Web Radio Sertao De Deus


25 de novembro de 2010

Sinais

Sinais dos tempos

Cada pessoa se dedique a transformar-se para melhor

Uma catástrofe natural ou uma grande convulsão social podem suscitar reações diversas nas pessoas. Os noticiários dos meios de comunicação, muitas vezes, entram em nossas casas e podemos, sem que nada nos abale, acompanhar os detalhes de um tsunami em alguma parte do mundo ou o último crime em nossa vizinhança, com a mesma frieza de quem fica sabendo de um acontecimento da sociedade ou o resultado de uma competição esportiva de um time de longe, do qual não somos torcedores. É que no mais das vezes não nos diz respeito diretamente. Podemos ficar vacinados, sem prestar atenção, sem interpretar corretamente os sinais dos tempos.

Também a política ou os grandes problemas sociais envolvem as pessoas e, passadas as emoções, impera a insensibilidade e o acomodamento. Há buracos nas ruas ou obras inacabadas que já tiveram bolo de aniversário! E as promessas eleitorais, se concretizadas, já teriam implantado um novo paraíso terrestre! No entanto, todos se esquecem delas, não existindo mecanismos consistentes de fiscalização e cobrança, até porque, depois de alguns meses, muitos até se esquecem dos nomes dos candidatos em que votaram. Por outro lado, diante dos grandes problemas, pululam anúncios de fim de mundo, até usados como instrumentos de pressão para conversões que duram pouco, pois tão acostumados estamos que os escândalos duram apenas poucos dias e as ameaças também são esquecidas, mesmo quando usam o nome de Deus.

Jesus Cristo, com a força do Evangelho e com a graça com que nos prodigaliza, quer mover as consciências a uma mudança profunda, sem pretender aterrorizar com anúncios catastróficos. Lamentavelmente, o mundo contemporâneo criou terrores e desastres muito maiores do que os que ouviam o Senhor (cf.. Lc 21, 5-19) nos começos do Cristianismo possam ter escutado e estes não conduziram a uma mudança substancial, apenas por serem graves e desafiadores. A Jesus interessa muito mais a finalidade da história do que o fim do mundo, pois os últimos tempos já começaram com o Seu mistério de Morte e Ressurreição.

Muitos se detêm em aspectos secundários, desviando-se do essencial. O cristão não se fixa no que desperta curiosidade, em investigações futurológicas nem muito menos astrológicas, mas se abre à novidade do dia a dia, cheio de esperança e disposição, preparado para o dia do Senhor, mesmo sem saber o dia nem a hora. Chegará, sim, o dia do juízo sobre todo o mundo e ninguém poderá ficar indiferente. Cristo anuncia algo muito sério, ainda que misterioso. Trata-se de um fim que diz respeito a todos.

Caminhamos em direção a um fim do mundo e a um juízo universal, mas estes se realizarão primeiro na vida pessoal de cada ser humano, chamado a acolher o Senhor ou rejeitá-Lo. Em nossa vida, ao largo do tempo que nos é dado, se realiza a decisão.

A indiferença e o alarmismo são as atitudes a serem evitadas e superadas. Diante dos acontecimentos, a Palavra de Deus nos ajudará a considerá-los sinais dos tempos, sinais do próprio Deus, os quais pedem responsabilidade. Não passe ninguém ao nosso lado sem que tomemos a iniciativa de amar a cada pessoa, fazendo concretamente o bem que estiver ao nosso alcance. Na sociedade, comprometendo-nos com as iniciativas que efetivamente promovam o bem comum. Cada pessoa, segundo a vocação e os dons que lhe foram concedidos pelo próprio Senhor, dedique-se a transformar-se para melhor, plantando sementes de bondade em torno de si.

Supere-se o julgamento dos que aparentemente fazem menos do que se espera, mas são igualmente importantes, pois Deus olha para o pequenino e ninguém escapa ao Seu amor. Novos Céus e nova terra serão assim preparados, enquanto, vivendo a esperança, aguardamos a vinda do Cristo Salvador. Então, tudo estará pronto, chegará ao fim a obra da salvação, e Deus será tudo em todos!

 

Dom Alberto Taveira Correa

Arcebispo de Belém – PA- Dom Alberto Taveira foi Reitor do Seminário Provincial Coração Eucarístico de Jesus em Belo Horizonte. Na Arquidiocese de Belo Horizonte foi ainda vigário Episcopal para a Pastoral e Professor de Liturgia na PUC-MG. Em Brasília, assumiu a coordenação do Vicariato Sul da Arquidiocese, além das diversas atividades de Bispo Auxiliar, entre outras. No dia 30 de dezembro de 2009, foi nomeado Arcebispo da Arquidiocese de Belém - PA

Louvado seja Deus !
Artemísia
 

Nenhum comentário: