Web Radio Sertao De Deus


2 de abril de 2009

Grande tumulto




Está escrito no Salmo 2, 1 Por que tumultuam as nações? Por que tramam os povos vãs conspirações? 2 Erguem-se, juntos, os reis da terra, e os príncipes se unem para conspirar contra o Senhor e contra seu Cristo. 3 Quebremos seu jugo, disseram eles, e sacudamos para longe de nós as suas cadeias! 4 Aquele, porém, que mora nos céus, se ri, o Senhor os reduz ao ridículo.



Acredito que, de todas as passagens das Sagradas Escrituras, hoje esta acima é que mais vibra diante de nossos olhos. Forma-se no mundo inteiro um grande tumulto entre os povos, os governos e as pessoas, e o alvo sempre é e sempre será Jesus Cristo, o Filho de Deus, nosso Senhor e Salvador. Contra a pessoa Dele – e, portanto contra o próprio Deus – é que em síntese se concentram todos os ataques do mal e dos maus, eles que não podendo atingi-LO diretamente – como diz o Salmo o Senhor os reduz ao ridículo – atacam então a parte mais fraca, nós os filhos de Deus, nós a descendência da Mulher. Maria!

Claro que a mesma Escritura que prevê a chegada deste dia, também antecipa a vitória dos filhos de Deus sobre a serpente e sobre seus terrenos seguidores. O tumulto que se ergue entre eles nada mais é que o estrépito inicial da batalha. O rumor destes povos e gentes é imenso, e humanamente falando, parece impossível de ser derrotado. De fato é algo mais terrível do que Davi contra Golias. É algo maior ainda do que Gedeão e seus 300, contra um exército de milhares. Hoje se trata de um punhado de gente, contra bilhões de tumultuados em frenesi de guerra.

A que me refiro especificamente? Falo dos últimos acontecimentos tão noticiados em nosso país em relação ao caso da menina que foi forçada ao aborto, com toda a imensa série de abusos cometidos contra ela. Esta questão, aparentemente comum e sem um sentido de longo alcance na realidade veio mostrar o estrondoso esfacelamento de nossa sociedade, onde se mostram claras as posições de cada lado. O fato é que devido a isso, nosso presidente, que sempre se dizia contra o aborto, foi obrigado a declarar de público que é a favor, porque o considera causa de saúde pública... Coisa que também o lixo e o esgoto são, da saúde pública. Sinal do valor que ele dá para a vida e para sua alma.

Da mesma forma os médicos, não podem mais dizer que são católicos, porque afrontam a lei da Igreja e dela se apartam por divergir da Sã Doutrina. Como fica bem claro, o Bispo Dom José não excomungou ninguém, foram tais pessoas elas que se separaram da Igreja, estão fora da comunhão com ela, porque divergem publica e acintosamente daquilo que a Igreja defende. Se eu entro para os quadros de qualquer entidade, que possua estatuto, com direitos e deveres, devo me submeter fielmente a aquelas disposições. E todo estatuto prevê também as punições que me advirão caso eu descumpra aquelas regras.

Ora, todas estas regras são artifícios humanos. São ditadas pelos homens, e, portanto são regras mutáveis. Caso eu me revolte contra uma regra da agremiação a que pertenço, posso levar tal posição à diretoria, e a Assembléia poderá ou não acatar tal sugestão. O que não posso é pregar a rebeldia contra esta regra e tumultuar a sociedade, somente porque eu acho que deve ser assim. Existem os caminhos a serem percorridos, e devo me submeter fielmente à lei maior e a aqueles que dirigem tal entidade.

Entretanto isso não acontece com a Igreja Católica. Ela é seguramente a mais antiga instituição fiel da terra, e a única que não mudou em nada, em quase dois mil anos. A Lei da Igreja é imutável, porque não humana, mas de origem divina. E contra esta lei não há como se revoltar, ou querer alterar, porque não pertence aos homens este direito. A divina lei está acima dos homens e é impassível de mudanças e alterações, ainda que assim o decida a maioria dos homens, mesmo consagrados e ainda que passem os milênios. Nunca, jamais mudará a Lei Eterna, simplesmente porque Deus não muda.

Mas vejam o tumulto dos cegos e de seus guias – e entre estes guias cegos todos os padres e bispos que se revoltam contra o papa que apoiou ao bispo – rebelando-se contra a Doutrina, e contra a lei divina. Ora, a simples rebeldia contra o Papa pela sua defesa intransigente da vida humana, simplesmente excomunga tal pessoa. Também tais bispos e tais padres, se auto-separam da Igreja, por divergirem de Pedro. Em outras palavras também se ex-comungam, da Igreja de Pedro, e de Jesus. Eles e todos os que apóiam e praticam este crime, ao discordarem da lei eterna e imutável a favor da vida, se declaram fora da Igreja, porque a prática do aborto, em qualquer caso, mesmo no de estupro e mesmo de uma criança está claramente proibida no Código de Direito Canônico e isso jamais poderá ser alterado. Aborto NUNCA!

Ou seja: Mesmo que todos os governos do mundo decidam que o aborto é uma questão de saúde – o que é mentira, pois se trata de direito à vida e superior a tudo – e ainda que os médicos aleguem profissionalismo cumprimento do dever, e em vista disso não é crime matarem uma criança, porque é uma questão de saúde; e mesmo que todos juntos digam que isso é assunto de governo, de lei humana, que não deve se misturar porque o estado é laico; e ainda que digam que a Igreja deve cuidar das almas, enquanto o governo e os médicos tratam do aborto, nada disso funcionará como álibi diante do Juiz Eterno que diz: toda a vida Me pertence!

Ora, o papel da Igreja, neste caso é fundamental. O que a Igreja vem a público dizer é que o aborto é um crime hediondo, um pecado inominável, o mais grave de todos os que um católico pode cometer. O que a Igreja vem dizer aos “médicos” “católicos” e a todos os “católicos” que apóiam o aborto e que criticam o Bispo e o Papa, é que eles não têm o direito de tirarem a vida de uma criança, primeiro porque ela não lhes pertence e sim a Deus, segundo que isso vai contra a Lei da Igreja. E assim, a Igreja através de seu valente Bispo do Recife, veio a público alertar aos praticantes do aborto que eles se auto- separaram do Corpo Místico de Cristo, porque decidiram discordar e descumprir a regra maior da Igreja. E digam aos nobres pares dele da CNBB, que não existe coluna do meio. Ao discordarem de Dom José e do Papa, eles escolheram o lado errado.

Ora, ninguém pode alegar ignorância da Lei, especialmente da lei de Deus. E temos um mandamento sagrado que diz: Não matar! Não matar significa jamais alterar e abreviar o curso de uma vida humana, que começa na hora da fecundação. Não existe fórmula intermediária. A lei da vida é esta: somente a Deus cabe dar fim dela. Uma criança não começa a existir apenas na 14ª semana, como num passe de mágica. Ela precisa antes chegar a esta 14ª semana, sem o que é impossível chegar a vida.

Assim, se não existe a possibilidade de a vida começar no meio, somente no início, então é absolutamente impossível que uma pessoa, que se declare inteligente e dotada de alma, possa alegar que eliminando uma vida em formação, antes do tempo de nascimento, não seja crime, quando este é sem dúvida o mais hediondo de todos os crimes. É mil vezes mais maligno o aborto, que o hediondo estupro cometido pelo monstro do padrasto. Que também se auto-excomunga da Igreja, e sem antes confessar-se não pode participar de nenhum dos sacramentos da Igreja. Excomunhão que pode ser levantada desde que haja neles contrição perfeita, profundo arrependimento e confissão a um sacerdote.

Nos tempos do falecido Flávio Cavalcanti e seu programa na TV ele mostrou o caso de uma menina, e disse que haviam acontecido apenas dois casos iguais ao dela. Sua mãe teve um parto espontâneo ao terceiro mês de gestação, e o médico fez a curetagem retirou a placenta, e jogou tudo no lixo, como sempre, o lixo. A enfermeira que o ajudava viu aquilo e no momento não se impressionou, por ser fato corriqueiro. Mas voltando mais tarde, olhou para a lixeira e viu que algo se mexia. Ela cortou então a placenta, retirou o feto pequenino e o colocou na incubadora, envolto em paninhos. Foi então rapidamente a uma loja de brinquedos e comprou uma mamadeira diminuta, de boneca, e retirando algumas gotas de leite de outra mamãe, começou a tratar da pequena, uma menina.

Horas depois passou o médico e vendo aquilo esbravejou: tira isso daí imediatamente que logo vai morrer! A enfermeira retrucou: se o senhor mexer nele, vou denunciá-lo por crime. Era o feliz tempo onde aborto era crime. E a criança vingou. Impressionante como, contra todas as expectativas, a pequenina se agarrava a vida, e sugava o leite, coisa que todos os médicos e as experiências “científicas” consideravam impossível. No programa o Flávio mostrou os vestidinhos iniciais que fizeram para a menina: cabia exatamente na palma da mão do apresentador, não mais de 15 centímetros de alto a baixo.

No final foi apresentada a menina, já com 11 anos. Gostaria que achassem esta menina, uma brasileira e que ela viesse ao público dar testemunho de sua vida, porque seria um estrondoso soco na cara dos abortistas. Neste sentido noutro dia assisti ao vídeo de uma menina canadense, também de 11 anos, que fez um vídeo vencedor num trabalho contra o aborto, onde ela diz exatamente isso ao abortistas: quantas crianças nascem aos cinco meses de gestação e sobrevivem, como vocês podem dizer que ela não é vida ainda? Há, pois uma brutal cegueira que esconde tudo isso aos olhos dos distantes de Deus.

Porque, realmente, só uma pessoa que vive distante de Deus pode achar que uma vida tenha começo pelo meio, ou que possa surgir em partes, nascer por etapas, mudar-se ao seu próprio desejo. Tudo isso são meras teorias humanas que não resistirão ao olhar fulminante do Juiz, que chega, e não demora. Porque se Ele demorar, chegará em breve o dia em que o demônio colocará na cabeça destas pessoas, que podem eliminar também as crianças recém nascidas, pelo simples fato de não serem ainda adultas. Estaremos de volta em então aos templos de Moloc, que devorava crianças em seu ventre de fogo. E foi por isso justamente que Deus os destruiu. E pergunto: será agora diferente? Não!

Vemos então que todos exigem a mentira. O governo diz que a vida do feto deve submeter-se aos desejos da mãe e dos abortistas. Os que se dizem católicos querem que a Igreja se vergue a aprove também o massacre dos inocentes. Os homossexuais ativos querem que o mundo os aceite como pobres inocentes, como seres delicados, superiores e dignos de proteção especial. Em nome da não discriminação, confunde-se gravemente a pessoa do pecador com o pecado que ela comete. Se isso fosse verdade, se deveria aplicar a mesma regra ao traficante de drogas e de armas, eles teriam o mesmo direito.

Mas o que diz o Senhor, disso tudo? Está escrito em Amós 2, 6 Oráculo do Senhor:... não mudarei meu decreto. Porque vendem o justo por dinheiro, e o pobre por um par de sandálias, 7 porque esmagam no pó da terra a cabeça do pobre, e transviam os pequenos, porque o filho e o pai dormem com a mesma jovem, o que é uma profanação do meu santo nome. Injustiças sobre injustiças, iniqüidades sobre iniqüidades, o mal grassa por toda parte como erva daninha, e a tudo pretende sufocar. E querem, exigem, bradam e vociferam que Deus tem que aprovar suas idéias, corroborar suas malditas leis. Querem derrubar a Deus como Supremo Legislador, e a cujas leis devem se submeter todos os seres vivos. Porque ninguém pertence a si e sim nós pertencemos a Deus que nos criou.

Como está escrito no Salmo 61, 5 Sim, de meu excelso lugar pretendem derrubar-me; eles se comprazem na mentira. Enquanto me bendizem com os lábios, amaldiçoam-me no coração. Eis que milhões de homens e mulheres, inclusive que se dizem católicos, querem derrubar a Deus de seu trono, introduzindo novas leis humanas e novos conceitos ditos modernos, como se Deus fosse um palhaço mutante, que pode ser chutado e descartado a bel prazer, e Sua Lei fosse uma mentirinha adaptável a qualquer apetite. Falam então o nome de Deus com seus lábios, mas o profanam em seus corações. Dizem que acreditam em Deus quando descumprem a sua lei. Quando Jesus diz: que me ama, segue aos meus mandamentos! E não matar é um destes mandamentos.

E não temos dúvida alguma que a espada da Justiça atingirá a todos os que matam, pois assim este em Isaías 13, 3 Em minha cólera requisitei minhas tropas sagradas, e chamei os meus bravos e meus altivos triunfadores. 4 Escutai esse ruído sobre os montes como vozerio de grande multidão; escutai o tumulto dos reinos e das nações reunidas. É o Senhor dos exércitos que passa em revista suas tropas para a batalha. 5 Chegam de uma terra longínqua, da extremidade dos céus, o Senhor e os instrumentos de seu furor, para devastar toda a terra. 6 Lamentai-vos, porque o dia do Senhor está próximo como uma devastação provocada pelo Todo-poderoso.

E continua em 13, 7 Por causa disso deixam cair os braços; todos perdem a coragem; 8 ficam cheios de terror... Tomados de convulsões e dores, eles se retorcem como uma mulher em parto. Olham uns para os outros e têm o rosto em fogo. 9 Eis que virá o dia do Senhor, dia implacável, de furor e de cólera ardente, para reduzir a terra a um deserto, e dela exterminar os pecadores. 10 Nem as estrelas do céu, nem suas constelações brilhantes, farão resplandecer sua luz; o sol se obscurecerá desde o nascer, e a lua já não enviará sua luz. 11 Punirei o mundo por seus crimes, e os pecadores por suas maldades. Abaterei o orgulho dos arrogantes e humilharei a pretensão dos tiranos.

Todo orgulho será rebaixado, toda arrogância terá seu preço em desespero. Não temos dúvida alguma de que estes são os tempos do anticristo o inimigo de Deus, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado, buscando fazer-se um Deus. E já ouço o tropel dos exércitos dele assolando o mundo, tentando impor a tirania aos povos. Vem aí a ditadura e vem no Brasil, quando a economia cair aos abismos e o governo barbudo achar que apenas pela truculência conseguirá controlar as gentes. Mas Isaías alerta aos maus governantes e seus maus súditos como está em 66, 6 Escutai esse tumulto que se levanta da cidade, esse barulho que vem do templo. Escutai, é o Senhor que trata seus inimigos como o merecem.

Eles que se fiam no poder de seus exércitos de suas bombas e canhões, seus carros de combate e artefatos atômicos, ó tolos, nada disso atinge ao Senhor Altíssimo que já os avisava por Isaías 17, 12 Oh! Esse barulho de povo numeroso, esse rumor semelhante ao do mar! Esse tumulto de nações poderosas, semelhante ao brilhar de águas impetuosas! 13 Ele as ameaça e elas fogem para longe como, nas alturas, a palha levada pelo vento, como a poeira levantada pela tempestade. 14 Quando veio a noite, houve terror, e antes da manhã, nada mais restava deles. Esta será a sorte daqueles que nos saqueiam, tal será o quinhão daqueles que nos despojam. Também por Jeremias em 50, 22 Tumulto de guerra no país, desastre imenso. 23 Como foi feito em pedaços o martelo que feria o mundo inteiro? Como se transformou Babilônia em objeto de pasmo entre as nações?...

Ó abortistas, ó satanistas, ó militantes da causa gay, eis o que vos reserva a palavra de Jeremias em 25, 30 E assim profetizarás: Ruge o Senhor do alto do céu, e de sua morada santa faz ouvir a sua voz. Ruge contra o seu rebanho, e lança o grito do pisador contra todos os habitantes da terra. 31 Estende-se o tumulto até os confins do mundo, pois que o Senhor está em litígio com as nações. Entra em processo contra toda carne, entregando à espada os maus - oráculo do Senhor. 32 Eis o que diz o Senhor dos exércitos: eis que o flagelo vai estender-se de nação em nação. E dos confins da terra vai desencadear-se violenta tempestade. 33 Aqueles que o Senhor nesse dia tiver atingido, de uma a outra extremidade da terra, não serão chorados, nem recolhidos e sepultados, jazendo no solo qual esterco.

Ó maus governantes, ó ditadores do mundo, ó servos da besta insana, estejam eles fora ou dentro da Igreja, eis o que vos avisa Jeremias em 51, 53 Ainda que Babilônia atingisse os céus e sua alta fortaleza se tornasse inacessível, os devastadores, sob minhas ordens, não deixarão de alcançá-la - oráculo do Senhor. 54 Eleva-se de Babilônia um clamor, e da Caldéia irrompe um tumulto de grande desastre. 55 É o Senhor quem devasta Babilônia, fazendo-lhe calar o ruído das vozes. Sim, ergam vossas torres orgulhosas, como novas torres de Babel, mais alto o prumo maior o tombo, maior o estrondo, eis que nenhuma delas ficará de pé. Elas afinal são feitas de suor, lágrimas e sangue dos pobres.

Vem a justiça e vem também para a Igreja, aquela falsa que quer construir um reino social neste mundo, com paz humana e justiça sem Deus. Eis que assim clama o profeta Jeremias em 10, 21 Na verdade, são néscios os pastores; não procuram mais o Senhor. Por isso não logram êxito e dispersaram-se os seus rebanhos. 22 Eis que se propaga um grande rumor, e o eco de um imenso tumulto vem do norte para transformar as cidades de Judá num deserto, num covil de chacais. Há sim um tênue rumor de povos e gentes em busca do divino, enquanto maus pastores lhes querem dar o humano e falível. Há um povo que clama pelo confessionário e o sacrário, enquanto maus pastores lhes querem dar o contrário. Ó a espada já desce e vem fulminante, já o vermelho tinge sua lâmina. Afia-se já o alfange para a carnificina!

E a vós todos povo ignaro que preferis ouvir a serpente que manda criticar o Papa quando defende a vida, não esperem que esta atitude seja do agrado do Senhor que assim fala pela boca do profeta Oséias em 10, 13 Cultivastes o mal e colhestes o pecado; comestes o fruto da mentira; confiastes em vossa política e no grande número de vossos soldados. 14 O tumulto da guerra vai elevar-se em tuas cidades, e todas as tuas fortalezas vão ser destruídas, assim como Salmã destruiu a dinastia de Jeroboão, no dia do combate em que a mãe foi esmagada com seus filhos.

Sim, povo ignaro, pela vossa – e nossa – cegueira virá o pranto, a dor, a fome pela seca, pois a terra rejeitará a água e negará seu fruto. O vento quente assolará os prados para fazê-los um deserto. Então o fogo da justiça virá colher os frutos do pecado, para queimar junto os pecadores, eles com toda a sua prole. São estes que zombam do Senhor como nos previu Sofonias em 1, 12 Naquele tempo, inspecionarei Jerusalém com lanternas, castigarei os homens que, sentados em sua borra, dizem consigo mesmos: O Senhor não faz bem nem mal. Sim, eles acham que Deus nada vê e não reage. Confundem paciência com misericórdia, no que escarnecem Daquele que é também Justiça perfeita.

E virá o tempo das perdas e não mais nenhum ganho. Quem não perdeu nada perderá tudo, quem não tinha nada perderá até a vida porque até contra os pequenos pesará o braço do Senhor, assim fala Zacarias e ele não mente. Quanto aos ricos está em Sofonias 12, 13 Seus bens serão entregues à pilhagem, suas moradas serão saqueadas. Edificarão casas, mas não as habitarão, plantarão vinhas, mas não beberão de seu vinho. 14 Eis que se aproxima o grande dia do Senhor! Ele se aproxima rapidamente. Terrível é o ruído que faz o dia do Senhor; o mais forte soltará gritos de amargura nesse dia. 15 Esse dia será um dia de ira, dia de angústia e de aflição, dia de ruína e de devastação; dia de trevas e escuridão, dia de nuvens e de névoas espessas.

Tumulto crescente entre os povos, todos gritam contra Deus e sua Lei. Todos exigem que o Eterno se cale e os deixe agir, ao comando do “rebelde”, e seu exército infernal. Quando Sua Santidade o Papa, pressionado de todos os lados, abandonado até pelos seus, como um dia fizeram os apóstolos com Jesus, o mundo entrará em transe. Quando ele se ver obrigado a deixar o Vaticano, então que “quem estiver no telhado, que não desça para a casa, quem estiver no campo que ali mesmo permaneça, porque virá sobre o mundo uma tribulação tão grande como nunca houve antes, nem haverá depois”.

Então se a humanidade até ali não viu tumulto de povos, gritos de desespero e pavor, se até ali os homens ainda não tinham percebido o que significa um mundo sem Deus, ela que observe, e ouça e comece a gritar junto. Porque os pais abandonarão a família, a mãe deixará no berço o filho que amamenta, porque até a corça do campo abandonará sua cria, pois a natureza toda entrará em transe. Reinará por alguns meses o mal, não por longo tempo, senão sucumbiriam todos os povos. Deus terá de intervir no curso dos acontecimentos, sob pena de os homens exterminarem ao próprio homem.

Não, eu não quero apavorar ninguém, apenas dizer como Jesus: quando vierem todas estas coisas acontecendo, lembrai-vos do que falei. Tudo isso está nas Escrituras não estou a inventar nada. Afinal, sei que pânico sentirão apenas aqueles que não têm suas almas preparadas nem depositaram ainda sua total confiança em Deus. Porque comparo com um exército de formigas de correição vasculhando o chão da floresta, assim será a ação dos demônios, e já está começando. O Papa os mantém longe e presos, mas prontos. Quando ele sair rompe-se o abismo e a terra é invadida pelas legiões do mal. Então o homem saberá quem são os demônios do aborto, da eutanásia, da pratica homossexual, da corrupção dos governos, e da desobediência a Pedro, cada um no seu campo. Ó sim, naquele dia muitos deles soltarão gritos de desespero.

Hoje gritamos nós assim suplicando a Deus, como está no Salmo 73, 18 Lembrai-vos: o inimigo vos insultou, Senhor, e um povo insensato ultrajou o vosso nome. 19 Não abandoneis ao abutre a vida de vossa pomba, não esqueçais para sempre a vida de vossos pobres. 20 Olhai para a vossa aliança, porque todos os recantos da terra são antros de violência. 21 Que os oprimidos não voltem confundidos, que o pobre e o indigente possam louvar o vosso nome. 22 Levantai-vos, ó Deus, defendei a vossa causa. Lembrai-vos das blasfêmias que continuamente vos dirige o insensato. 23 Não olvideis os insultos de vossos adversários, e o tumulto crescente dos que se insurgem contra vós.

Mas o Senhor nos adverte por São Pedro em sua segunda carta em 2, 15 Reconhecei que a longa paciência de nosso Senhor vos é salutar, como também vosso caríssimo irmão Paulo vos escreveu, segundo o dom de sabedoria que lhe foi dado. 16 É o que ele faz em todas as suas cartas, nas quais fala nestes assuntos. Nelas há algumas passagens difíceis de entender, cujo sentido os espíritos ignorantes ou pouco fortalecidos deturpam, para a sua própria ruína, como o fazem também com as demais Escrituras. 17 Vós, pois, caríssimos, advertidos de antemão, tomai cuidado para que não caiais da vossa firmeza, levados pelo erro destes homens ímpios. É tempo ainda de converter-se e semear sem medo, disso virão doces frutos de eternidade.

Sim, espíritos orgulhosos que deturpam as Escrituras e constroem um reino social, no que destroem a Igreja. Quem não entende nada das Escrituras tantas vezes está na parte alta desta Igreja, felizmente não na cabeça. Ainda! Está aí como exemplo a Campanha da Fraternidade como prova da subversão do Evangelho. Quaresma é tempo de conversão, de confissão, de arrependimento, de meditação profunda e de dar um mergulho nas profundezas da alma, para sentirmos que fomos responsáveis pela morte do filho de Deus, jamais tempo para crucificar novamente a Jesus. Mas é o que faz esta campanha de guias cegos.

Vejam: a palavra “conversão” aparece 16 vezes no texto da campanha, mas se trata de algo superficial, de volta das pessoas para o reino social das conferências. Duvidam? Pois a palavra “economia” aparece 54 e a palavra “política” consta 65 vezes. Mas não se fala uma só vez em pecado original, na origem de todo mal. Não consta uma só vez a palavra “Missa” ou “confissão”, mas “trabalho” tem 87 vezes. Trabalhar para encher barrigas, para este mundo que está caminhando ao fim. Por último, almas, salvação eterna, disso não se fala, mas consta por 119 vezes a palavra social. Perguntam ainda por qual motivo a Igreja terá de ser abalada até os fundamentos? E mundo junto com ela? U o mundo por causa dos maus pastores? Eles verão horrores!

Bem, é o que sempre temos falado e alertado: abalem a Igreja de Pedro, e o mundo tremerá dos pés a cabeça! Derrubem a Pedro, quebrando o fator de unidade, e o mundo cairá de joelhos sob o peso de uma gigantesca cruz. Quando acima mencionei os profetas quis apenas lembrar da Cruz que se abaterá sobre nações e povos. Os rebeldes em tumulto não suportarão o peso dela. Mas quiseram assim. Lúcifer também quis e vejam no que deu! Fardo leve, jugo suave, somente para os que forem fiéis até o fim! A estes, sem medo! Deus é Senhor dos acontecimentos. Quem Nele confia jamais será abalado! E com Ele vencerá!
Aarão




site www.recados.aarao.nom.br

Nenhum comentário: