Web Radio Sertao De Deus


23 de maio de 2009

O 16º SEGREDO


Está escrito em Lucas 12, 2 Porque não há nada oculto que não venha a descobrir-se, e nada há escondido que não venha a ser conhecido. 3 Pois o que dissestes às escuras será dito à luz; e o que falastes ao ouvido, nos quartos, será publicado de cima dos telhados... No final, todos entenderão tudo!


Este texto é hoje da maior importância, para a Igreja e para o mundo, porque Deus deu ao homem quase 2.000 anos desde Jesus e dos Evangelhos, para que neste tempo ele pudesse entender e discernir, e bem aplicar, vivendo aquilo que ali está escrito. Eis que o próprio São Pedro diz que nas Escrituras “há algumas passagens difíceis de entender, cujo sentido os espíritos ignorantes ou pouco fortalecidos deturpam, para a sua própria ruína, como o fazem também com as demais Escrituras” (2 Pd 3,16). Compete então à Igreja a obrigação de explicar estas passagens difíceis, para que não haja deturpação de seu sentido, nem haja margem para discussões que levam à divisão.

Então pergunto: será mesmo que toda a Igreja, em todos os tempos tem cumprido esta missão tão necessária? O leitor sabe a resposta e ela é NÃO! Infelizmente, através dos séculos e milênios, muitas vezes ela tem se esquivado de adentrar águas mais profundas e explicar certos mistérios de Deus, contidos na Bíblia. Isso deu margem à milhares de interpretações, muitas delas falsas, mas que imperaram e ainda se apresentam como verdades, quando não o são. Dizem que a Igreja é mestra. Que a Igreja é mãe! Que a Igreja é sábia! E até se fiam dizendo que ela é conduzida pelo Espírito Santo, mas eles mesmos nunca consultam a este Espírito divino, para chegarem ao sentido da verdade.

De fato a Igreja católica é mestra, é mãe e é sábia. A Igreja como doutrina, nunca errou quando estabeleceu a verdade em dogmas, nem quando ensinou “ex-cátedra”. Mas muitos foram e são, aqueles que erraram e erram em nome dela, para confusão dos fiéis e divisão do rebanho. Isso mostra pelas infinitas correntes de pensamento que invadem o seu interior, cada bispo com sua doutrina, cada padre com suas idéias particulares, e a imensa maioria deles com doutrina divergente da de Pedro, ele a Pedra e o guardião único da verdadeira e Sã Doutrina. Nem tudo o que dizem ser Igreja o é de fato!

Faço todo este preâmbulo, para entrar no assunto da última mensagem que colocamos no site – Pastores Réprobos – e que tem gerado perguntas entre os leitores mais atentos. E antes que se difundam interpretações diferentes, penso que é bom explicar bem isso – pelo menos tentar – a fim de que todos entendam mais este mistério de Deus. Para tanto, ontem à noite eu telefonei ao Cláudio pedindo algumas explicações, pelo menos alguma luz maior, porque realmente se torna difícil de entender esta nova revelação, que é um dos 16 segredos que ele tem guardados, alguns desde muito tempo.

E virão os outros ainda e alguns deles vão até contra a doutrina corrente da Igreja, contra a interpretação errada que muitos dão sobre certas passagens. Claro, isso tudo dá margem a que se voltem contra o Cláudio e o Movimento, as famosas espadas, que desde o começo de nosso carisma, a Mãezinha tem dito que contra nós se voltarão. Sim, até que a verdade seja estabelecida e entendida por todos, para que nada de duvidoso fique sem o devido esclarecimento e principalmente, para que nenhum ato da divina Justiça fique sem a devida explicação e perfeita compreensão. Muitos destes atos serão entendidos apenas na hora do Juízo final, onde TUDO ficará nu e as claras diante de todos, céu e inferno.

Quando Jesus lhe pediu para divulgar esta mensagem, daqui mesmo senti em meu coração que viria algo de muito sério e que seria uma espada dolorida para ele anunciar mais esta realidade. De fato, ele tentou adiar ainda mais, entretanto a Mãezinha voltou e lhe pedir obediência, e assim ele fez. Devo dizer que o que foi divulgado é apenas parte da mensagem e que mais linhas vermelhas dela serão divulgadas adiante, no momento exato em que Jesus pedir. Podem crer é doloroso para o Cláudio ser porta-voz disso. Ele fica esmagado por estas revelações!

De fato, nosso grande carisma é a Igreja padecente. E surgiram milhares de perguntas quando ele trouxe as primeiras mensagens a respeito da figura do “Grande Purgatório”, um local onde as almas permaneciam por um tempo fixo, sem possibilidade de receberem os sufrágios das orações. Havia milhares de almas neste estado de purificação, hoje totalmente encerrado. Não tem mais nenhuma alma neste espaço de purificação. Milhares negam esta verdade!

Já no início das mensagens, havia também uma referência quanto ao Limbo, que mais tarde Jesus chamou de “Mansão Pagã”, destinada a todos aqueles que não receberam o batismo, nem creram em Jesus, eis que Ele falou claro nas Escrituras: Quem crer e for batizado será salvo! Ou seja: SOMENTE, quem crê e for batizado irá para o céu. Não somente crer, mas ser batizado também, as duas coisas. Não somente ser batizado, mas crer em Jesus! E então se pergunta:

1 – Seria Deus justo se permitisse a eterna condenação de quem não aceitou Jesus, nem se deixou batizar? Primeiro: ninguém poderá alegar que não sabia estar vivendo no erro, falo dos adoradores de animais, e de credos e deuses estranhos. Eles sabem muito bem que estas coisas não lhes davam garantia alguma. Segundo, Deus não tem nenhum compromisso com quem ANTES, não quer compromisso com Ele. E afinal, são milhares de anos para conversão, e não houve resposta alguma destes povos. E são bilhões!

2 – Seria Deus justo se levasse para o céu no mesmo nível de felicidade, estes filhos bastardos e renegados, como os filhos santos e obedientes? Claro que não! Assim, neste local, a Mansão Pagã, os homens de outros credos – que vivem uma realidade sem dor e sem sofrimento – recebem luzes suficientes para compreenderem que estavam no erro, que sua vida foi inútil, pois existe um só Deus Uno e Trino, existe toda a realidade que a Igreja Católica sempre defendeu, com Maria, os santos e santas. Caso eles aceitem, com o correr dos tempos, e até o Juízo Final estas verdades, poderão receber o batismo de desejo, que é administrado pelo Próprio Jesus, só por Ele. Caso ainda assim não aceitem, ao final do Juízo se perderão para sempre. Deus é justo, Deus é bom! Por isso, o céu destes é sem dúvida, diminuto! É diferente do Céu dos filhos e filhas do Altíssimo.

A seguir veio outra figura polêmica, a Torre de Marfim, destinada a certas almas que pela regra iriam ao inferno, mas que por um artifício extremo da eterna misericórdia – e pelas mãos de Maria, a Torre de Marfim – conseguiram, num último apelo a possibilidade de serem julgadas pelos que elas prejudicaram quando em vida. Também todas estas almas que lá estavam, já foram remidas pelas orações do Movimento. E a torre está fechada para sempre. Tais almas não tinham passado pelo juízo particular na hora da morte e aguardavam em grande tormento a decisão dos que elas prejudicaram, sejam os que já estavam no céu, sejam os perdidos. Uma coisa, porém e marquem isso para depois entender o que irá: tais almas tinham ainda chance de salvação. E conseguiram!

Porém, a nova mensagem abre espaço para outro tipo de estado de Justiça, que tem para mim uma lógica perfeita, pois consegui entender bem depois da conversa com o Cláudio. Ele me falou que nos diálogos posteriores, Jesus foi muito mais duro do que naquele texto da mensagem, usando de palavras realmente fortes para definir uma situação que é da maior gravidade: os maus pastores! Aqueles que deliberadamente pregam a mentira, tendo a certeza de que estão errados. Falo aqui de pessoas batizadas, que sabem que a Igreja Católica é a verdadeira, mas inventam doutrinas para destruí-la, ou criam novas igrejas para dividi-la. Tais pessoas são réus, de eterno delito!

Vejamos antes o que está em 2ª Pedro 2, 1 Assim como houve entre o povo falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos doutores que introduzirão disfarçadamente seitas perniciosas. Eles, renegando assim o Senhor que os resgatou, atrairão sobre si uma ruína repentina. 2 Muitos os seguirão nas suas desordens e serão deste modo a causa de o caminho da verdade ser caluniado. 3 Movidos por cobiça, eles vos hão de explorar por palavras cheias de astúcia. Há muito tempo a condenação os ameaça, e a sua ruína não dorme.

Examinemos com atenção esta passagem. Falsos doutores! Falsos teólogos! Falsas igrejas! Falsas doutrinas de perdição! Verdade caluniada! Proselitismo nefasto! Comércio da fé! Temos então em poucas palavras a descrição de uma plêiade de meros homens, cada um com sua igreja particular, usando e abusando do Evangelho, a maioria por cobiça, usa de sua falsa igreja – na verdade seita – para enriquecer a custa de cegos prosélitos. E são milhões e milhões de seguidores, e milhares e milhares de falsos pastores...

Vamos defini-los bem antes de entrar no mérito da questão. 1º - Trata-se de batizados, diferentemente dos habitantes da Mansão pagã. 2º - São conhecedores da verdade da Igreja católica, mas preferem ensinar sua própria verdade; 3º - Deliberadamente atraem para si prosélitos e os mantém na cegueira de modo proposital para obeterem vantagem financeira; 4º - Insanamente os fazem odiar a Igreja Católica, porque este ódio alimenta o caixa da seita, uma vez que os tornam ferrenhos defensores do pastor. Do pastor, não de Jesus! 5º - Muitos deles são responsáveis pela perda eterna de alguns prosélitos, em quem instilaram este ódio cego.

Ora, o prejuízo espiritual que estes homens orgulhosos, com suas falsas igrejas, causam nestes milhares de seguidores é brutal. Estas falsas igrejas, nenhuma delas salva, nem uma só alma. São igrejas sem sacramentos, as vias únicas de salvação! São igrejas sem santos, porque elas não têm nenhum! São igrejas bastardas, porque não têm Mãe em Maria! São igrejas humanas, porque têm criadores apenas homens, a maioria tem poucos anos de existência. São igrejas sem Jesus, porque Ele ensinou a amar e perdoar, quando eles ensinam a odiar e a condenar! São igrejas sem o Espírito Santo, porque vivem na divisão e o Espírito de Deus não é anátema! São igrejas sem Salvador, porque não carregam a cruz, vivem a porta larga, o falso evangelho da prosperidade, da salvação garantida, do arrebatamento antecipado, basta dizer “aceitei jesus”! Muito fácil ser crente!

Ora, tais maus e falsos pastores sabem muito bem que existe um inferno e um purgatório o primeiro claramente expresso nas Escrituras, o segundo subentendido e denominado pela Igreja de Pedro. Eu nunca vi um só pastor crente dizer que alguém deles foi para o inferno ou vai. Nunca vi um só deles dizer que a Justiça eterna é também para eles, mas são pródigos em condenar os católicos “porque adoram imagens”, quando Jesus disse bem claro: não julgueis para não serdes julgados! Ou seja: como São Pedro diz bem, “caluniam a verdade”, deturpando as Escrituras Sagradas ao seu favor.

Tais pastores sabem muito bem que por aí está cheio de “evangélico” ladrão. Mas ganham o céu sem confissão, acham eles! Sabem quem tem deputado “evangélico” corrupto, mas só se perdem os católicos. Sabem que existem “evangélicas” prostitutas – embora as saias longas e os efeitos exteriores de piedade – mas somente vão para o inferno as católicas. Tudo isso num cinismo deslavado, que induz as iludidas ovelhas a imaginarem que o céu é seu, sem esforço e sem sacrifício. É sem humildade, sem sacramentos, ou obediência! Vem sem obediência e sem unidade.

Estas falsas doutrinas, destes falsos mestres e falsos doutores, provocam então quase um dilúvio de perdas em graças e bênçãos, que decididamente vão refletir nos prosélitos, por toda a eternidade. Se pudesse usar de um exemplo físico para expressar esta que é uma dolorosa realidade, poderia dizer que todos estes prosélitos e seguidores destes falsos mestres e suas doutrinas perniciosas, recebem um céu de quinta categoria e para sempre. De fato, sem sacramentos – especialmente confissão e eucaristia – sem o batismo que neles é inválido, porque não sacramental, sem Maria que é a medianeira de todas as graças, eles ficam privados de todos os benefícios que brotam deste culto perfeito.

Assim, o que move a maioria destes maus pastores é a ganância, pelo que fazem da fé uma moeda de troca, e do Evangelho uma colcha de retalhos. Usam astutamente de uma palavra deturpada, induzindo os fiéis a um falso culto, até porque eles combatem as imagens do culto católico, enquanto cultuam, eles mesmos, e muito descaradamente seus fundadores. Seus pastores! Que se fazem deuses e se deixam idolatrar! Que com boas falas, verbo orgulhoso, argumentos rebuscados e astuciosos, enganam com maestria. Que passam a ter como única razão de sua doutrina o combate aos católicos, quando Evangelho de Jesus fala em amor e em perdão. Em dar a outra face para bater!

Muitos dos seguidores destes falsos mestres alegam que “se sentem bem ali”, que é mais “divertido” que entre os católicos. E que é “mais fácil” ali, porque não existe a rigidez do rito católico, nem as obrigações e a cruz que se fala nesta doutrina. Porque “Deus é o mesmo e ama a todos”. Não precisa de confissão, basta confessar com Deus! Então eu costumo dizer que eles também se sentirão bem num show de música popular, diante de um cantor famoso, o que nada tem a ver com prestar culto ao verdadeiro Deus. Até pelo contrário! E vejo isso na seita que tem aqui atrás de minha casa: seu culto são 4 horas de música! Deus ali? Nunca! Mesmo que citem Jesus, este lhes diz: não vos conheço!

Posto isso, poderíamos dizer então que esta nova revelação sobre a Justiça divina se poderia definir como uma “outra realidade da Mansão Pagã”. A diferença é que a primeira é destinada aos não batizados e aos incrédulos. Esta outra é destinada aos batizados, que sabendo da verdade, pregavam a mentira! Outra diferença é que na primeira as almas não sofrem, na segunda vivem realmente já o inferno. Em ambos os casos, estas almas não enfrentaram o Juízo Particular na hora da morte.

Alguém poderá dizer então que Deus seria injusto, permitindo aos maus pastores que estão neste estado, a dor e o sofrimento equivalentes ao inferno, mas se pode refutar dizendo que estes sabiam da verdade, conheciam os rigores da Justiça, e portanto eles mesmos se tornam réus do próprio delito. Não acontece com eles como os pagãos, que não conheciam a Lei, nem a Justiça! O terrível nestes casos, e que os diferencia não só dos habitantes da Mansão Pagã, mas daqueles que viviam a realidade da torre é que estes estão já condenados, quando os da torre tinham uma chance de salvação.

Outra coisa que nos chama a atenção é que ali, não somente estão encarcerados os fundadores de seitas, nem os maus pastores que os defenderam, mas podem – e devem – estarem ali, maus padres, maus bispos e cardeais, que de dentro da Igreja cometeram os mesmos desatinos. Falsos teólogos ufanos, que em nome de sua pretensa sabedoria e altos estudos sobre Deus, pretenderam marcar sua passagem neste mundo com teorias – nada mais que teorias – sobre Deus induzindo milhares de católicos ao erro. Foram autores de falsas doutrinas, criadores de fantasias religiosas capazes de levar almas à perdição eterna, no mínimo à perda em vida de milhares de graças, com respaldo na eternidade!

Correm este risco os criadores de um deus torto, somente misericórdia e não Justiça. São os que pregam a inexistência do demônio e negam seus malefícios. São os que negam a condenação eterna, em nome da infinita bondade de Deus. São os que defendem uma falsa Igreja sem Pedro, em nome de um pretenso colégio episcopal. São os que pregam até a exaustão a falsa teologia libertadora de barrigas, um reino terreno, casa, comida, farra e não trabalho para todos. E por aí vai o ódio aos ricos... Por desejo mórbido de suas riquezas! Podem, pois, estar ali padres católicos também, porque estes todos são MAUS pastores, que desviam o rebanho da Igreja, levando-a a este estado de ruína! Tais maus pastores serão julgados pelas ovelhas a quem prejudicaram! Um prejuízo eterno!

Tal situação, diante de Deus é tão grave, que segundo o Claudio, Jesus usou de palavras como “Mansão caiada”, para citar esta realidade, como um lugar destinado a aqueles maus pastores que parecem santos por fora, mas são pasto de vermes na alma. Horrível designar isso desta forma, entretanto trata-se de algo para o qual devemos nos alertar. E rezar pelos que conduzem as ovelhas ao abismo, pregando um falso Evangelho crente, de misericórdia e perdão sem precisar de confissão e de vida Eterna sem Eucaristia. Neste sentido, gostaria de inserir aqui parte de uma mensagem de 12/07/1998, que tem por título “Pastores nus”... Disse então Jesus:

Eis que estou chegando! Como está a Minha Igreja? Como está o Meu rebanho? Como estão os Meus pastores? Eis que Venho e trago o Meu Julgamento e Veredicto: Ai dos dispersos! Ai dos maus pastores!
Colocarei Pedro em primeiro plano e, os maus pastores no alto do patíbulo! Pedro chamará os seus fiéis seguidores: Poucos o acompanharão! Eles seguirão o Cordeiro e gozarão das delícias em plenitude! Os outros se postarão nus, diante das ovelhas! Serão observados, de alto a baixo! As ovelhas os atirarão aos lobos, que os devorarão pedaço a pedaço!!! Ai dos sacerdotes que permitiram a dispersão do rebanho! Ai dos indiferentes, dos apostatas, dos hipócritas... Serão devorados! Ai dos que escandalizaram... Seus pedaços rolarão pelas encostas e serão consumidos pelos chacais...
As ovelhas inocentes clamam por justiça: Estivemos com fome e não nos saciastes com o Pão do Céu! Com sede e não nos saciastes com o Sangue Eterno! Queríamos Amor e nos mostrastes vida depravada, perversa, indiferente... Não permitimos, agora, que participeis da Eterna Felicidade! Idem aos lobos!
Muitas ovelhas, filhos, estão à procura de paz! A procura de aprisco seguro, onde haja amor, solidariedade, concórdia, paz, felicidade... Estão famintas e sedentas disto e procuram por todos os lados! Não encontrando em seu aprisco, procuram os que tudo isso prometem e seguem “mancando” aqueles passos. Não são culpadas disto! Ai, pois, dos pastores que isso permitiram! Serão réus da cólera Divina! Estes maus pastores, pagarão com a Vida Eterna. Ficarão eternamente “mortos” na “vida eterna”! É isto mesmo, serão “mortos”, que contemplarão eternamente o “gozo” eterno, onde JAMAIS poderão ir. Suas dores serão terríveis... Serão julgados por suas próprias ovelhas que lá os atirarão!

Ora, a meditação deste texto, embora de forma aparente destinado apenas aos padres e bispos católicos, na realidade se refere a todos os pastores que “em nome de Jesus” na realidade conduzem as ovelhas ao matadouro, não ao céu. Tais pastores são, pois, réus de eterno delito, e como diz a mensagem pagarão caro e pagarão com a morte eterna. O julgamento virá das ovelhas, não como um veredicto cruel e direto de cada prejudicado, mas com a prova irrefutável do efeito negativo causado pela perda das graças eternas que elas poderiam angariar, caso fossem corretamente evangelizadas.

Vou explicar melhor e uso a confissão: Todo padre, todo bispo, que se esquece de pregar sobre a natureza perniciosa do pecado, sobre a terrível realidade do inferno - e que o nega - e sobre a conseqüente necessidade da confissão sacramental, na verdade abre espaço para que tais almas entrem e estado de catalepsia espiritual. Elas dormem um sono de morte e morte eterna. Elas acabam achando que confissão não precisa e que o Céu virá de qualquer forma e fácil, porque Deus perdoa. E assim, na medida da inércia ou má intenção de tal pastor, muitas almas vivem em estado permanente de sacrilégio e podem vir a se perder.

Ai do pastor que for causa da perdição de uma ovelha. Ai do pastor que chegar diante de Deus com um rebanho tíbio, morno, morto, mirrado de graças. Ele próprio pagará em suas carnes toda a pena devida, por cada uma das ovelhas, e as dele mesmo. O risco de perda eterna desta alma é muito grande porque o gravame de sua culpa pode pesar sobre milhares de pessoas. Das que foram para o inferno por falta de boa orientação, e das que, por não terem sido alertadas, receberão um céu diminuto, quando poderiam ter ganhado e construído para si uma mansão esplêndida. Claro que em parte as ovelhas têm culpa, porém um pastor de escândalo jamais escapará das malhas da eterna Justiça.

Assim, os maus pastores, os fundadores de seitas, e todos aqueles que sabendo da verdade de Jesus, usaram de seu nome, de sua cultura, de sua inteligência para criar novas Igrejas, ou produzir falsas teologias, mesmo não tendo passado, depois da morte, pelo Juízo particular – que já definiria seu estado de vida eterna – merecem já viver os castigos impostos aos demônios. E terão de ouvir das ovelhas, a história de suas vidas e sentir pessoalmente os prejuízos que lhes causaram. Assim todas as criaturas dotadas de inteligência saberão da verdade, eterna e imutável, sem elucubrações nem devaneios, e entenderão os atos da Justiça eterna e tudo virá enfim às claras.

Porque isso acontecerá diante do tribunal do Altíssimo no último dia. Mesmo que tais maus pastores não se tenham perdido, e já tenham sido julgados, saberão diante de todos dos prejuízos que causaram. Já os culpados desta “mansão caiada”, verão diante dos olhos o mal que causaram a milhares e o peso da perda das graças os esmagará, e os condenará, porque agiram de má fé, muitos em nome do lucro, muitos em nome da fama, muitos em nome do orgulho e do poder. Qualquer pastor que tenha feito uso da Bíblia para ficar rico, pode ter certeza de que não escapará das malhas da justiça eterna. Tais mercadores da fé acumulam sobre suas cabeças, brasas ardentes e são brasas eternas.

Quanto às ovelhas, de ambos os lados – católicos que foram mal catequizados e crentes e evangélicos que nasceram nesta má doutrina – estes, como Jesus diz, não têm tanta culpa, nem os pastores que seguem o pastor mor e fundador daquela entidade. Basta que saibam, porém, da verdade por inteiro que somente se encontra na Igreja Católica – e mesmo assim a neguem – para que o risco de caírem neste estado de justiça se avolume de forma terrível. Não há como dizer, ainda, que 100% de certeza, que todos os maus pastores que caíram neste quase inferno, se perderão inapelavelmente, até porque partes da mensagem ainda não foram divulgadas. Mas a simples questão de raciocínio lógico diz que sim: seu destino já está traçado, é eterno, e é de perdição!

Num dos cemitérios de Porto Alegre, lembro que ali o anjo falou por um pastor, de uma falsa igreja, que disse estar condenado a ficar ali até o fim do mundo, porque incitava o ódio aos católicos, contra o Papa e contra a Igreja. Este pode ser um deles, dono de Igreja! Dono de uma verdade humana! E realmente é de um cinismo deplorável, ou de uma cegueira ímpar não perceber que todas estas denominações são fundadas por simples homens e não por Deus. Que elas nada têm a ver com Jesus, cujo santo nome é usado como moeda de enriquecimento. Neste sentido, as próprias ovelhas assumem a carga de grave culpa, pois elas mesmas também se deixam seduzir pelo progresso financeiro. Se estivessem no lugar do pastor com certeza fariam o mesmo.

Em síntese então se pode dizer: bom católico jamais abandona sua Igreja para demandar outros credos! Bom católico não se torna pastor de seitas, nem fundador de igrejas. Todos estes saíram dela eram maus católicos, frios, mornos, mortos... Como está em 1ª João 2, 19 Eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco. Mas isto se dá para que se conheça que nem todos são dos nossos. 20 Vós, porém, tendes a unção do Santo e sabeis todas as coisas. Prova de que o Espírito Santo jamais penetra num templo evangélico, pois somente entram ali os que se deixam seduzir e guiar por simples homens, não pelo Espírito de Deus.

Por último, devemos dizer que estas revelações são feitas pelo céu, somente neste final dos tempos – e como prova deles – para que se dê conhecimento das últimas verdades eternas, ao tempo em que Deus evita mais divisões e desentendimentos. Tudo ficará às claras, e presumo que virão revelações ainda mais terríveis. A batalha agora é final e há que escolher um lado. Cuidemos, porém de não cair na ilusão de que tudo o que se fala em nome da Igreja Católica, seja verdade de Jesus. Os tempos são confusos, e os falsos estão para lançar um Catecismo diabólico, da religião única. Não acrditem neles!

Enfim, a “mansão caiada” é para os novos Judas. Que não fundou igreja, mas deixou prosélitos. Maus pastores, pastores nus, que já de certa forma sentenciados aguardam apenas o último dia, o do Juízo, para acompanharem Lúcifer, agora vencido, ao báratro nefando. (Aarão)


www.recados.aarao.nom.br

Nenhum comentário: