veio até mim, para me dizer que de manhã tinha sido recebido por João Paulo II.

         - Santidade, dissera-lhe, há um exorcista cá em Roma, Pe. Amorth, que se o visse Lhe diria que conhece demasiados bispos que não crêem no demônio.

         O Papa respondeu-lhe: - Quem não crê no demônio, não crê no Evangelho!

         Eis a resposta que Ele deu, e que eu repito.

 

         - Ou seja: a conseqüência é que muitos bispos e muitos padres não seriam católicos?

 

         Pe. Amorth: Digamos que não crêem numa verdade evangélica.

         Portanto, sendo o caso, eu os acusaria de propagar uma heresia. Mas fique claro que alguém é formalmente herege se é acusado de alguma coisa, e permanece no erro.

         Hoje, ninguém, pela situação que há na Igreja, acusa um bispo por não crer no diabo, nas possessões demoníacas e por não nomear exorcistas, porque não crê.

 

         Contudo, eu poderia dizer-lhe muitíssimos nomes de bispos e cardeais que logo que foram nomeados para uma diocese, tiraram à todos os exorcistas tal faculdade (de exorcizar); ou bispos que sustentam abertamente: "Eu não creio "nisso", são coisas do passado" Por quê? Infelizmente porque houve a influência perniciosíssima de certos biblistas; e poderia citar-lhe muitos nomes ilustres ("doutores".... "teólogos modernistas"...). Nós que tocamos todos os dias o mundo sobrenatural, sabemos quem meteu a colher em tantas reformas litúrgicas.... concluiu o Pe. Amorth.

 

         Portanto, a grande maioria dos bispos agindo assim, passam essa absurda incredulidade, não só aos sacerdotes, mas a todo o seu rebanho; os fiéis. Também por esse esfriamento na fé, não alertam mais os católicos para a maléfica ação dos inimigos da nossa salvação, e conseqüentemente para a gravidade do pecado, por eles inspirado. Com isso a proteção contra eles é abandonada, e as poderosas orações como as de São Miguel Arcanjo, São Bento e tantas outras, são esquecidas; assim como também a necessária freqüência ao Sacramento da Reconciliação (confissão)..

 

         Todas essas importantes armas, nesse combate incessante, contra esses terríveis e pérfidos inimigos de nossa passagem por este vale de lágrimas, rumo aos Céus.

         Então, por via de conseqüência, absurdamente, terminam, com esse descaso, ajudando aos demônios, porque os mantém no estado que mais buscam, ou seja, o anonimato e o escondimento. E assim poderem agir, livres e impiedosamente, sem serem molestados.

         Se numa guerra, não se tem consciência do inimigo e de seu poder de fogo, todos se tornam presas fáceis.

 

         Porém, o mais grave é que com esses atos e omissões, desmentem e até traem o próprio SENHOR que os salvou e os constituiu em dignidade, pois ignoram as santas Palavras do Evangelho, quando elas afirmam claramente:

 

         "Em seguida, JESUS foi conduzido pelo ESPÍRITO ao deserto para ser tentado pelo demônio.

            Jejuou quarenta dias e quarenta noites. Depois, teve fome. O tentador aproximou-se DELE e LHE disse: "Se és FILHO de DEUS, ordena que estas pedras se tornem pães." JESUS respondeu: "Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda Palavra que procede da Boca de Deus" (Deut. 8,3).

            O demônio transportou-O à Cidade Santa, colocou-O no ponto mais alto do Templo e disse-LHE: "Se és FILHO de DEUS, lança-TE abaixo, pois está escrito: ELE deu a Seus Anjos ordens a Teu respeito; proteger-Te-ão com as mãos, com cuidado, para não machucares o Teu Pé em alguma pedra." (Sal. 90,11s). Disse-lhe JESUS: "Também está escrito: Não tentarás o SENHOR teu DEUS" (Deut. 6,16).

            O demônio transportou-O uma vez mais, a um monte muito alto, e LHE mostrou todos os reinos do mundo e a sua glória, e disse-LHE: "Dar-Te-ei tudo isto se, prostrando-TE diante de mim, me adorares." Respondeu-lhe JESUS: "Para trás, satanás, pois está escrito: Adorarás o SENHOR teu DEUS, e só a ELE servirás" (Deut. 6,13).

            Em seguida, o demônio o deixou, e os Anjos aproximaram-se DELE para servi-LO" (Mt. 4, 1-11)

 

         "Pela tarde, apresentara-LHE muitos possessos de demônios. Com uma Palavra expulsou ELE os espíritos e curou todos os enfermos" (Mt. 8,16).

 

         "No outro lado do lago, na terra dos gadarenos, dois possessos de demônios saíram de um cemitério vieram-LHE ao encontro. Eram tão furiosos que pessoa alguma ousava passar por ali. Eis que se puseram a gritar: "Que tens a ver conosco, FILHO de DEUS? Vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?" Havia, não longe dali, uma grande manada de porcos que pastava. Os demônios imploraram a JESUS: "Se nos expulsas, envia-nos para aquela manada de porcos." - "Ide", disse-lhes. Eles saíram e entraram nos porcos. Neste instante toda a manada se precipitou pelo declive escarpado para o lago, e morreu nas águas.. (Mt. 8,28-32)

 

         "Logo que se foram, apresentaram-LHE um mudo, possuído do demônio. O demônio foi expulso, o mudo falou e a multidão exclamava com admiração: "Jamais se viu algo semelhante em Israel". (Mt. 9, 32-33).

 

         "JESUS reuniu SEUS doze discípulos. Conferiu-lhes o Poder de expulsar os espíritos imundos e de curar todo mal e toda enfermidade." (Mt, 10,1).

 

         "Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça daí!" (Mt. 10,8).

 

         "E tu, Cafarnaum, serás elevada até o Céu? Não! Serás atirada até o inferno! Porque, se Sodoma tivesse visto os Milagres que foram feitos dentro dos teus muros, subsistiria até este dia." (Mt. 11,23).

 

         "Mas, se é pelo ESPÍRITO de DEUS que expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de DEUS." (Mt. 12,28).

 

         "Quando o espírito impuro sai de um homem, ei-lo errante por lugares áridos à procura de um repouso que não acha. Diz ele, então: Voltarei para casa donde saí. E, voltando, encontra-a vazia, limpa e enfeitada. Vai, então, buscar sete outros espíritos piores que ele, e entram nessa casa e se estabelecem aí; e o último estado daquele homem torna-se pior que o primeiro. Tal será a sorte desta geração perversa." (Mt. 12, 43-45)

 

         "JESUS respondeu: "O que semeia a boa semente é o FILHO do homem. O campo é o mundo é o mundo. A boa semente são os filhos do Reino. O joio são os filhos do maligno. O inimigo, que o semeia, é o demônio. A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os Anjos. E assim como se recolhe o joio para jogá-lo ao fogo, assim será no fim do mundo, O FILHO do homem enviará seus Anjos, que retirarão de seu Reino todos os escândalos e todos os que fazem o mal e os lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes. Então, no Reino de seu PAI, os justos resplandecerão como o sol. Aquele que tem ouvidos, ouça." (Mt.13, 37-43)

 

         Está aí irmãos, uma breve amostra da verdade, o demônio não só existe, como também é ardiloso e poderoso, principalmente para agir naqueles que o desconhecem e desmentem a sua existência; isso já é ação dele.

 

         Portanto, muito cuidado em dar ouvidos e seguir aqueles que atendem contra o Evangelho, pois esses se não fizerem à tempo uma sincera conversão, encaminham-se para aumentar o contingente dos cismáticos; não importa quem sejam ou que cargo ocupem na hierarquia da Igreja. Devemos seguir sim, e ser obediente, aos eclesiásticos que se mantiverem fiéis ao Evangelho em toda a sua totalidade e abrangência, e ao Santo Padre, o Papa Bento XVI. Cuidado para que não vos enganem!

 

         Pelo fato de que DEUS é Onisciente, Onipotente, Onipresente e PAI, sempre vem um socorro de Seus filhos e de Sua Igreja, mesmo, como tem acontecido nas últimas décadas, que tenha de se valer de sinais sobrenaturais, tais como Aparições de NOSSA SENHORA, Locuções interiores de JESUS e tantos outros sinais, como veremos a seguir:

 

         - Este episódio sobrenatural que transcrevemos, trata-se de uma seqüência de exorcismos que foram levados a efeito por uma equipe composta de oito Sacerdotes-exorcistas, cujos nomes elencaremos abaixo:

 

                   - Padre Albert d'Arx, Niederbuchisten

                   - Padre Arnold Egli, Ramiswil

                   - Padre Ernest Fischer, Missionário, Gossau

                   - Padre Pius Gervasi, OSB, Disentis

                   - Padre Karl Holdever, Pied

                   - Padre Gregor Meyer, Trimbach

                   - Padre Robert Rindere, CPPS, Auw

                   - Padre Louis Veillard, Cesneux-Péquignot

 

         Com exceção do Pe. Ernest Fisher, alemão, todos os demais são suíços.

         O Pe. Gregor Meyer foi citado, mas não participou dos exorcismos, porém conhecia muito bem a senhora que foi vitima da possessão, pois fora seu diretor espiritual durante algum tempo.

         Também não foram citados dois outros Sacerdotes, de nacionalidade francesa, mas que também participaram dos exorcismos.

 

         Alguns testemunhos importantes sobre o fato que se segue:

 

1. Padre Arnold Renz.

 

Devido ao empenhamento de um irmão espiritual da Companhia de JESUS, Padre Rodewyk, S.J. acedi a um convite para me deslocar à Suíça, onde, juntamente com outros Padres, fiz cinco exorcismos, seguindo o método de S.S. Leão XIII.

 

De acordo com a minha experiência nestes assuntos, estou convencido de que, no presente caso, se trata de possessão e que as revelações feitas pelos demônios, resultam do comando e da coação evidente de um Poder Superior. Isso não impede que os demônios resistam continuamente a essa imposição. O calvário extremamente doloroso da possessa, desde há vinte e quatro anos, a sua aceitação dos sofrimentos enviados por DEUS, as muitas orações de um grande número de pessoas e o conteúdo das revelações feitas, são garantias de que elas foram desejadas por DEUS e por MARIA, MÃE da Igreja.

 

Naturalmente que todas as comunicações sobre a verdadeira doutrina da Igreja e a sua situação atual, tem que ser examinadas.

A oposição levantada contra as revelações presentes, denuncia a vontade destruidora dos demônios. O conteúdo tem como objetivo uma sólida renovação da Igreja. Aliás, não é a primeira vez que DEUS e a Santíssima Virgem se manifestam à Igreja através dos demônios, como prova a conhecida Obra "Sermões do demônio", de Niklaus Wolf Van Rippertschwand.

 

Quem é Pe. Arnold Renz da ordem dos Salvatorianos (SDS)?

Nasceu em 1911 e foi ordenado Sacerdote em 1938, na cidade de Passau.

De 1938 a 1953 Foi missionário em Fuklen (China);

De 1954 a 1963; Pároco em diversas Paróquias e diretor espiritual de institutos religiosos;

De 1965 a 1976; Pároco em PueckSchippach St.Pius, em Spessart, Diocese de Wurzburg. Foi encarregado pelo Bispo Stangel, de Wurzburg, do famoso caso de possessão de Ameliese Michel, em Klingenberg. Após, retornando a referida Paróquia.

 

2. Johannes Denkenger. (Teólogo)

 

     "Depois de uma leitura crítica das revelações; depois de ouvir algumas das gravações; depois de uma visita à mulher em questão, só me resta declarar o seguinte: "Estou absolutamente convencido da autenticidade das revelações aqui publicadas. Eu e a minha teologia moderna temos de nos render perante uma humildade tão grande, como a que ressalta dos textos."

 

3. Antes de abordarmos os exorcismos, vamos nos socorrer novamente no Pe. Gabrielle Amorth:

 

- Quantos casos de possessão demoníaca encontrou?

 

Pe. Amorth: Depois dos primeiros cem casos, desisti de contar.

 

- Qual o caso mais difícil que encontrou?

 

Pe. Amorth: Estou tratando dele agora; e já faz dois anos. É a mesma jovem que foi abençoada (não foi um exorcismo), pelo Papa (João Paulo II), em outubro, no Vaticano, e que causou sensação nos jornais. É atingida 24 horas por dia, com tormentos indescritíveis.. Os médicos e os psiquiatras não conseguiam entender nada. É plenamente lúcida e inteligentíssima. Um caso realmente doloroso.

 

- Durante o exorcismo de possessos, que tipo de fenômenos se manifestam?

 

Pe. Amorth: Lembro-me dum camponês analfabeto que durante o exorcismo me falava só em inglês; e eu precisava dum intérprete. Há quem mostra uma força sobre-humana, que se eleva completamente da terra e várias pessoas não conseguem mantê-lo sentado. Mas é só pelo contexto em que se desenvolvem que falamos da presença demoníaca.

 

- Ao Sr. O demônio nunca fez nada de mal?

 

Pe. Amorth: Quando o cardeal Polleti me pediu para ser exorcista, encomendei-me a NOSSA SENHORA: "Envolvei-me no Vosso Manto e estarei seguríssimo."

O demônio fez-me tantas ameaças... Mas nunca me causou dano algum.

        

- O Sr. não tem medo do demônio?

        

Pe. Amorth: Eu, medo daquele estúpido? É ele que deve ter medo de mim: eu ajo em Nome do SENHOR do mundo! E ele é só o macaco de DEUS.

 

         Algumas observações e esclarecimentos, 
antes de lermos os exorcismos:

 

         Os demônios são forçados pelo Céu a falar, logicamente nunca seria de suas vontades admitir e esclarecer a verdade, sobre a Igreja e a sua situação atual; de tal modo que as suas declarações contrariam o seu reino e favorecem o Reino de CRISTO. No seu ódio, os espíritos infernais evitam, na maior parte das vezes, pronunciar o Nome de MARIA, da Bem Aventurada, da Virgem ou da MÃE de DEUS. Referem-se à Virgem Santíssima como:

 

         "ELA lá em Cima"; também não dizem: "MARIA assim o quer..."; mas "ELA quer..."; "ELA manda dizer". Do mesmo modo rodeiam, de diversas maneiras, o Nome de JESUS e da SANTÍSSIMA TRINDADE. Muitas vezes as suas palavras com um gesto do dedo da possessa, apontando para Cima ou para baixo.

 

         Quando os demônios exigem orações, por exemplo, quando dizem que é necessário recitar uma oração, ou orações, antes de falarem, é claro que este pedido não resulta de um desejo do inferno, mas do Céu, que o exprime por intermédio dos demônios. Durante as revelações feitas por sua boca, a possessa foi violentamente atormentada por dificuldades em respirar, convulsões, perturbações cardíacas e crises de sufocação. Daí o caráter, muitas vezes, irregular das frases.

 

Como esses exorcismos contrariavam o inferno, os demônios recusaram-se, muitas vezes, em continuar a falar. Além disso, punham objeções diversas, rosnavam, gritavam, troçavam, e cinqüenta por cento desses apartes foram omitidos, por questões de brevidade e simplificação. No conjunto , a luta foi muito mais dura e prolongada do que o leitor possa imaginar. É preciso ter isto bem presente, para não cometer-se o erro de pensar que estas graves revelações foram obtidas facilmente.

 

         Observemos o que afirmou Joseph Ratzinger, hoje Papa Bento XVI, em seu livro "Adeus ao Diabo?", de 1969, na página 48: "O exorcismo, sobre um mundo ofuscado pelos demônios, pertence inseparavelmente à Via Espiritual de JESUS, e coloca-se no centro da SUA Mensagem e na dos SEUS DISCÍPULOS."

 

Nenhum comentário: